(Nem) Todo Mundo Odeia a Emily escrita por May_Mello


Capítulo 16
Todo mundo odeia ajuda. (Parte II)


Notas iniciais do capítulo

Ê, bagaça. Tava quase postando o capítulo quando sem querer querendo clico em um negócio ali. Nunca dou sorte nesse Nyah!, ele me odeia. u.ú
Enfim.... Oi! :D
Como vão? Espero que bem.
Quero agradecer a paciência de vocês em relação a demora, e dizer que "certas pessoinhas" acertaram qual é a tal "ajuda" do Thomas.
Bom, antes de tudo, quero avisar que esse capítulo está altamente idiota. Não me responsabilizo por futuras mortes causadas por tanta idiotice. {?} -q
... *barulho do vento* ...
'-'
Boa leitura. ♥
AAAAAHHHH! Diacho! Só porque acabei de pro quintal pra postar vai chover?! AAAAHHH! O mundo me odeia! ~~semorre~~ /delírio
-q




“-Digamos que eu queira algo em troca.

–Algo?”


Ok. Esclarecendo os fatos, minha casa havia sido invadida por um maluco – pela segunda vez, só pra lembrar –, esse maluco fez meu pulso latejar, me viu de shortinho, me ofendeu, tirou uma com a minha cara, tocou na minha guitarra intocável e ainda disse que iria me ajudar. Depois disso tudo eu só tenho uma coisa pra dizer:

–Onde é que estão as câmeras, hein?

–Que câmeras, garota? – Ele levou uma das mãos até o pescoço enquanto resmungava alguma coisa em alemão, aposto que estava me xingando. Ui, deve estar doendo depois que eu acabei com ele. Rá! Ok. Isso pegou mal.

–As câmeras da pegadinha. Eu já saquei tudo.

–Não é brincadeira, não. – Ele se jogou na MINHA cama. Acho que estava se vingando por eu fazer a mesma coisa na cama dele aquele dia.

–Vai me ajudar com o quê, seu maluco?

–Vou te ajudar com o Lukas, já que você está apaixonadinha por ele. – Apaixonadinha? Ele falando isso me faz sentir mais idiota do que eu já achava que era.

–Você bebeu, fumou ou cheirou, hein? Quem você pensa que é pra depois disso tudo ainda supor que eu estou “apaixonadinha”?

–Eu sou Thomas Schultz. – Falou convicto, se apoiando com os cotovelos no meu colchão para olhar para mim.

–E Thomas Schultz vai me ajudar? E eu sou a Chapeuzinho Vermelho. – Ironia, oi.

Ridículo e inacreditável. É, essas são as duas palavras que descrevem esse dia.

–Emily... Você é tão previsível, tão fácil de enganar... Tão bobinha que eu decidi te ajudar com ele. – Sorriu convencido novamente.

–EU NÃO QUERO NADA COM O LUKAS! – Negarei até a morte. Fim.

Apesar de ter certeza de que estou apaixonada por ele eu não quero que ninguém saiba, e principalmente não quero que alguém faça algo pra me ajudar, eu tenho que tentar sozinha! Está tudo acontecendo tão depressa!

–Aham. E eu sou a Vovozinha da história agora. – Falou irônico.

–Tudo bem. Você já sabe mesmo. – Me rendi, me jogando na cama, só que bem longe dele. – Como é que você descobriu? – Perguntei sem olhá-lo.

–Eu já comentei que você é muito legível?

–Eu acho que sim. – Revirei os olhos.

–Então, eu sei que você gosta do Lukas e coisa e tal, mas eu tenho que ser honesto: Ele está começando a gostar da Samantha. Por exemplo, hoje na escola enquanto nós ignorávamos as líderes de torci-

–“Nós ignorávamos”? Nós quem? Você é que não era, né? Estava comendo a Zooey com os olhos ontem. – O interrompi, refletindo.

–Apesar dela ser uma patricinha chata e ter brigado com a gente ela é gostosinha. Agora cala a boca e me deixa continuar, inferno!

–Tá. – Ui. Calei.

–Enquanto NÓS ignorávamos as líderes de torcida, o Lukas e a Sam traiam seus companheiros e ficavam se olhando. E além do mais o Lukas me conta tudo. Ele me disse que você é chata e a Sam é legal e que ele está gostando dela. – Isso cortou o meu coraçãozinho ao meio.

–Ele disse que eu sou chata? – Finalmente olhei para ele, que olhava para o teto.

–Não... – Respondeu, virando a cabeça e olhando para mim. – Ainda! – Emendou. – Mas nem precisa, não é? Todo sabe que você é chata.

–Magoou. – Murmurei baixinho.

–Mas você supera. – Ele comentou, rindo.

–Você é chato assim mesmo ou se esforça um pouquinho? – Perguntei.

–Eu me esforço, mas continuando: Lukas fica olhando para a Samantha, e Samantha fica olhando para o Lukas. Então entra você, que fica olhando para o Lukas... Mas ele não te olha. Tem alguma coisa errada nessa história, percebeu?

–Éééé. – Puxei o “É” pra que acompanhasse o meu suspiro de desgosto, enquanto voltava a fitar o teto.

–Então o negócio é bem simples: vou te ajudar com o Lukas.

Jura? Sério? Comecei a rir histericamente. Não dá pra acreditar num negócio desses.

Depois de um tempo parei de rir quando percebi que ele me encarava sério.

–E eu mereço a honra da sua ajuda, oh perfeito deus, Thomas Schultz? – Fiz cena.

–Você está com sorte, é o meu dia de fazer caridade.

–Sorte? Você chama isso de sorte? – É, se isso for sorte só está faltando a cestinha de doces pra completar a história.

–Eu sou a única esperança, acredite. Você não faz o tipo do Lukas, vou te ajudar com isso também.

–E você resolveu que me ajudaria por livre e espontânea vontade? – Perguntei. Ele não me enganada, não!

–Digamos que eu queira algo em troca. – Falou, com uma cara interesseira enquanto se sentava na cama.

Não falei? Não falei, hein?

–Algo? – Arqueei uma sobrancelha, me sentando também.

–Algo que só você tem. Algo único. Algo que depois de ser tirado de você nunca mais voltará. Algo... Especial. – Falou em um Thomas totalmente misterioso. Opa, espera aí...

–Você quer a minha virgindade?! – Perguntei arregalando olhos, após pensar um pouquinho.

–Não, idiota, a sua guitarra. – Falou e um silêncio pairou no local, enquanto nos encarávamos seriamente. Logo depois ele começou a gargalhar, se jogado na minha cama de novo. Me sinto estúpida. Muito, muito estúpida.

Hãn... Epa, epa, epa, epa! Ele quer o quê?!

–Agora eu tenho certeza de que você fumou, e fumou orégano estragado! Você acha que eu te daria a minha guitarra?! – E cada segundo que se passa esse dia se torna mais estúpido.

Ele foi parando de rir aos poucos depois que se sentou novamente, enquanto eu me levantava.

–Você está louco? Olha, se Lukas tiver que gostar de mim ele vai gostar. Não preciso de você! – Concluí. – Fora do meu quarto!

–Eu sou a uni- – Ele tentava falar voltando a rir, mas eu o interrompi.

–FORA DO MEU QUARTO! – Berrei.

–Ok. Mas saiba que depois não adianta chorar quando o Lukas estiver sorrindo com a Samantha. – Disse ainda rindo.

–Você é ridículo! – Exclamei, enquanto abria a porta da minha sacada pra que ele saísse. Ele veio caminhando lentamente em passos desleixados e com um sorriso bobo no rosto.

–Sua única chance já era. – Murmurou assim que passou por mim, e logo depois começou a rir novamente. Nem esperei ele pular para a sacada dele e fechei a porta, dessa vez trancando-a.

–EU ODEIO VOCÊ! – Gritei. Tenho certeza de que ele ouviu.



Notas finais do capítulo

ÓÓÓÓH! O____O
Além de não aceitar a ajuda, Emily ainda xingou e expulsou o Thomas. Medo.
Quero só ver, quero só ver... Mwahaha- cof, cof.
Ah, QUERO AGRADECER MUITO MESMO PELOS REVIEWS, gente linda! :D
Vou respondê-los agora. ~~damça~~
E.. Hãm... FELIZ PÁSCOA, XUXUS! :*
Felicidades ~
P.S: Alguém me manda chocolate? ~~ pisca olhinhos vesgos~~ -q
Agora tudo volta ao normal, então... Até domingo que vem. õ/
Inté!
Bjos&Qjos. :*