Malfeito Feito II escrita por Miller


Capítulo 10
A festa da Clair (pt. I) - Capítulo Nove.


Notas iniciais do capítulo

Não, eu não morri!



Lily Evans

Elas haviam acabado de voltar do centro e entraram no quarto dela ofegantes.

Lily se atirou na cama, Dorcas sentou-se na cadeira da penteadeira e Lene desabou em cima de um pufe que havia por ali.

– Eu já não sei mais o que fazer! A gente já procurou em tudo que é lugar onde poderia estar o vestido, ligamos para todos os lugares em que minha mãe poderia tê-lo esquecido e não deu em nada! Eu estou começando a achar que minha mãe apenas imaginou que comprou essa coisa! – Lily falou, exasperada, enquanto encarava o teto.

– Calma Lily! Nós vamos encontrar o vestido ok? Não se estresse por causa disso – Dorcas falou, encarando Lily enquanto penteava o cabelo em frente ao espelho.

– Quer saber? – Lily bateu com os braços em cima da cama para dar ênfase no que estava falando. – Eu já estou cansada disso! Eu acho que o melhor a se fazer é adiar esse casamento! Esse maldito vestido não vai aparecer assim do nada, e nós não temos mais grana para gastar com outro.

Ela sentou na cama e deu de ombros.

Estava cansada de ficar dando voltas pela cidade e ficar ligando para milhares de números em busca de um vestido que ela sabia que não iria aparecer.

Ela teria que entrar pelada na igreja, ou vestida de qualquer coisa desse jeito.

– Se eu te falar alguma coisa, você vai ficar brava comigo Lil? – perguntou Lene para ela.

– Claro que não Lene – Lily respondeu encarando a amiga.

– A meu ver, parece que você está, bom... Parece que você está meio aliviada pelo desaparecimento do vestido – Lene falou a última parte rapidamente.

– QUE? – ela e Dorcas gritaram.

– Você não quer se casar com o James? – Dorcas perguntou para Lily, com os olhos arregalados. – Você não o ama mais?

– Não! – Lily gritou, mas depois de alguns segundos ela percebeu o que as amigas deviam ter entendido. – Quero dizer, eu amo o James, muito, mas eu estou nervosa.

– Toda a mulher fica assim quando está para se casar – Lene disse, compreensiva.

Ela olhou para suas amigas por alguns momentos, pensando se deveria falar o que estava sentindo no momento. O pensamento de casar com James tão cedo a deixava com os nervos à flor da pele.

– Não é isso – Lily começou a dizer devagar, mas depois de alguns segundos as palavras começaram a sair de um jato. – E se eu não for boa o suficiente para ele? E se quando eu for cozinhar eu queimar a comida? E se eu não conseguir cuidar direito do bebê? MEU DEUS o bebê! – ela gritou histérica. – E se eu não for uma boa mãe? James vai querer se separar de mim e levar o bebê. Sem falar que eu estou ficando gorda. Imaginem! Uma ruiva sardenta e gorda! Meu Deus! Como ele vai querer casar comigo assim? Quando eu começar a parecer mais uma câmara de caminhão do que uma pessoa! – ela parou de falar por um tempo para tomar fôlego. – E eu tenho fome toda à hora! Desse jeito eu vou desfalcar James! Sem falar nas minhas mudanças de humor...

– Lily, se acalma! – Lene começou mas ela a interrompeu.

– EU ESTOU CALMA! É SÓ ESSE MALDITO VESTIDO QUE ESTÁ ME DEIXANDO UM POUQUINHO EXTRESSADA!

– Um pouquinho só? – Dorcas, que havia ido sentar ao lado dela a olhou preocupada.

Ela encarou as amigas que estavam com os olhos arregalados e pos as mãos na cabeça.

Ela se sentia tão mal, ansiosa e nervosa. E com fome.

– Eu preciso comer algo – ela disse e levantou-se em direção à porta.

– Não, você não vai! – Lene interrompeu sua passagem e a encarou com as sobrancelhas erguidas.

– Lene, mas eu preciso comer – ela falou, brava, para Lene.

Mas Lene não saiu da sua frente.

– Eu disse que você não vai – Lene repetiu devagar.

Ela encarou a amiga com os olhos entreabertos.

– Eu estou com desejo de comer – ela falou. – Você não quer que o bebê nasça com cara de comida.

Lene a encarou chocada.

– Ah não! Você não vai me chantagear! – Lene falou indo para cima dela. – Senta ai!

Lene a empurrou para a cadeira em que Dorcas estava sentada.

– Agora você vai me escutar – Lene disse apontando para ela.

– EU ESTOU COM FOME!

– CALA A BOCA!! – Lily encarou a amiga chocada. – Cale já a boca Lílian Evans! O que você está pensando. Pelo amor de Deus criatura, eu achei que depois de todo esse tempo namorando James esse seu problema de auto-estima baixa havia passado. Por tudo que é mais sagrado, pare já de ficar se pondo para baixo mulher! O que você está pensando heim? Se James achasse que você fosse tudo isso que você disse, você acredita que ele ainda iria estar com você? Credo! James te ama Lil, ele vai te aceitar do jeito que for. E você não vai fazer nada de errado ok? Pare de pensar isso – Lene parou de falar e ficou encarando-a com uma cara de sabe-tudo irritante.

– Mas...

– Mas nada Lily – Dorcas foi até onde ela estava e a pegou pelo os ombros. – Você ama o James e o James te ama, vocês vão casar e ter um lindo bebê. Ponto final!

Elas ficaram em silêncio por alguns instantes.

– Nossa Lene, você me dá medo – ela falou após alguns instantes encarando a amiga. – Pobre Sirius.

Lene riu e foi acompanhada por Dorcas, mas as duas foram interrompidas pelo som de três celulares tocando ao mesmo tempo.

Ela foi a primeira a chegar ao celular e leu a mensagem que havia chegado.

Festa da Clair hoje!

No Nights Club, às 21:00.

Não perca!

– Ah meu Deus! – ela ouviu Dorcas falar.

– Que houve Dorcas? – ela perguntou.

– Eu me esqueci de comprar a fantasia! Esqueci-me! Deus e agora? – Dorcas estava com as mãos na cabeça e as encarava de olhos arregalados. – Eu preciso achar algo urgentemente – Dorcas falou e pegou sua bolsa antes de ir em direção à porta. – Ah, e Lily?

– Sim Dorcas? – Lily perguntou para a amiga que estava com a mão na maçaneta.

– Você vai casar semana que vem com James, nem que para isso nós tenhamos que roubar um vestido. – e saiu.

Lene levantou de onde estava sentada e pegou sua bolsa também.

– Você vai ir? – perguntou.

– É claro! Eu pedi para minha mãe, e disse que era meus últimos meses de adolescente normal e que eu tinha que aproveitar antes de virar mãe. – ela fez uma careta ao dizer a última parte.

– Ah. Vamos lá para casa então, para a gente se arrumar enquanto esperamos a Dorcas.

– Ta, só deixa eu avisar minha mãe e pegar minha roupa – ela falou, indo em direção ao seu guarda roupa.

– Que é isso Lily? – perguntou Lene apontando para um grande volume dentro do guarda-roupa.

– É o meu vestido da festa do ano passado – ela falou. – Esse vestido é culpado por grande parte do que está acontecendo aqui hoje.

– É verdade – Lene concordou.

Ela pegou suas coisas e, depois que falou com sua mãe, saiu com Lene em direção à casa da amiga.

Dorcas Meadowes

Ela entrou na loja de fantasias agradecendo aos céus por conseguir achar uma loja tão tarde aberta.

– Ora, ora, ora. Vejamos se não é a mais nova aquisição do nosso Reminho – ela ouviu a voz irritante de uma garota atrás dela.

Ao se virar deu de cara com Emmeline Vance.

– Vejamos se não é a mais nova vadia que chegou em Hogwarts – ela revidou provocando a garota loira falsa.

Pelo menos meu cabelo é natural.

Emmeline Vance a encarou dos pés a cabeça e deu um sorrisinho malicioso.

– É, até que você não é de se jogar fora, mas eu sou muito mais eu. Pena que o Reminho gostou sempre das mais dóceis. Mas eu já mudei isso – e com esse comentário Emmeline se afastou e saiu da loja.

– Mas eu já mudei isso. Quem essa vadia pensa que é? Dócil! Há, ela não sabe de nada. Mocréia! – Dorcas resmungava para si mesmo. – E o que ela pensava que estava falando?

Dócil, Vance iria ver quem era dócil se ela tentasse chegar perto de Remo.

Depois desses pensamentos maquiavélicos ela continuou caminhando pela loja à procura de alguma fantasia.

Parecia que nada iria servir, tudo que ela encontrava que achava legal ou ficava grande demais, ou pequeno demais.

Por fim, quando ela estava quase desistindo de procurar por algo de que ela gostasse, ela encontrou um par de fantasias iguais de odalisca, uma tamanho M e outra tamanho P.

Ela gostou bastante da fantasia que era dourada e cheia de flecos que caiam por toda a volta da saia. Havia um véu que cobriria seu rosto deixando apenas seus olhos de fora. Ela experimentou a fantasia P mas ficou justa demais então ela acabou ficando com a M.

Depois de por sua roupa novamente ela foi até o caixa para pagar pela roupa. Olhou algumas vezes para trás, estava com a sensação de estar sendo observada. Não viu ninguém. Sacudiu a cabeça e foi até o caixa.

Após sair da loja pegou o celular e ligou para Lily.

– Alô? – ela ouviu a voz da amiga.

– Lily, sou eu. Consegui comprar a fantasia – ela falou para a outra e ouviu um gritinho do outro lado da linha. – O que foi isso?

– Parece que a Lene está tendo problemas com as suas asas – Lily respondeu com um ar risonho. – Vem para a casa da Lene. A gente está se arrumando aqui. Os garotos vão nos esperar lá no clube.

– Já estou indo – ela respondeu e chamou o primeiro táxi que viu.

James Potter

Como em todos os anos em que ele havia sido convidado para a festa da Clair, Sirius e Remo estavam se arrumando em sua casa. E, como em todos os anos, Sirius Black estava demorando mais de uma hora no banheiro.

– Sirius, pelo amor de Deus, me deixa entrar – ele gritou pela enésima vez na porta do banheiro.

– Pronto Pontas, no stress – Sirius falou abrindo a porta e deixando ele entrar. – Eu deixo você entrar antes que você faça xixi nas calças.

Ele ia responder que não era porque queria fazer xixi que ele precisava entrar no banheiro, mas a visão da fantasia do amigo o fez estacar.

– Você... Você... Você... – ele não conseguia concluir a frase sem cair na gargalhada. – Você vai vestido de Peter Pan?

Remo que, aparentemente estava tentando ser educado, também caiu na gargalhada junto com ele.

– Que é que tem? – Sirius perguntou franzindo a testa.

– Você parece uma alface Sirius – Remo falou batendo nas costas do outro.

– Como vocês são idiotas – Sirius respondeu e se virou para ele. – E o que aconteceu com seu olho? Porque você está maquiado?

– O James tentou passar um lápis no olho e acabou se machucando – Remo respondeu enquanto ele lavava o rosto no banheiro.

– Lápis de olho? Você o quê? Vai virar emo agora? – perguntou Sirius pondo a mão na cintura ficando extremamente parecido com uma folhagem.

– Não dã – ele respondeu assim que secou o rosto. – Eu vou de Jack Sparrow. O pirata sabe?

– Sei – Sirius parecia não ter acreditado que ele não iria virar emo. – E você vai de quê? – perguntou para Remo.

– Sheik – respondeu Remo simplesmente enquanto ajeitava o véu que havia em sua cabeça.

– Eu já estou pronto – Sirius disse dando de ombros. – Vamos?

– Hey, me esperem, eu ainda tenho que acabar de me maquiar – ele disse pegando novamente o lápis preto.

Sirius fez uma cara engraçadíssima quando ele disse isso.

– Cara, que coisa mais gay.

Ele apenas deu de ombros e foi novamente para frente do espelho para começar a luta com o lápis.

– Au! – ele gritou quando pôs o lápis dentro do olho.

– Pelo amor de Deus! Deixa que eu faço isso – Sirius gritou tomando de sua mão o lápis e o empurrando para a cadeira. – Se você contar que eu fiz isso, eu juro que eu te mato James!

– Pode deixar – ele respondeu segurando a risada novamente.

Após alguns segundos.

– Pronto – Sirius falou assim que acabou de passar o lápis no olho dele.

– Sabe de uma coisa Sirius? – ele falou para o amigo enquanto se mirava no espelho. – Você tem umas mãos de fada – ele disse e saiu correndo do quarto antes que o outro o alcançasse.

Dorcas Meadowes

Elas chegaram na festa e encontraram os garotos esperando-as em frente ao clube.

– Oi – Remo disse assim que ela deu um beijo nele. – Você está linda.

– Acho que você é telepática Dorcas, porque você acertou direitinho na fantasia – Lily disse para ela indicando que ela e Remo estavam combinando.

Lene estava vestida com um vestido verde curtíssimo de Sininho, a fada de Peter Pan. Atrás dela estavam às asinhas de fada que elas haviam lutado muito para conseguir prender.

Lily havia ido de Filha do Barba Negra, o antigo amor de Jack Sparrow no filme Piratas do Caribe. Seu vestido era rosa-velho com pequenos detalhes em azul e caia solto abaixo do busto. Lily dizia que não queria usar nada justo já que sua barriga estava bastante pronunciada.

– O que vocês acham de a gente entrar de uma vez? – perguntou Sirius que estava parecendo uma alface vestido de Peter Pan.

– Vamos lá então – Lily respondeu puxando James pelo braço e entrando no clube.

– Remo – ela chamou o namorado que estava indo para a entrada também.

– Que foi Dorcas? – perguntou ele sorrindo para ela.

– É que hoje eu encontrei a Vance – ela começou a falar mas Remo a cortou.

– Olha Dorcas, eu sei bem que a Vance não é legal nem nada disso, mas eu sinceramente não quero nem saber dela hoje ok?

– Ok – ela respondeu e deu de ombros.

Eles entraram na festa – que estava lotada – e viram que Lily e James já estavam dançando na pista.

– Onde será que estão a Lene e o Sirius? – perguntou ela.

– Provavelmente se agarrando em algum canto.

Eles riram com o comentário e também foram para a pista dançar.

Algum tempo depois eles decidiram pegar algumas bebidas no bar.

– O que você vai querer? – perguntou Remo a ela.

– Qualquer coisa – ela respondeu dando um beijo nele. – Pede ai que eu já volto.

– Onde você vai? – perguntou Remo.

– Vou no banheiro e já volto – ela respondeu e deu outro beijo nele antes de ir até o banheiro.

Chegando lá ela pegou a mini-bolsa que havia trazido consigo e pegou o batom.

Ela não conseguia parar de pensar no que a vadia loira havia dito.

Mas eu já mudei isso...

Mudou isso o que? Era isso que ela não entendia. Do que ela estava falando?

Seu coração acelerou do nada e ela balançou a cabeça.

– Pare com isso Dorcas, você está sendo boba. Muito boba.

– DORCAS! – ela ouviu a voz de Lene gritar de fora do banheiro.

Ela saiu de lá e encontrou a amiga com uma aparência nada boa.

– O que foi? Aconteceu algo com a Lily? Ela está ganhando o bebê?

– Não, não foi com a Lily. E ela não poderia estar ganhando um bebê. Ela está só com quatro meses!

– Então o que foi? – ela perguntou enquanto era arrastada por Lene.

– Você já vai ver.

Lene a arrastou por mais alguns segundos antes de parar e apontar para um canto da festa.

Ela virou lentamente, sem entender, até que viu o que ela estava falando.

Lá estava Emmeline Vance, vestida exatamente igual a ela, até o cabelo estava igual. Mas não era isso o pior.

O pior era com quem ela estava e o que ela estava fazendo com essa pessoa.

Ela estava com Remo. Ela estava beijando Remo.

E Remo também estava beijando ela.

– Eu não acredito – ela falou incrédula.

– Calma Dorcas, não faça nada precipitado.

– Eu não...

– AAAAAAAAAAAHHHHHHHHH! – ela ouviu a voz de Lily gritar.

– LILY! Que foi? – James segurava Lily que estava de olhos arregalados.

– O bebê mexeu!

– Não acredito! – Lene soltou sua mão e foi em direção à amiga.

Ela olhou mais uma vez para onde Vance estava com Remo. Remo estava olhando para ela com uma cara confusa como se não estivesse entendendo nada.

Idiota, idiota, idiota!

Mas eu já mudei isso...

Então era isso que ela queria dizer? Que Vance havia voltado com Remo e feito ele a achar dócil demais?

Ela tirou o véu que cobria seu rosto e deu as costas para ele. Foi em direção as portas de entrada e saiu. Desceu as escadas da entrada do clube correndo e fez sinal para um táxi qualquer que parou por ali.

– Dorcas! – ela ouviu a voz dele gritar antes que uma bomba de chuva caísse e a molhasse de cabeça aos pés.

De onde veio essa chuva? Não estava assim mais cedo.

Ela olhou para as escadas e ele vinha correndo em sua direção. Olhou para o táxi mais uma vez e entrou nele, batendo a porta na cara dele.

– Rua Orchadt senhor – ela falou para o motorista que fez que sim com a cabeça e deu partida no carro.

Continua...

Notas finais do capítulo:

Eu escrevi as notas finais aqui porque tem muita gente que não lê o que eu escrevo ali em baixo ou lá em cima e depois vem perguntar as coisas por reviews.

Bom, em primeiro lugar eu gostaria de pedir perdão pela demora; eu sei que eu fui muito má em não postar capítulos aqui por quase um mês.

Mas a culpa não foi minha.

Houve um problema na fiação telefônica do meu bairro e eu fiquei sem internet, logo em seguida caiu uma chuva desgraçada que durou por duas semanas, o que significa que os técnicos não puderam mexer nos fios por causa do mau tempo.

Eu fiquei sem internet e sem telefone e o ciber mais próximo da minha casa fica muiiiiiito longe.

Eu não pude postar.

Perdoem-me mesmo, eu não fiz por querer, e eu sei que é horrível esperar.

O lado bom de tudo isso é que eu arranjei tempo para estudar para matemática que eu estava muito mal e até que consegui uma boa nota. E eu escrevi bastantes capítulos também.

Já tenho 3 capítulos dessa fic pronta.

Espero que vocês compreendam, isso pode acontecer com qualquer um. E aconteceu comigo.

Perdoem-me.

PS: A todas as autoras de fanfics que eu acompanho, me desculpem por não comentar. Assim que tiver tempo eu comento. Não pensem que esqueci de vocês!

PS²: O capítulo do casamento é depois do próximo. Está chegando à hora!

PS³: A todas que continuam acompanhando a fic, mesmo minhas postagens sendo tão imprevisíveis, obrigado! Isso significa muito para mim.





Notas finais do capítulo

Reviews? :3