(Nem) Todo Mundo Odeia a Emily escrita por May_Mello


Capítulo 26
Todo mundo odeia o Tyler.


Notas iniciais do capítulo

WOOOW! Não creio que finalmente estou aqui novamente. Depois de quase um século eu retornei... para tristeza de muitos que me odeiam! /damça
Eu disse que voltaria nas férias, não disse? Só não disse qual!
Emily e a gangue estão de volta! Sim! Estou escrevendo isso com tanta emoção! *-*
Só sei que estou morrendo de saudades e estou muito grata pelas pessoas que me mandaram mensagens, me procuraram, avisaram que eu fui plagiada novamente, me perguntaram quando eu voltaria a postar... MUITO OBRIGADA PELA PACIÊNCIA!
E,ah, também estou suuuper perdida. Nem sei o que faço primeiro aqui... HAHA
Bom, nem vou pedir desculpas porque já virou rotina eu dizendo isso. Só queria dizer que... Percebi que eu gosto muito MESMO de vocês, galerë. Esqueçam o que eu disse sobre não responder os reviews, porque vou responder todos nem que o mundo esteja acabando. *-*
Sinto que estou esquecendo de dizer alguma coisa, mas beleza. Minha memória é uma bosta.
Espero que não tenham desistido de mim. Eu sempre falo isso, é, porque tenho medo de perder vocês./declaração,oi?
Minha escrita mudou bastante, eu acho, devido ao tempo sem escrever, mas... Só espero que vocês gostem, como sempre.
Boa leitura, gente!
Só sei que nem revisei o capítulo na euforia de postar. '-' /corre



Hey, você que pensa que vai começar a ler o capítulo sem antes ler as notas inicias! Volte lá e leia, 'fazfavor', tem toda uma declaração lá. u.ú

***

Duas galinhas com um grão de milho só. Ok. Acho que não era esse o ditado, mas e daí?








Eu escuto o barulho dos grilos... Literalmente.

Depois que Thomas saiu, eu voltei pra minha beliche pra ficar encarando o teto. Não tem absolutamente ninguém no dormitório, e eu só espero que o almoço seja servido logo!

Merda de vida! Vida de merda!

Cara, hoje eu simplesmente estou pensando demais! Isso é muito estranho.

Acabei de pensar aqui que eu corro um risco muito grande de dormir na cama de cima de uma beliche! Já pensou se eu caio, quebro o pescoço e fico em estado vegetativo? Pois se pensou você vai para o inferno! Fica aí, desejando coisas más pra mim.

Nossa. Eu tenho que parar de conversar comigo mesma em pensamentos.

Suspirei pesadamente e me sentei na cama novamente. Descobrir mais sobre a Samantha e o Lukas está batucando em minha mente como- PARA TUDO! COMO ASSIM EU DEIXO O LUKAS SOZINHO POR AÍ COM A SAMANTHA POR PERTO ENQUANTO EU FICO AQUI MOFANDO?! Como eu sou burra!

Desci do beliche rapidamente. Ou tentei, né? Olha só, é segredo, mas eu enrosquei um pé naquela escadinha que sempre tem em uma beliche dos infernos e acabei caindo de um jeito muito estranho. Meu pulso machucado doeu um pouco, mas eu estou muito preocupada MESMO com o Lukas pra sentir dor em um momento como esse. Oras!

Caminhei rumo à saída do dormitório. Querendo ou não eu vou ter que conhecer o local, e também vou tentar não sair de perto do Lukas.

Haviam vários alunos sentados e deitados pela grama; uns comendo, outros lendo... e alguns morrendo. Nunca tinha reparado, mas há uma grande área só de mato em volta de todo o local antes de realmente se entrar na floresta. Que seja. Só quero achar o Lukas.

Saí tropeçando nas pessoas (de propósito) - cof, cof - enquanto procurava por alguém que eu no mínimo conhecesse. Bufei irritada. Os garotos definitivamente não estão por aqui.

Eis que no caminho até a parte de trás do casarão, acontece uma coisa muito... indescritível. Uma nave espacial pousou lentamente no meio do gramado e um ET murmurou meu nome com uma voz meio robótica, me chamando para uma fascinante viagem.

Mentira!

Eis que eu trombo com alguém... E o que posso dizer desse alguém? Esse alguém é simplesmente o garoto mais idiota do mundo - depois do Thomas - e que eu jurei me esquecer pra todo o sempre! Droga! Pensando nisso eu estou me lembrando dele! Espera... Como é que ele está aqui?!

– Tyler?! - Arregalei tantos os olhos que acho que mais um pouco e eles saltam pra fora da minha cara.

– Não olha por onde anda, E.? - Perguntou com aquele sorrisinho sarcástico.

– Olha, eu sei que você é um baita de um preguiçoso e economiza até nas palavras, mas não me chama de E.. Pra você é Emily... Aliás, era! - Me afastei uns dois passos, olhando para aquele sorrisinho. Aquele mesmo sorriso que ele sempre fazia e que quando eu observa me fazia sentir alguma coisa que eu não sabia o que era. Mas hoje eu sei: nojo!

– Pensei que éramos amigos, E.. - Ele pegou em uma mecha do meu cabelo e sorriu mais um pouquinho daquele mesmo modo.

– Éramos, do verbo não somos mais. - Dei um tapa em sua mão, fazendo com que ele soltasse o meu cabelo.

Nunca pensei que fosse o encontrar novamente, ainda mais no meio do nada.

– É verdade. Me lembro bem. Éramos amigos, até eu-

– Cala a boca! - O cortei. - O que está fazendo aqui?

– Voltei. - Jura? Se não falasse não teria adivinhado. - O conselho tutelar me encontrou, você sabe, depois de um tempo eles sempre conseguem. Cheguei na sexta, e de repente nós tínhamos essa viagem estúpida...

– Mas... Você voltou de verdade? Não pode voltar assim... Como se nada tivesse acontecido. - Inacreditável.

– Eu tentei me despedir e me desculpar, ok? Eu realmente tentei, mas... Esquece. - Cínico! - Aliás, é só questão de tempo até que eu deixe a cidade novamente. - Deus, não acredito! A melhor notícia até agora! Deixe-me ver se estou usando meu all star da sorte.

– Melhor assim. - Baixei a cabeça. Na verdade, eu tinha feito isso desde que olhei por meus pés pra ver qual tênis eu estava usando.

– E você? Como está? - Ele relou de leve no meu queixo, erguendo a minha cabeça.

– Melhor sem você. - Fui totalmente sincera.

– É. Na verdade, você até me parece mais... Como posso dizer? Madura. Apesar de que se atrasar pra entrar no ônibus é bem típico de você. Certas coisa nunca mudam, E..

– É... - Ia dizendo meu nome pra que ele entendesse que não era pra me chamar de E., até que fui interrompida.

– Emily! - Ouvi a voz de Anthony e só virei o rosto por um segundo, a tempo de ver Anthony e Lukas me olhando um pouquinho distante de onde eu e Tyler conversávamos. Anthony sabe de toda a história, e provavelmente deve sentir o mesmo desprezo por Tyler, só que com menos intensidade.

Me voltei novamente para Tyler, deixando de olhar a cara preocupada de Anthony e a cara de 'Oi, eu sou um Teletubbies' de um Lukas completamente boiando na história.

– Verdade. Certas coisas nunca mudam. - Falei baixo para Tyler, concordando com ele, e na verdade, me referindo a ele. E dizendo isso adivinha o que aconteceu? Realmente uma nave pousou e um ET saiu de lá de dentro acenando.

Não. Dizendo isso eu dei um tapa tão estalado na cara do Tyler que acho que a minha mão caiu. Eu precisava fazer isso.

– Uau. - Tyler passou a mão lentamente onde eu acertei, me olhando novamente. - Eu acho que mereci.

– É. Você realmente mereceu! - Falei e simplesmente saí correndo.

Sabe quando parece que não é você que estava na cena? Que você estava só observando e vendo suas atitudes mas não pudesse controlá-las? Simplesmente foi isso que aconteceu.

Só sei que corri, corri, corri...E... Merda! Onde é que eu tô?!

Isso tudo que aconteceu foi mesmo muito, muito, muito estranho. De repente Tyler estava ali e de repente... Ah, eu estou perdida.

Beleza. Estou na floresta e... Tyler está de volta?!

Me sentei em um tronco caído entre as árvores e simplesmente fiquei com a minha cara de bocó mesmo, pensando em tudo que havia acabado de acontecer.

A vida é uma coisa engraçada. Eu já tinha problemas demais, e de repente eu arrumo mais um.

Ok. Se alguém que não soubesse da história e presenciasse nossa conversa e principalmente o delicado tapa, diria que eu sou mais louca do que aparento ser. Pobre Lukas. Aliás, pobre de mim... Agora é que o Lukas me acha mais sem noção ainda! Ah!

Suspirei, apoiando os cotovelos em minhas pernas e olhando pra minha mão direita que ardia, já que segundos atrás eu tinha dado um tapa em um idiota.

Deixe-me contar uma pequena história...

Tyler e eu éramos amigos. Pode até parecer que eu o odeio porque fomos namorados e ele me largou, traiu... Me deu um tiro. Mas não, não foi nada disso, porque eu realmente não menti ao dizer que um certo alemão foi minha primeira paixão. Tyler e eu éramos apenas ami-

– Aí está você! - Alguém interrompeu meus pensamentos, exclamando atrás de mim. Era o Papai Noel, que veio trazer meu presente adiantado esse ano.

Brincadeira. Era o Lukas... Só... o... Lukas! AH, ALGUÉM ME ACODE! Ok. Respira.

– É. Aqui estou eu. - Ah, sério? Não diga!

– Hey, por que essa cara triste? - Lukas perguntou, se sentando ao meu lado. Até que estou mantendo a calma muito bem. - Não precisa responder. Eu vou entender se não quiser falar sobre isso.

– Não. É só... Complicado.

– Se você me contar talvez eu possa ajudar. - Ele sorriu graciosamente e... MERDA! Aquele pensamento sobre ele não acreditar que o amo e mesmo assim estar me tratando normalmente fez-me corar. - Anthony ficou desesperado, dizendo que ia procurar o Gregory e me mandou vir pra esse lado pra ver se encontrava você. Eu não entendi nada, e... Você realmente me parece um pouco triste.

– Foi um bom tapa, não foi? - Perguntei dando um sorriso mínimo. Ô fio, é tudo jogo pra disfarçar que eu tô meio triste (diria atordoada, não triste), entendeu?

– É. Meio que me assustou um pouco. - Ele comentou, e eu desviei meu olhar para algumas folhas no chão antes de olhar pra ele novamente.

– O nome dele é Tyler. Nós nos tornamos amigos quando eu tinha doze anos e meu cabelo ainda era natural... Eu acho. - Fiz uma pequena pausa dramática. - Ele, eu, Anthony e Gregory éramos como... O Quarteto Fantástico, só que sem a Jessica Alba. - Lukas riu um pouco, apoiando os braços nas pernas e se inclinando um pouco pra frente. - Nós éramos o terror da escola. Sempre sendo idiotas, claro. - Eu e Tyler costumávamos ser muito bons amigos. Foi ele que roubou o meu primeiro beijo também, mas ninguém precisa saber sobre isso. Cala a boca consciência! - Tyler vem de uma família problemática. Quer dizer, o único problemático é ele que não se dá bem com os pais. Ele fugiu de casa no ano passado, deixando a mim, Gregory e Anthony sem ao menos dizer um adeus ou um odeio vocês. Ele foi, mas não sem antes... Sem antes... - Comecei a gaguejar e decidi parar de falar por um momento. Lembrar disso era chato. - Sem antes mudar completamente o seu comportamento e começar a ser nosso inimigo de uma hora pra outra. Acho que foi a Zooey, que já me odeia desde que eu nasci, quem fez a cabeça dele. A verdade é que ele nunca foi um amigo verdadeiro. - Lukas apenas ficou calado, me ouvindo. Suspirei pesadamente antes de continuar. - E antes de ir ele me humilhou de todas as maneiras possíveis, parece até filme. A humilhação nem foi o que me deixou com raiva, foi acreditar em alguém tão falso, acreditar que ele poderia ser meu amigo. Ele falou coisas muito feias sobre mim, fez fofocas, inventou algumas coisas sobre a minha família... Me fez passar um vexame no baile de final de ano, o que é muito clássico, eu tenho que dizer.

– Uau... - Lukas pareceu pensar, e ficamos algum tempo em silêncio. Sinto como se tivesse que dizer alguma coisa mas não sei o quê.

– Não precisa dizer nada. - Sorri, já me sentindo melhor, afinal, eu estava perto do Lukas. Ouviu isso? - Eu tenho é pena dele, por não ter nenhum amigo. No fundo eu acho que ele nem fez por mal. Ele só cresceu como um retardado e continuou sendo um.

– Se quer saber, foi ele quem saiu perdendo. Gregory, Anthony e você são ótimos amigos. - Falando assim eu até acredito.

– É, nós realmente somos fodas, mas eu não estou dando autógrafo agora. - Sim, eu sou uma idiota feliz. E Lukas meio que riu da minha brincadeira retardada.

Opa! Espera um pouco aí. Coloca um flash back aí na cena, fazendo favor.

Nós éramos o terror da escola.

Nós éramos mesmo, e o melhor em ser um terrorista era o Tyler. Isso porque aos treze anos ele simplesmente começou a entender muito sobre ser um espião, entrar na sala da diretoria, fuçar em tudo e mudar notas. Aos quatorze ele era mestre nisso. AH! Não acredito!

E o que isso tem a ver com a história? Você descobrirá no próximo capítulo dessa novela.

– Eu acho que nós deveríamos ir. - Lukas cortou os meus pensamentos. O engraçado era que eu não havia me esquecido que ele estava ali.

– Não! Espera! - O que é que eu tô fazendo?

– O que? - Ele olhou para mim, desistindo de se levantar, e eu desviei o olhar. Que situação tensa.

– E-Eu meio que te contei um pouco da minha história... - Esperei um pouco pra continuar. - Você pode me falar sobre a sua? Eu totalmente vou entender se não quiser falar ou se você simplesmente tacar uma pedra na minha testa. Eu só... Só sei que você se mudou pra cá porque sua mãe se casou de novo.

Lukas riu um pouco, sendo acompanhado por um riso sem graça meu, antes de começar a falar. Talvez ele tenha achado isso totalmente estranho, mas incrivelmente ele começou a dizer:

– Essa meio que é toda a minha história. Sério, não tenho muito o que dizer. Só que eu sou alérgico a maçãs, costumo ser tímido e teimoso. Mas eu até que gosto de mim assim mesmo. - Brincou e riu. - Eu e Thomas gostamos de música, e a primeira vez que você foi visitar o nosso quarto nós estávamos improvisando. Thomas toca guitarra e eu... meio que canto.

– Legal. Sabia que Gregory toca baixo? É uma coisa que quase ninguém sabe, e ele parou um pouco por desinteresse. Mas... Só falta um baterista pra vocês montarem uma banda. - Tá aí. Seria uma boa. E eu tenho que admitir que fui totalmente injusta dizendo que a música nem tão música deles era uma barulheira. Eu estava apenas com raiva da vida... E acho também que Lukas estava cantando em alemão, porque eu não entendi nenhuma só palavra da música naquele outro dia.

– Não, não. Eu não canto tão bem. É só por diversão. - Ai, que fofo esse moleque! Ele ficou todo cheio de vergonha.

– Mas um dia ainda quero ouvir você cantando de verdade. - Sorri. - Obrigada... - Quê? Burra, burra, burra! - Você sabe... Por me falar mais de você. - Eu sou mesmo burra!

– Não há de quê. - Lukas deu de ombros, sorrindo tanto que eu até cheguei a achar que as bochechas dele rasgariam. - Nós devemos ir, Anthony realmente pareceu desesperado, além do quê, logo eles servirão o almoço. E eu também não gosto de ficar no meio do mato. Eu odeio mato e natureza... E insetos. Você deve ficar sabendo isso sobre mim também.

Ri um pouco, antes de concordar com ele:

– Então vamos, antes que Anthony tenha um infarto do coração. - Não, do pâncreas, sua esperta. - Aliás, eu também odeio mato e insetos. - Revirei os olhos, enquanto Lukas se levantava.

Queria perguntar quantas namoradas ele já teve e se alguma era tão louca quanto eu, mas deixemos quieto, né?

AH! Lembrei do assunto Tyler! Como ele é bom em ser um espião, ele pode até me ajudar sobre conseguir a ficha escolar da Samantha e descobrir mais sobre ela. Aliás, ele pode me ajudar a não só pegar uma mera ficha escolar, mas também, descobrir sobre toda a vida dela. Inclusive até quantas obturações ela fez nos dentes.

Cara, eu sou um gênio! Só tem um pequeno probleminha: Como é que eu vou conseguir convencer o Tyler de fazer isso por mim?

Calma, eu acho que tenho um plano. E essa seria uma ótima hora para dar uma gargalhada maléfica.

– Você não vem, Emily? - Ok. Não seria não.

– Só estava pensando aqui, acredite ou não. - Sorri e logo me levantei rapidamente, me juntando a Lukas no caminho de volta. Só espero que ele saiba por onde estamos indo.

Tyler, Tyler... Detesto dizer, mas você chegou em uma ótima hora. Apesar de ser um babaca, você já me ajudou a conhecer mais sobre o Lukas e vai ajudar a conhecer mais sobre a Samantha. Duas galinhas com um grão de milho só. Ok. Acho que não era esse o ditado, mas e daí?







Notas finais do capítulo

***Sim, Tyler caiu de paraquedas na história, e foi uma sugestão da rose_cat74. Na verdade, ela só faltou me ameaçar de morte se eu não colocasse ele. E se estão se perguntando qual o propósito dele ter entrado na história, bom, aí é mó segredo. HAUHJHDAHD' /corre
Vocês acabaram de ler quase duasmilequinhentasplavras! Obrigada se você fez isso, sério, obrigada! *-*
Deixe um review, por favor! Eu imploro ajoelhada no milho. Kkk
E eu pretendo agora postar um capítulo semanalmente, já que entrei de férias da escola mas continuo trabalhando. Então... vejo vocês nos reviews.
Êlaiá. ~~