Castlecalibur 3: Acampando escrita por TriceSorel


Capítulo 8
PARTE 8: o charme da Lenda





        Meia hora depois, Leon começou a desconfiar que estava sendo seguido. Olhava pra trás e não via nada.

        - Ele tá desconfiado... – comentou Hector.

        - Se você não fizer tanto barulho, ele não vai descobrir. – disse Trevor, empurrando Hector para o chão no momento em que Leon virou para trás.

        Os dois seguiram acompanhando o rapaz de longe e se escondendo nas árvores e pedras cada vez que ele olhava para trás.

        - Muito estranho... – disse ele, chegando no acampamento.

        Foi até a tenda de Mathias e entrou.

        - Leo, até que enfim! Eu já tava preocupado! Onde andou? – quis saber Mathias.

        - Eu encontrei dois companheiros de Castlevania e acabei seguindo com um deles. Mas aí descobri que eles estão atrás de você, Mat! É melhor a gente fugir!

        - Bem que a Hilde disse que havia caça-vampiros por aqui... mas não se preocupe. Amanhã a gente volta pra casa.

        - A-há, então é aqui que se esconde o terrível Conde Drácula! – disse Hector, entrando na tenda seguido de Trevor.

        - Conde Drácula, sim, mas terrível, não. Que mal lhe fiz? – quis saber Mathias.

        - Você teve uma vida cheia de perversidades e amaldiçoou a vida do seu forjador número um só porque ele pediu demissão, cansado que estava de colaborar com suas crueldades. Vim aqui para acabar com você mais uma vez. – disse Trevor, em tom calmo, mas decidido, empunhando o chicote.

        - Ahn... Belmont? – chamou Hector.

        - Sim? – disseram Leon e Trevor ao mesmo tempo.

        - Ele. – e Hector apontou para Trevor. – Eu acho que ele não é o Conde Drácula. Trabalhei dez anos pro Conde e ele não tinha essa cara.

        - Eu sou o Conde Drácula, e você nunca trabalhou pra mim! – revelou Mathias.

        - Realmente... você não é o Drácula que eu derrotei três anos atrás. – disse Trevor, analisando bem as feições de Mathias. – Ele tinha cabelos longos e brancos, barba grossa, e pele enrugada...

        - Então você deve estar falando do meu tio. Ele morreu há três anos, deixando o título de Conde para mim.

        - Então foi isso... – disse Trevor, com sua voz baixa e séria. – Desculpe a confusão.

        - Ei, que zica é essa aê...? – quis saber Amy entrando na tenda sem avisar, curiosa que estava com aquelas vozes estranhas.

         Hector e os Belmont, que estavam de costas para a entrada, viraram-se para ver a menina.

        - Amy, esses são Hector, o Forjador de Demônios e esse é meu colega de clan Tr... – começou Leon, mas ela o interrompeu.

        - Trevor Bemont, a Lenda?!?!?! – disse ela, incrédula. – AHHH, EU TE AMO!! – e ela se grudou com tudo no rapaz, apertando-o em um abraço de urso. – Eu sou sua fã! Me dá um autógrafo!! LINDOOOO!

        Trevor, sufocando devido a forte pressão em seu diafragma, limitou-se a tentar respirar.

        Hilde, que ouvira os gritos na tenda do lado, entrou sem avisar.

        - Amy, que gritaria é essa? Largue esse moço... – pediu ela.

        - Hilde, é o Trevor Belmont!!! – disse Amy, soltando por um segundo o rapaz.

        - A Lenda?!?! – perguntou Hilde, de queixo caído. – AHHH, EU SOU SUA FÃ!! CASA COMIGO!!! – e Hilde agarrou-se no dito cujo, seguida de Amy, que a imitou.

        - Eu não sei o que elas vêem nele... – revelou Hector, assombrado.

        - Deve ser o sobrenome. – concluiu sabiamente Leon.

        - Mathias, o Leon já chegou? – perguntou Siegfried, entrando na tenda.

        - Olha, Siegfried!! – disse Amy, com uma voz extremamente aguda e dando pulinhos de alegria.

        - Trevor, A Lenda!! – completou Hilde, fazendo a mesma coisa que Amy.

        - Belmont, The Legend?! – disse Siegfried, lembrando da música. – CARA, EU SOU SEU FÃ!!! – e Siegfried abraçou o rapaz com toda sua germânica força. – Depois do Príncipe Rafael, você é meu herói!

        - Chega, vocês tão matando ele! – exclamou Mathias, separando Trevor de seus três fãs.

        - Obrigado... – agradeceu A Lenda com um fio de voz, assim que pode respirar.

        - Bom, agora eu tenho que ir. Preciso procurar o Isaac... tenho assuntos a tratar com ele. – revelou Hector, saindo da tenda.

        - Eu também tenho que voltar pra minha tenda. – disse Sieg e saiu.

        - Eu também. – disse Trevor. – Com licença e até mais.

        Trevor saiu da tenda mediante suspiros de protesto de Amy e Hilde. Mas foi só colocar o pé para fora que uma legião de fãs, dentre eles Bayonetta, Jeanne, Trish, Kyrie, Mileena, Kitana, Sindel, Jade, Amy Rose, Zelda, Rinoa, Aerith, Sephiroth, Peach, Daisy, Toadette, Shanoa e Maria, saíram correndo atrás dele. O rapaz limitou-se a correr muito velozmente.

        - Pra quem enfrentou a legião das trevas, ele até que tá se saindo bem. – argumentou Jean-Eugène a Rafael, que observavam Trevor correndo para lá e para cá seguido de uma multidão.

        - Eu não sei o que elas vêem nesse cara... – desabafou Rafael, um tanto enciumado com o sucesso alheio. – Ele anda desarrumado, usando essas roupas um tanto surradas, as botas sujas de terra... aposto que nem escova o cabelo. Eu sou bem mais limpinho que ele.

        - Talvez a cicatriz seja o charme. Harry Potter também faz sucesso.

        - Que cicatriz nada! O Siegfried também tem a cara rachada no meio e faz menos sucesso que o Kilik. – argumentou o despeitado francês referindo-se à sutil cicatriz na face de seu colega de jogo.

        - Mas conseguiu a vaga de protagonista do Soul Calibur. – argumentou Jean-Eugène.

        - É, tem razão... – admitiu Rafael, e entrou em sua tenda.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Castlecalibur 3: Acampando" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.