Draco e Hermione - o Amor Supera Tudo escrita por raquelsd


Capítulo 8
Capítulo 8- Dia de terror


Notas iniciais do capítulo

Oies! Antes que voces começarema a ler quero ja explicar que não tenho culpa do tamanho da fonte, ja mandei um chamado paro o suporte pois a letra fica enormes e não consigo diminuilas, ja tentei varias coisas.

A segunda que tem um recado importante lá embaixo leiam.
Vamos ao que interressa.




Era sexta-feira, uma semana antes do baile tudo tinha ocorrido com sempre. Suas aulas chatas e cansativas, seu encontros com Draco estavam cada dia melhor, lembrou-se do dia que contou que iria ao baile com o Rony, a cara dele não tem preço.


Flashback:


- Oi, cheguei. – Hermione disse entrando ao salão, o loiro estava em uma poltrona lendo um livro.


- Oi, linda.  - falou a segurando pela cintura e a beijando suavemente.


-Tenho que te falar uma coisa, vou ao baile com Rony e você vai com quem? - o loiro pareceu que foi estuporado na hora que Hermione falou aquelas palavras, na verdade ele não havia pensado com quem iria, estava tão envolvido, mesmo sem querer, com Hermione que não pensou que não poderia ir a sua companhia, mas ela ir com aquela cabeça de cenoura era demais para ele. Respirou fundo para fazer sua voz sair mais calma e indiferente possível, não daria o gosto para ela de achar que estaria com ciúmes. Isto nunca.


-Eu vou com uma garota da sonserina – mentiu ele -, mas Mione... Não tinha ninguém melhor não? Tinha que ser com o pobretão?  - Draco perguntou franzindo o cenho.


-O nome dele é Ronald, certo? - falou a castanha mal –humorada - Na verdade, fui convidada por outros rapazes sim, mas não aceitei, quero ir com quem realmente gosto.


-Então teria que ir comigo. - falou Draco com a voz arrogante.


-E quem disse que gosto de você?- perguntou séria, Draco a olhou e não deixou de pensar se ela estaria falando a verdade ou não, resolveu arriscar a acreditar que era uma brincadeira.


- Então me diga, se não gostasse de mim você não deixaria eu fazer isso. – e beijou seu pescoço suavemente – Nem isso.  - desceu o beijo para os lábios de Hermione, enquanto sua mão passava pelas suas pernas por baixo da saia, ficou a acariciando depositando beijos em sua boca e pescoço por alguns minutos até que a garota se afastou dele.


- Isso pode ser desejo, não nego que você é bom em suas carícias, mas daí a gostar de você é outra coisa. – falou séria. Draco não entendendo o porquê, se sentiu machucado com aquelas palavras, queria que ele tivesse falado que gostasse dele que até o amasse, mais não. Não conseguiu esconder sua cara de frustração, mais resolveu não discutir mais aquele assunto.


- Draco. - Hermione o chamou tirando de seus pensamentos – O que iremos usar?


- Eu já pensei na roupa, pedi para minha mãe deixar em uma loja em Hogsmed, no próximo sábado teremos passeio, e podemos buscá-lo. – falou displicente.


- Fiz alguma coisa Draco? - Falou a garota percebendo que o loiro mudou seu tom de voz.


- Não. – respondeu seco.


- E porque você ficou assim de repente?


- Assim como? – Draco perguntou sem tirar os olhos do livro, mesmo Hermione ainda estando em seu colo.


- Assim, frio e com ar de arrogante. – disse a garota agora com a voz irritada.


- Como você ficaria se você estivesse fazendo de tudo para alguém gostar de você e é essa pessoa simplesmente fala que não gosta de você? – tentou falar frio, mas Hermione sentiu uma pitada de mágoa na voz do loiro, não estava preparada para falar de seus sentimentos para ele, pois nem mesmo ela sabia, mas vê-lo daquele jeito a deixou triste, não queria vê-lo assim.


- Draco falei que não gostava de você, porque o que sinto é maior. – parou para tomar coragem, o loiro levantou os olhos para fitar os da castanha com curiosidade – Eu acho que estou apaixonada por você e isso me assusta. – falou sincera.


    Draco a olhou para ver se extrai algum sinal de mentira, mas não. A garota estava sendo sincera, e agora o que ele responderia? Não queria se mostrar vulnerável, mas não podia não falar nada porque isto estragaria seus planos, ele não havia se esquecido que o objetivo de conquistá-la foi vingar-se do Potty, mais se envolveu demais e agora estava prestes a cair em sua própria cilada, não sabia o que sentia por ela de verdade, mas sabia o que tinha o que falar.


-Eu também estou apaixonado por você - falou dando leves selinhos em seus lábios.
Fim de Flashback.

    Depois daquele dia continuou tudo igual entre eles, mas hoje tem alguma coisa diferente, ele não desceu mais cedo como era costume dele para se encontrarem antes de irem para a aula, e não apareceu na hora do almoço.
- Vou buscar um livro que esqueci no meu quarto. – e saiu deixando os amigos na mesa almoçando.


    Hermione entrou no salão comunal e não viu Draco. O procurou no banheiro, mas estava vazio, foi quando chegou perto da porta do quarto do loiro e ouviu um gemido, como se alguém estivesse sofrendo, chorando. Bateu na porta e o chamou mais ninguém respondeu, resolveu entrar.


-Draco? – chamou com a voz baixa, viu alguém se movimentar em baixo das cobertas e sussurrando palavras inaudíveis, foi andando lentamente até ver Draco se contorcendo, ele estava pálido mais que o normal e tremia compulsivamente.


    Hermione ficou chocada com a imagem que viu, não parecia em nada aquele jovem bonito e arrogante, estava igual há uma criança que precisava de carinho e atenção. Hermione se aproximou dele e colocando sua mão em sua testa, percebeu que ele ardia em febre, conjurou uma bacia com água e panos e começou a passar o pano molhado na testa do rapaz, fez isso durante aproximadamente uma hora. Não gostava de ver-lo daquele jeito, tão vulnerável e indefeso. Queria o Malfoy arrogante que a irritava depois a pegava ferozmente e a fazia esquecer porque brigavam, era assim que o queria, ele continuava a delirar palavras incertas, e tremia.


     Hermione estava começando a ficar desesperada, queria ir chamar a enfermeira, na verdade não soube por que o não fez antes. Decidiu que seria melhor chamá-la porque aqueles delírios não eram de uma febre normal, parecia que Draco estava lutando com alguém que só ele via e percebeu que sua marca estava queimando a pele, não pela febre. Era algo assustador de se ver. Quando ia se levantar sentiu uma mão segurando com força, Draco ainda de olhos fechados disse com um fio de voz, que pareceu a castanha, que era com grande dificuldade que ele falava.


-Fique... Eu preciso de você. - sussurrou o loiro entre gemidos de dor.


    Hermione se assustou, tinha certeza que algo serio estava acontecendo, resolveu ficar ali, sentou-se na cama e colocou a cabeça de Draco em seu colo e começou acaricia seus cabelos, enquanto continuava a colocar o pano em sua testa e outro em seu braço onde a marca ardia.


    Neste momento Hermione começou a pensar no que sentia pelo loiro, realmente no começo sabia que era pura lascívia, desejo de experimentar algo que muitas já provaram. Tirar suas conclusões e saciar sua curiosidade, depois foi para provar que não queria ser mais uma, e sim alguém que o mudou, isso ainda não tinha feito mais sabia que ele havia mudado, pelo menos com ela, e o vendo ali com a fisionomia tão abatida viu como gostava de velo sorrindo, mesmo se fosse aquele sorriso forçado ou de deboche o jeito como tratava as pessoas com superioridade, sabia claro que muitas fezes era humilhante, mas o deixava sexy e atraente.


    O jeito dele, como ele ficava maravilhoso quando dançava, parecia um príncipe. Ali naquele momento soube que não estava apaixonada, porque não gostava somente do lado afetuoso, carinhoso, amoroso ou do lado atraente, sexy dele. Também gostava do lado mal, do lado arrogante da essência dele por completo e não queria perdê-lo, não queria vê-lo triste nem humilhado por ninguém. Deseja o bem a ele mais até que a si mesma. Mais o que era aquilo? O que era aqueles pensamentos se não estava apaixonada? Ela estava o amando. Ela Hermione Jane Granger, amava Draco Lucio Malfoy.


    No momento que Hermione conclui estes pensamentos Draco começou a se debater furiosamente, a garota assustada o abraçou como uma criança com todas as forças que tinha, pois Draco era maior do que ela.


-Estou aqui, fica comigo. - pedia Hermione desesperadamente, entre lágrimas e soluços – Não vai me deixar sozinha agora que descobrir que te amo, você ouviu Malfoy. Eu, uma sangue-ruim que sempre foi desprezada por você, orgulhosa está falando para a pessoa mais arrogante que ela conhece que o ama, volta para você poder ouvi isso, zomba disso. Volta por favor. - Hermione continuava a falar abraçada ao corpo de Draco que parecia se acalmar com a presença da castanha.


    Passado alguns minutos, o que pareceu horas ele já havia se acalmado mais a febre ainda não abaixava, ela já tinha colocado todos os cobertores em cima dele mais nada o fazia para de tremer, resolveu então que ela o iria esquentar. Despiu-se totalmente e deitou em cima dele, não teve vergonha nem pudor porque ali estava o homem que ela amava, talvez ele não sentisse isso por ela mais ela sentia por ele e isto bastaria.

    Draco acordou e sentiu um cheiro invadir suas narinas, um perfume envolvente, sentiu-se confortável, mas não teve coragem de abrir os olhos. Tudo em seu corpo doía. Só o simples gesto de respirar parecia que o fazia de desvanecer em dor.


    Com muita dificuldade conseguiu abrir os olhos, e viu uma pele clara, não tanto quanto a dele, macia e cheirosa em cima da sua, forçou um pouco a visão e notou Hermione debruçada sobre ele em cima de seu peitoral. Tentou pensar no que aconteceu mais só se lembrava de uma voz o chamando de volta, que queria contar que o amava. Tudo era tão irreal, notou então que Hermione estava nua completamente. Draco sonhava no ultimo mês em vela assim, mais até do que imaginou desejar alguém.


    Não queria admitir para ele que esta garota mexeu com ele, ela era especial e apesar de desejar fazer o mal a ela, queria ter como mulher queria ser o primeiro. Mas era uma luta muito forte interior, pois por um lado vinha o desejo da carne no outro tinha seus princípios seus ensinamentos. Já tinha se deitado com diversas mulheres, mais foi ensinado a odiar e desprezar nascidas trouxa.

Elas eram nojentas e impuras, mais aquela não. Hermione não era impura por ao contrario ela era pura totalmente inocente, o que era o sangue dela em comparação ao resto? Todas as vezes que suas carícias chegavam a um nível perigoso ele a afastava, tinha certeza que a garota imaginava que ele era um cavalheiro, mas ele estava em uma luta íntima em negar ou aceitar o fato de estar com desejo e apaixonado por uma sangue-ruim.


Draco sentiu que a garota se mexia em cima dele, olhou para baixo e viu dois olhos castanhos os fitando.


- Draco! – falou a garota dando-lhe um beijo doce nos lábios - Você está bem ?


- Estou me sentido muito fraco, o que aconteceu? – perguntou o loiro. Hermione continuava em cima dele nem percebendo que estava nua.


- Não sei. Quando cheguei para ver porque não tinha ido às aulas, te encontrei com uma febre muito alta, você tremia muito e gemia de dor... Foi terrível. – e Hermione por se lembrar deixou uma lágrima escorrer de seus olhos.


- Não chore. - pediu Draco gentilmente – Você me trouxe de volta. -  e a beijou, um beijo doce cheio de carinho e ternura, os lábios dos dois se uniram com perfeição mais uma vez dando passagem para as línguas se encontrarem, Draco passava a mão nas costas de Hermione  e acariciava seus pescoço, as vezes beijava suavemente eles, enquanto Hermione dava sussurros de prazer.


- DRACO! – Gritara a garota ao perceber algo a roçando entre a perna, bem próximo as coxas.


- O que foi? - perguntou o loiro assustado.


- Você está excitado? – Falou brava.


- E quem não estaria se estivesse beijando uma mulher nua em cima de você na cama? – o loiro respondeu com a voz sarcástica. Foi naquele momento que Hermione se lembrou que estava nua, levantou de cima do loiro enrolada em um cobertor.


- Eu estou assim porque queria ti aquecer ok? O calor humano melhora a febre. - disse ela corada pegando suas roupas e rumou para seu quarto, Draco ficou deitado rindo da cena, ainda se sentira muito fraco para se levantar.
Passado uns vinte minutos Hermione entrou no quarto novamente, tomado banho e trocada, foi direto até o loiro.


- Draco o que aconteceu? – perguntou com a voz realmente preocupada.


- Eu não sei ao certo, Hermione. - falou cansado, a fitando nos olhos, não sabia se falava a verdade agora ou esperava até amanhã onde com certeza todos saberiam, optou por contar meia verdade. – Me lembro de estar sonhando e Voldemort invadiu minha mente, tentei esconder algumas imagens nossas dele, pois é mais seguro, mais o esforço para isso me deixou vulnerável para algumas outras coisas, ele viu que eu o sirvo de mal grado e começou a me torturar. – Draco parou nesta parte vendo o olhar arregalado da castanha.


- Mas se ele estava somente em sua mente, como ele conseguiu isso? – Hermione perguntou espantada.


- Você precisa entender que ele tem meios de tortura horríveis, e esta é uma dela, deixa a pessoa fraca e febril, muitas ficam tão ruim que chegam pedir para que outros a matem, é como lançasse em você cinco Crucius de uma única vez.

Mas você me trouxe de volta, você ajudou a cessar minha febre com seu próprio corpo, não temendo o que eu pensaria ou sua vergonha, eu te agradeço sinceramente por isso. - Draco não mentiu em nada para ela, foi sincero em suas palavras.


- Não precisa agradecer, faria quantas vezes fosse necessária. – Hermione sentiu que o loiro escondia algo. – O que mais? – a garota perguntou e Draco se surpreendeu de como ela o conhecia.


-Para eu provar minha lealdade devo fazer uma coisa por ele amanhã, não queria te contar, porque falei que você conheceria um lado carinhoso e gentil, e amanhã este lado não vai existir. – Disse com a voz triste.


 - Não me importa, quero conhecer todas as faces de Draco Malfoy. – falou o beijando.


    Nada mais foi dito ou questionado, não precisava ser um gênio para saber o que o Lorde pediu a Draco, com a ajuda de Hermione Draco levantou-se e tomou um banho, enquanto isso ela foi até a torre da Grifinória dar uma desculpa aos amigos pelo seu desaparecimento e desceu até a cozinha para pegar uma bandeja de comida para ela e Draco comerem  já havia passado da hora do jantar a muito tempo, os dois estava sentado no chão em frente a lareira acabando de jantar.


- Amanhã vou sair cedo e não sei a hora que volto peso, por favor, não me espere, não quero te ver quando chegar.  – Hermione nada respondeu - Vai até a loja de roupas e pegue nossas fantasias e não as abre, será uma surpresa para o baile.


Logo depois de terminarem o jantar, foram dormir ambos muitos cansados pelo desgaste físico e emocional que tinha vivido naquele dia.

*****************************************************************

Proximo Capitulo...

Tomou fôlego parecendo que estava se preparando para entrar em uma guerra maior do que ela.      -Draco! – ela o chamou ainda com a cabeça em seu tórax.      -Sim. – ele respondeu olhando para ela .      -Me faça sua mulher



Notas finais do capítulo

e ai, curiosos para o proximo Cap? Entaum que tal recomendações? Gente adoro os comentarios de voces, mais vou dar uma de chata e só vou postar quando tiver no minimo 3 recomendações. Não me matem...
Bjos e até o proximo.