Memories escrita por Laris Neal


Capítulo 3
Capítulo 3


Notas iniciais do capítulo

Esse cap contém cenas de sexo.



Liv – Eu nunca vou desistir. Por você. Por nós. Existe um “nós”? E...o meu conto de fadas será pra sempre lembrado com esta noite, a melhor que eu já tive. Te amo, pra sempre, por tudo o que já fez por mim. Por tudo o que você é, e o que me fez ser. Por sempre estar ao meu lado. Eu te quero pra sempre junto comigo. Te amo mais que tudo.

Eles chegaram mais perto um do outro, olhos nos olhos. E então se beijaram, deixando todas as sensações escaparem de seus corações, experimentando e aproveitando cada uma delas. Esquecendo-se do tempo, do espaço, de tudo. Curtindo aquele momento, o momento deles. Quem sabe o único que eles teriam juntos, aonde não eram Detetives Benson e Stabler, e sim apenas a Liv e o Ell. Pra sempre.

Os beijos foram ficando mais intensos, a música no rádio fora esquecida, as canecas com chocolate quente depositadas na mesa, e os corpos dos dois indo em direção ao quarto, esbarrando em tudo o que estivesse na frente.
Ele a deitou na cama, indeciso se usava um pouco mais de força ou se seria mais carinhoso, se a beijava ou se a admirava...


As roupas espalhadas pelo chão mostravam pressa em terem um ao outro. O relógio parou no tempo. As carícias cada vez mais intensas. Os gritos e gemidos de prazer foram contidos e dados várias vezes dentro daquelas quatro paredes.
A lua trazia uma única luz prateada para dentro da janela do quarto, banhando os corpos nus e dando a eles uma beleza única e indescritível.
Eram dois, mas ao mesmo tempo pareciam um só. Eram um só.
Depois de um tempo, não tem como descrever a hora exata, os minutos e os segundos exatos, Elliot ficou olhando a mesma lua que os observava. Ainda com Liv aconchegada no seu peito, ele se perguntava que horas eram. O tempo havia realmente parado, como se não fosse para saberem o tempo, porque eles que faziam o tempo. O agora, esta noite, nesse minuto, nesses minutos ou nessas horas, por que não? Enquanto fazia essas reflexões, seus olhos desviaram da lua e seguiram seu brilho prateado até encontrar o corpo de Liv, inteiramente como viera ao mundo, deitada no seu peito, indefesa. Era inacreditável o que havia acontecido aquela noite. Um amor revelado tão inesperadamente esperado fora revelado, sim, era amor mesmo, tanto que não haviam feito sexo, haviam feito amor. Seus corações batendo no mesmo ritmo, seus corpos se movendo em ritmo, como se dançassem uma música esquecida tocando no rádio. Parecia sonho...se fosse, ele não queria mais acordar...
E então, conseguiu adormecer.

Olívia acordou no outro dia de manhã ainda sobre o peito de Elliot. Seu celular tocava que nem louco. Ela olhou procurando e achou no chão, jogado perto das roupas. Dez chamadas não atendidas, e quem ligava agora era o Cap. Ela atendeu.
Liv – Alô?
Cap – ONDE VOCÊS ESTÃO?
Liv – Na minha casa, por que?
Cap – Vocês tinham que ter se encontrado ontem com o suspeito! Porque não apareceram? Onde estavam? ERA A ÙNICA CHANCE! Eu avisei! – ela sentia sua cabeça girar...precisava dar uma resposta.
Liv – Sorry Cap! Eu explico tudo! Chego ai em meia hora! – ele simplesmente desligou sem falar mais nada. Ela fechou o celular e ainda ficou com ele na mão, começou a olhar em volta, lembrar do que tinha acontecido...um sorriso formou-se no seu rosto. Mas logo lágrimas começaram a descer...Sim! Fora um erro! Um grande erro! Uma estupidez! E agora? Diria o que para o chefe? Que ela e o Stabler passaram horas de puro prazer, enquanto o suspeito matava algumas pessoas e fugia? Lágrimas de raiva desciam pelo seu rosto, e seus soluços foram inevitáveis, fazendo Elliot acordar.
Ell – Que foi meu amor? – disse preocupado, colocando as mãos na cintura dela.
Liv – O Cap. Acabou de me ligar. Nós tínhamos que ter ido ontem, Elliot.
Ell – Droga! – disse batendo a mão na testa. – Não acredito! Esquecemos completamente!
Liv – É! Falei que chegava lá em meia hora. Ele está furioso! Acho que vai nos despedir! Que idiota! A gente não podia ter feito isso!
Ell – Quer dizer que se arrepende?
Liv – Não foi isso que eu disse!

Ell – Mas tava querendo dizer! Então, tudo o que aconteceu ontem foi mentira?
Liv – Lógico que não cabeça dura! Só que, vai explicar ao Cap o porque que não fomos ontem! Porque NÓS fomos os culpados pela morte de outras pessoas!
Ell – Não temos culpa de nada! E tem mais...
Liv – Olha Elliot, chega por favor! Já tem problemas de mais rondando minha cabeça! Vamos que nós temos que chegar na Squad daqui a vinte minutos. – dito isto, ela levantou-se e foi para o banheiro sem dar atenção aos protestos dele. Entrou no banheiro, fechou a porta e ligou o chuveiro. Entrou debaixo do mesmo e deixou que a água quente caísse sobre o seu corpo. Sentia o cheiro dele ainda na sua pele...Estava confusa! Muito mais que das outras vezes...Foi errado o que fizeram, se esqueceram das vitimas e pensaram só neles! Era trabalho e foi levado, mais uma vez, para o lado pessoal. Mas, o que havia acontecido na noite anterior fora descobrirem o verdadeiro amor. E amar não era um erro. Ou era? Para uma mulher como ela, sozinha, que sempre viveu para o trabalho e se identificava com as vítimas, que agora era amante de um homem casado, que na verdade sempre fora seu único e grande amor?
Todas essas perguntavas rondavam sua cabeça. Balançou-a negativamente e tentou esquecer dos pensamentos, mesmo que isso sendo impossível.

Depois do banho, ela voltou no quarto já trocada, como detetive, e viu que Elliot também havia se arrumado, mas sua cara não era das melhores. Eles saíram da casa dela sem dizer nada, entraram no carro dela e foram pra Squad. Eles continuavam em silêncio...



Notas finais do capítulo

Reviews please *-*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Memories" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.