Living Only For Love escrita por letstrabach, lissayay


Capítulo 5
Capítulo 6


Notas iniciais do capítulo

eeeeeeeei *-*

#letcia again (:

prontos pra mais um ?

eu tô SKDHKSHDKSH -qqqqqqq



Narrando Christopher.

Quando eu saí da escola, os garotos do time estavam me esperando.

- Christopher, nós vamos pro Barney’s. Quer ir? – Adam me perguntou.

Considerei a idéia. O Barney’s era uma lanchonete que ficava um pouco afastada da cidade. O lugar era caidinho, mas era legal. Tinha as paredes pintadas de alguma cor misturada com outra. Era impossível distinguir qualquer cor que era aquela.

- Acho que não, galera. Quero descansar pra festa. – eu respondi.

- Ah, qual é, Christopher! – Chuck disse.

- Não, galera. É sério. Vou indo nessa. Até a noite. – respondi e me virei.

Enquanto eu andava, a chave do meu carro na minha mão fazia um barulho insistente. Meu carro era o Audi. Eu não gostava daquele carro. Ele era lindo, mas a marcha dele era pesada e a direção também.

Entrei nele, joguei a mochila no banco de trás e liguei o carro. De repente, Samantha estava dentro dele. Seu sorriso era de orelha a orelha. Ela me faria a levar para casa.

- Hey, gatinho. – ela sorriu mais ainda. – Pode me levar pra casa, né?

- Fazer o quê, né. Você já está aqui dentro. – respondi, dando a ré no carro.

Entramos na estrada. Não tinha muitos carros. Fiquei em silêncio enquanto Samantha fazia um barulho com o seu pirulito. Ela também não disse nada. E talvez fosse melhor assim.

Quando eu cheguei na escola, ela nem me notava. Eu consegui uma vaga no time, que a figura mudou. Samantha era interesseira, só se preocupava com dinheiro e nada mais. Ela achava que eu também. Mas eu não poderia colocá-la para fora do carro.

Dirigi até a sua casa com os olhos somente na estrada. O bairro de Samantha era de classe alta. As casas eram quase monumentos. A dela também era. A grama verde no seu quintal, deixava a exuberância para a casa. Ela tinha um tom de verde pouco chamativo, a porta era de madeira colonial. Na frente da casa, tinham duas janelas, a de seu quarto e do quarto do seus pais.

Parei em frente a casa dela, e esperei ela sair. Ela não saiu.

- Não vai descer? – perguntei. Eu não queria ser grosso, mas eu estava querendo ir para casa.

- Eu já estou indo. Só queria te perguntar uma coisa. – ela respondeu.

- Então pergunte.

- Bom, eu sei que a festa não é para ir em pares, mas eu queria saber se você poderia me pegar hoje. – ela disse.

- Olha, Samantha. Isso é complicado. As suas amigas não vão vir pegar você, não? – eu perguntei.

- Não. Na verdade, todas vão com o namorado. Só que eu não tenho namorado, então eu pensei que você poderia me acompanhar. – ela respondeu.

Não queria dizer não. Mas também não queria vir pegar ela. Eu ia à festa, mas só um pouco. Não ficaria muito. Já ela, iria ficar a noite toda.

- Me desculpe, Samantha. Mas eu só vou lá um pouco. Você vai ficar por muito tempo lá.

- Bom, então obrigado mesmo assim. – ela respondeu e se inclinou pra mim.

Seus lábios encontraram os meus. No começo foi um beijo simples, mas depois Samantha já não se controlava mais. Sua língua estava travando uma guerra com a minha. Eu tentava afastar ela de um jeito que não dissesse que eu não gostei, mas sim de que eu não queria aquilo.

Agarrei seus pulsos afim de tirar seu rosto do meu, mas ela entendeu errado. Achou que eu estava correspondendo. Decidir ficar parado esperando ela terminar a varredura na minha boca. Quando ela terminou, já estava sem fôlego. Ela me olhou nos olhos e disse:

- Nos vemos a noite, gatinho. – e saiu do carro.

Aqueles olhos castanhos me lembraram o da tal Ágata Jackson. Os de Samantha não eram nem de perto iguais ao dela, mas eram profundos. Eu sabia que a noite não seria legal. Nem pra mim nem pra ninguém.

Eu não queria ir, mas era impossível contrariar os garotos do time. E eu odiava aquilo.



Notas finais do capítulo

reviews *-* ?