Os Loiros de Konoha escrita por Tina Granger


Capítulo 11
Capítulo 11


Notas iniciais do capítulo

PARABENS PARA VOCE, NESSA DATA QUERIDA, MUITAS FELICIDADES
MUITOS ANOS DE VIDA!!
PARA VOCÊ ANGEL, MESMO QUE MEIO ATRASADO... SEU PRESENTE DE ANIVERSARIO!




– NARUTO! – ante o berro do terceiro hokage, o loiro recuou, dando um sorriso amarelo, não reparando nos homens que estavam ali presentes.

–- Desculpa, ve... – Naruto engoliu o resto da palavra, trocando-a pelo titulo – Hokage-sama.

– Posso saber o que isso significa?

– O meu mais sincero apreço pela sua pessoa.

– Andou bebendo? - o hokag pediu furioso.

– Estou tão sóbrio quanto o senhor! – o loiro sorriu amplamente. – Eu apenas lhe dei esse beijo e esse abraço por conta do seu chamado.

– Onde ele esta? – eles escutaram Kushina no corredor questionando. Em alguns segundos, a ruiva invadia a sala do hokage, dando um soco na orelha do loiro, que o fez cair sentado. – SEU IDIOTA!

– Ainda bem que eu já nasci. – Naruto ficou sentado enquanto esfregava a orelha. – ter você como mãe iria ser muito doloroso. – ele resmungou, percebendo que a ruiva havia se virado para o hokage.

– O que foi que você disse? – Kushina pegou-o com as duas mãos pelo colarinho, os olhos estreitados em fúria, ignorando as outras pessoas presentes. Puxou-o para perto de si,

Naruto sacudia ambas as mãos, um sorriso muito amarelo em sua face.

– Nada, nada não...

– Kushina, você pode largar ele? – Minato falou secamente, curvando-se da porta. – Hokage-sama.

– Vamos esperar lá fora... E enquanto isso, nós vamos ter uma conversinha! – a ruiva falou, pegando a orelha de Naruto e puxando-o para fora.

Os loiros de konoha

Os loiros de konoha

Minato encarou Kushina, enquanto a ruiva ofendia Naruto, que aparentemente havia decidido ignorar as ofensas da ruiva... olhando constantemente para o Namikaze.

– E olhe para mim quando eu falar com você! – Kushina soltou, dando mais um tabefe na orelha de Naruto, que saltou distante dela.

– Ainda bem que a Hinata-chan não é uma louca problemática mega forte como você! – ele desviou-se de mais um tabefe, conseguindo esconder-se atrás de Minato. Kushina tentava pegar o homem desmemoriado, que escondia-se atrás do homem a quem ela amava... Que acabava levando uns tapas toda vez que Naruto conseguia desviar-se.

– O que está acontecendo aqui? – Takayama, o assistente do terceiro hokage pediu abrindo as portas, ao encontrar o trio caído no chão, Kushina ainda tentando pegar a orelha, braço o que quer que fosse de Naruto, para bater.

– Nada que seja da sua conta! – a ruiva respondeu, depois de acertar um tapa em Minato... Tapa que ela havia mirado em Naruto.

– O hokage deseja falar com vocês.

Ele avisou, virando-se e entrando na sala, sendo seguido pelos três. O hokage, ao erguer os olhos, sentiu uma coisa que não sabia explicar.

Lado a lado, a semelhança entre Minato e Naruto era acentuada.

– Então, hokage-sama, o que o senhor manda? – Naruto pediu com uma informalidade, que o hokage apenas havia percebido na ruiva a sua frente.

– Isso é o que o senhor acha que é o melhor para salvar Hiashi-sama?

– O que aconteceu com o sograo? – Naruto pediu, aflito sem hesitar para os homens do clã Hyuuga. As palavras velhos estúpidos estavam em sua mente, mas ele resolveu ignora-las. Pelo menos até que ele soubesse o que tinha acontecido com Hiashi.

– Tzume, apesar das maneiras, acredito que Naruto é tão qualificado quanto Minato e Kushina... Que alem de excelentes ninjas, são também amigos de Hiashi. – O terceiro hokage falava de maneira calma.

– E ex-namorada. – Kushina frisou, sorrindo para o conselheiro do clã. Coisa que fez o homem fazer uma carranca ainda pior.

– Você e o sograo? - Naruto pediu, fazendo que ela o olhasse, dando de ombros.

– - Se você consegue pensar que o hiashi permitiria que uma suposta filha namorasse com alguém fora do clã...

Minato fez psiu, encarando os dois.

– O que aconteceu? – Minato questionou. Os dois conselheiros que estavam na sala, alem do hokage, do seu assistente e de Hizashi, olharam-se. Ignorando o que provavelmente eles decidiriam, Hizashi começou a falar de maneira pausada, olhando significativamente para Kushina.

– Hiashi terminou alguns documentos que precisava examinar, ontem a tarde. ele saiu para dar uma... – Hizashi franziu a testa. – volta pois estava lá desde o meio dia. Ele me deu instruções para fazer algumas tarefas... Fui me reportar a ele, pelas oito e meia da noite e ele ainda não tinha voltado...

– Coisa que não fez até o momento! Ele obviamente foi seqüestrado! – Tzume falou alterado. – E ainda tem esse idiota chamando ele de..

– Hiashi-sama deve estar correndo um grande perigo! – o outro cortou Tzume. – Acho que...

– Nós vamos atrás de Hiashi, não precisam se preocupar. Iremos busca-lo, onde quer que esteja...

– E traze-lo a salvo! - Naruto falou muito sério. Eles precisavam... Eles iriam traze-lo a salvo senão, Hinata e a monstrinha da irmã não nasceriam...

Os loiros de konoha

Os loiros de konoha...

Eles estavam correndo a duas horas, quando, do nada, Hizashi pulou da arvore que estava pulando para o chão. Kushina o acompanhou.

Quando os outros chegaram no chão, curiosos para saber o que iam falar, Kushina estava andando em círculos, furiosa.

– Hizashi, é o que eu estou pensando, não é?

– Hai. – Hizashî assentiu. – Ele foi se encontrar com ela e...

– Quando eu puser as minhas mãos no pescoço do seu irmão, eu vou torcer ele.. E se não der para matar, pelo menos vou dar dois socos bem aplicados e um chute... bem onde você está pensando!

– o que vocês dois estão fazendo? Por que não estamos...

– A gente está na direção errada. – Kushina informou, mal humorada.

– Só vamos poder ir pela direção certa, após o por do sol. – Hizashi informou, indo encostar-se numa arvore.

– Eles precisam saber. – Kushina falou de supetão.

– O que? – Naruto ainda a olhava de maneira estranha. Desde que ela havia pronunciado aquelas palavras, que ela era namorada de Hiashi, ele a encarava como se não acreditasse.

– Mas Kushina...

– Na hora de esconder as cagadas do Hiashi eu servia, não é? Agora, para...

– Está bom, mas voces tem que jurar, que em hipótese alguma, vão contar para alguém que...

– Eu não vou contar para ninguém! – Naruto falou, virando a cabeça de Hizashi para Kushina.

O Hyuuga piscou, vendo o jeito de Naruto mexer a cabeça. Parecia muito com... Hizashi balançou a cabeça. Aquela não era hora de pensar nisso. Hizashi sabia que podia contar com a discrição de Minato.

– O Hiashi tem um romance, com uma garota fora da vila. Sem querer, eu descobri e... – Kushina comecou a falar. Minato que estava encostado em uma arvore, pulou para perto da ruiva.

– E por acaso essa descoberta, foi na mesma época, que vocês “namoraram”?

Quando falou namoraram, Minato fez aspas com as mãos. Kushina piscou inocente para ele.

– Claro que sim! Já que você ficou um namorado muito pão duro, e eu sozinha não dava conta de pagar meus lamens... – ela deu de ombros.

Minato puxou o ar, como se fosse dizer alguma coisa, mas balançou a cabeça. Não adiantava discutir com ela naquele momento... mas que ela ia escutar... ela ia!

Os loiros de Konoha

Os loiros de Konoha

Os quatro estavam posicionados para atacarem. O plano era simples. Naruto distrairia os homens por alguns momentos, Minato e Kushina invadiriam a pequena casa, que ficava a uma distancia curta da vila, escondida na floresta, enquanto que Hizashi buscaria o irmão.

Minato olhava para Naruto, a cabeça cheia de dúvidas. Por mais que estivesse focado na missão de resgate, ele não conseguia deixar de olhar para o outro loiro da missão. O modo como ele e Kushina discutiam, era extremamente parecido. Várias vezes, durante a ida, Naruto tivera que correr mais que eles, para escapar de um tapa... Bem, em qualquer outra mulher, Minato diria que era frescura. Agora com Kushina... Era questão de sobrevivência!

Ante o sinal de Hizashi, Naruto pulou para o chão, fazendo uma série de sinais durante a queda. Ao chegar no chão, ele estava transformado em uma mulher loira, com duas Maria-chiquinhas...

Minato percebeu, antes de se enfiar a mão no rosto, que a criatura não usava uma única peça de roupa. Quando os homens saíram da casa, ficaram meio abobalhados.

Piscando os olhos de maneira sedutora, Naruto tinha um dedo nos lábios, mordiscando-o de maneira sensual.

– Olá. – a “loira”falou de maneira meio provocativa. – eu acho que me perdi... E acho que perdi também minhas roupas... – Naruto remexeu os quadris. – vocês podem me ajudar?

Os loiros de konoha

Os loiros de konoha


Hizashi colocou um copo de água nas mãos do irmão, que tinha o olhar distante.

– Beba. – Hizashi falou, após perceber que o irmão não se movera.

– Isso não vai traze-la de volta.

– Não mas vai acabar com as dores no seu corpo.

– Não me importo.

Hizashi suspirou, sentando-se ao lado do irmão. Já estavam na metade do caminho de volta para Konoha. Depois que haviam resgatado Hiashi, o líder do clã Hyuuga, quase não falara. O seu silencio era apenas quebrado quando alguém tentava falar com ele, porem as respostas em poucas silabas, eram consideradas exarcebantes para Kushina. Estranhamente, Naruto exibia um silencio que, aliado a alguns olhares na direção do Hyuuga mais velho, pareciam dizer que ele entendia o que Hiashi sentia.

Durante uma pequena pausa para que Hiashi pudesse descansar um pouco, visto os ferimentos exibidos por ele, alem das duas pernas quebradas em partes diferentes e um dos braços, também quebrados.

Naruto havia se afastado logo que haviam decidido parar. Questionado,dissera com franqueza que queria mijar... E conseguira escapar de levar um tapa de Kushina, por ser tão grosseiro.

Após alguns minutos, Minato fora atrás do outro loiro... E nem demorara quinze segundos para que a paciência de Kushina acabasse e a curiosidade sobre o que Minato queria falar com Naruto vencesse a discrição.

Os loiros de Konoha

Os loiros de konoha

– Será que dá para você... – Minato gesticulou com as mãos. – Guardar?

– Eu disse que queria mijar. – Naruto falou, irritando-se. – Será que dá para você olhar para o outro lado? Esta me desconcentrando.

– O que você quer com Kushina?

– Eu não devia ter tomado tanta água. – Naruto resmungou, sentindo a bexiga ainda muito cheia.

– Pode me responder?

A ordem de Minato fez que Naruto o olhasse virando o corpo. Como conseqüência, o sensei do time sete, por muito pouco, não foi “batizado” por xixi.

– Andou bebendo o reservatório de Konoha, por acaso?

A irritação de Minato poderia ser divertida, se isso não o tornasse mais perigoso.

– Eu não pedi ninguém para vir atrás de mim, pedi? - Naruto finalmente terminou o que fazia, virando para Minato. – o que você quer comigo?

– O que você quer com Kushina? – Minato foi direto ao ponto. – Quem é você? Por que está rondando ela?

– Ninguem está me rondando! – Kushina pulou na lareira. – Francamente, Namikaze, essa sua crise de ciúmes é ridícula e sem propósito nenhum!

– Kushina, você devia estar com Hiashi!

– Eu não sou porcaria nenhuma de médica, então não sirvo para ficar segurando a mao do Hiashi! E você não tem o direito nenhum de ficar implicando com o Naruto, ele não fez nada para você!

– ele é um ninja medíocre! Que raios de técnica foi aquela de transformar-se em uma mulher nua? Eu não conheço nenhum ninja decente que cairia nessa técnica!

– Ei, me mandaram criar uma distração! Foi o que eu fiz! – Naruto defendeu-se

– O seu sensei cairia. – Kushina falou inocente.

– Eu disse ninja “decente”. – Minato frisou, arrancando um riso da ruiva. – Kushina, isso não é motivo para riso!

Naruto comecou a acompanhar a ruiva nas risadas, o que fez Minato o encarar de maneira feia.

– E quanto a você, fique sabendo que...

– Nem vem! Eu só fiz o que eu achava certo! E eu não vou me afastar da senhorita Kushina, so por causa dos seus ciúmes!

– Exatamente Naruto! – Kushina apoiou o loiro. Ela se virou para Minato, os olhos brilhando. – E EU não vou deixar ele sair da MINHA VIDA, POR SUA CAUSA!







Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Loiros de Konoha" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.