Caminho do Ninja Amador (nível II). Missão 04: hífen (parte I)
Postado por Letícia Silveira

Olá, queridos!


Como vocês estão? Bem, quando postei a minha primeira aula, queria muito ter me comunicado com vocês. Então, esse é o meu primeiro contato oficial com esses lindos ninjas noob. Prazer, sou Letícia Silveira e espero que eu possa ajudá-los com o seu português e, consequentemente, ajudar a proporcionar uma ótima leitura a todo o pessoal do Nyah!. O que eu gostaria de destacar, antes de irmos à aula, é que vocês, que sempre acessam as aulas e procuram se informar mais, são vencedores. Sério! O primeiro passo para aprendermos é a força de vontade. Parabéns, galera!
Agora, sem mais delongas, vamos à nossa aulinha sobre o hífen? Se liga que a Reforma Ortográfica não é um bicho de sete cabeças. Ela foi feita para simplificar o uso dessa pontuação e unificar a língua escrita. Sem estresse, então, vamos à missão de quando usar o hífen.

 

------------------------- Lady Salieri se enfiando na aula: 

Queridos nossos, caso precisem de um beta reader para um acompanhamento personalizado, consultem a lista dos betas oficiais do Nyah!Fanfiction. Eles são escolhidos depois de uma pequena seleção e há betas ali que estão apenas esperando o convite de vocês para lhes ajudar, ok? Aqui o link: 

http://ligadosbetas.omeuforum.net/t9-classificados-lista-dos-beta-reader

Um super abraço, e aproveitem os ensinamentos da nossa mestre-ninja-guru-da-gramática Letícia, eu aprendo horrores com ela que me prepara em umas meditações transcendentais aí antes das aulas, sério mesmo. --------------------------

 

Caminho do Ninja Amador. Missão 04.
Meta 01: dominar o uso do hífen.


O hífen (-) já foi ressaltado na aula do travessão. O ponto que estudaremos hoje é usado para unir as partes de palavras compostas (e, se tirarmos uma das palavras, provavelmente perderemos parcialmente ou totalmente o sentido dela). Preste atenção nos exemplos:


Guarda-noturno
Ex-presidente
Bate-boca



"Noturno" caracteriza o guarda, "ex" caracteriza o presidente e "bate-boca" não significaria nada apenas com "bate" ou com "boca" (aliás, é uma expressão, no mínimo, peculiar da nossa língua!).
Conscientizados da importância do hífen, vejamos o que não mudou com a Reforma Ortográfica.


O que se manteve com a Reforma e em que ainda utilizamos o hífen:



1. Para formar termos que se unem para formar um novo significado.


Ou seja, utilizamos o hífen para justapôr (colocar uma coisa logo do lado de outro, no caso, falamos de palavras) que busca descrever algo. O primeiro elemento sempre será um substantivo (o nome de algo), um adjetivo (a caracterização de algo), um verbo (a ação) ou um numeral. Exemplos:

Guarda-chuva Amor-perfeito
Tio-avô Boa-fé
Azul-escuro Criado-mudo
Guarda-noturno Decreto-lei



2. Em palavras derivadas da botânica e da zoologia:


Aquelas que denominam os nomes populares ou científicos de plantas e animais.

Bem-te-vi
Erva-doce
Bem-me-quer


Fora de seu contexto, eles não devem receber hífen. Por exemplo:

Bico-de-papagaio (espécie de planta) Bico de papagaio (deformação)
Olho-de-boi (espécie de peixe) Olho de boi (selo postal)

 

3. Em termos compostos por elementos como além, aquém, recém e sem: 

 

Recém-nascido
Além-mar*
Sem-número


*Em uma região do outro lado do mar.

4. Em casos em que a relação usa os prefixos hiper-, super- e inter- seguidos por um termo que inicia com a consoante "R":


Isso ocorre devido à junção do "R" da primeira palavra com o "R" da segunda. Visto que pronunciamos dois "erres" diferentes, devemos preservar a sua escrita também.

Inter-racial
Hiper-resistente
Super-radical

 

5. Em formações iniciadas pelos prefixos ex- ou vice-:

 

Ex-prefeito
Vice-presidente
Ex-governador

 

6. Em formações iniciadas pelos prefixos pós- e pré-:

 

Pós-graduação
Pré-pago
Pré-natal



7. Em compostos em que o primeiro termo é um numeral:

 

Primeira-dama
Segunda-feira
Primeiro-ministro



8. Em compostos que os elementos, com a sua estrutura e o seu acento, perdem a sua significação original e formam um novo significado:

 

Unha-de-fome
Pé-de-moleque
Couve-flor
Guarda-chuva



9. Em compostos homogêneos (ou dois verbos, ou dois adjetivos):


Lembrando que o adjetivo é aquele que caracteriza algo:

Luso-brasileiro
Azul-escuro
Verde-claro


E também vamos lembrar que o verbo é a ação da frase:

Quebra-quebra (verbo quebrar)
Corre-corre (verbo correr)



10. Em compostos de dois substantivos em que o segundo faz papel de adjetivo:

 

Carro-bomba
Caminhão-pipa
Tamanduá-bandeira


Para verificar se realmente é um substantivo, eu sempre faço um truque que eu aprendi com a minha mente mesmo (é bobo, mas funciona!): basta pegar a palavra e colocar entre "o" ou  "a" e o verbo "é". Por exemplo, "o carro é", "a bomba é", "o caminhão é", "a pipa é", "o tamanduá é" e "a bandeira é". Assim, se a palavra conseguir encaixar no meio, ela é um substantivo. Um adjetivo, por exemplo, não conseguiria se encaixar ali. Porém, é necessário ter um senso crítico: "o brasileiro é", mas é o cidadão ou a pessoa brasileira. Brasileiro é um adjetivo e, muitas vezes, engana na sua função. No resto, esse truque é eficiente.


11. Nos compostos com elementos repetidos:

 

Blá-blá-blá
Tique-taque
Pingue-pongue
Tico-tico



12. Nos compostos com apóstrofo:

 

Cobra-d'água
Mãe-d'água
Mestre-d'armas



13. No advérbio "mal", antes de vogais, "L" ou "H":

 

Mal-estar
Mal-humorado
Mal-limpo



Malcriado
Malvisto
Malquerer



14. Com sufixos de origem tupi-guarani que representam formas adjetivas, como "açu", "guaçu", "mor" e "mirim". 


Utilizamos o hífen nessa caso quando a pronúncia exige a distinção das palavras ou quando o primeiro elemento acaba em vogal acentuada graficamente.

Capim-açu
Anajá-mirim
Amoré-guaçu
Guarda-mor



15. Na ênclise e na mesóclise:


Veremos esse caso futuramente em uma das aulas. Será sobre a colocação pronominal. Não fiquem curiosos, queridos ninjas! Não é tão complexo quanto parece. Apenas tive de mencioná-lo, pois o hífen não deixará de exercer essa função tão cedo.

Disse-lhe
Chantageá-la-á
Tentá-lo-ia

***
Tranquilo? Ou, como diria a Sali, sussa? Esses usos são bem aplicáveis à nossa língua. Agora veremos a tentativa de simplicação da Reforma Ortográfica. Lembrando que ela não alterou quase nada a escrita do Brasil: apenas 0,5%! Não é nem 1%; então, preparem-se! Ah! E os meus miúdos de Portugal, tadinhos. Lá, a Reforma alterou 1,5% e, por isso, enfrentou muito mais preconceito para ser utilizada e estabelecida. Lembrem-se todos: oficialmente, a grafia correta entrará em uso obrigatório no dia primeiro de janeiro de 2013 (se sobrevivermos a 2012). Até agora, estávamos no período de adaptação. Vamos lá?

O que mudou com a Reforma Ortográfica; logo, UTILIZAMOS o hífen:

1. Nas formações em que o termo seguinte inicia com "H" ou com a mesma vogal do final do prefixo:


Lembre-se de que, nesses termos, não se perde o "H", uma vez que a palavra não muda totalmente de sentido sem o prefixo. Aqui, temos apenas elementos a mais que auxiliam na descrição de algo; porém, uma ala semi-hospitalar permanece sendo hospitalar.

Semi-hospitalar
Geo-história
Super-homem

 

Arqui-inimigo
Micro-ondas
Contra-ataque



Com os prefixos "aero", "agro", "auto", "anfi", ""anti", "arqui", "audio," "ante", "cardio", "centro", "contra", "des", "eletro", "estereo", "extra", "foto", "hidro", "infra", "intra", "macro", "maxi", "micro", "mini", "mono", "morfo", "moto", "multi" "neo", "neuro", "oni", "orto", "para", "pluri", "penta", "pneumo", "poli", "proto", "pseudo", "psico", "quadri", "radio", "retro", "sacro", "semi", "sobre", "socio", "supra", "tele", "termo", "tetra", "tri", "ultra", "uni" e "zoo" só devemos usar hífen se a palavra seguinte começar por "H" ou vogal igual à vogal final do prefixo. Nos outros casos, a palavra virá "junta" (sem hífen).


Intra-hepático Neo-hamburguês Intra-adnominal Ante-histórico
Auto-hipnose Semi-inconsciência Supra-hepático Anti-herói
Auto-observação Contra-ataque Proto-orgânico Sobre-humano



Autógrafo Intramuscular Ultracansado Sobrenatural Hidroavião
Contrabaixo Protozoário Suprarrenal Arquidiocese Aeronave
Extraconjugal Pseudorrepresentação Neocolonialismo Antebraço Unicelular




2. Com os prefixos "ad", "ab" ou "od" diante de palavras iniciadas por "R" ou "B":


Visto que o erre teria de dobrar, devido ao som por estar no início da palavra; ao formar o novo termo, ficaria "adrrenal", o que é inviável. Por isso, temos essa regrinha.

Ad-renal
Ab-rogar
Od- rogar


3. Entre o prefixo "sub" ou "sob" e o próximo termo caso ele comece com "B", "H", "R":


Já que o erre também não pode duplicar em uma possível junção ("subrregião") ou visto que o bê não será falado apenas uma vezes na leitura ("subase"), pois serão duas vezes (sub-base), não podemos unir os termos.

Sub-região
Sub-base
Sob-roda


Porém, aqui se encaixam as exceções do agá: quando o significado da palavra muda devido ao "sub", ela se junta, perdendo o hífen. Exemplo: subumano.

4. Com os prefixos "circum-" e "pan-" diante de palavras iniciadas por "M", por "N" ou por uma vogal:

 

Pan-americano
Circum-navegação
Pan-negritude



5. Nos nomes geográficos que contêm os prefixos "grã", "grão" e verbos:


A única exceção é Guiné-Bissau. Os demais nomes geográficos não levam o hífen. Exemplos: Belo Horizonte, Cabo Verde, América do Sul.

Grã-Bretanha
Passa-Quatro
Grão-Pará



6. Quando "afro", "luso", "anglo" e "latino" funcionam como adjetivos pátrios:


Adjetivos pátrios são palavras que caracterizam o lugar, a região ou país de origem da pessoa. Por exemplo:

Ítalo-brasileira
Indo-europeu
Afro-americano





***

É "só" isso por hoje, queridos. Na próxima aula, veremos quando evitar o uso do hífen. Mas ainda não se rendam à preguiça! Falta apenas o nosso super resumo para encerrarmos a nossa aula! Trabalhosa ela foi, mas teremos o nosso merecido descanso, meus caros ninjas...


                                                 UTILIZAMOS O HÍFEN EM

 

Regra: Exemplo:
1. Palavras unidas para formar um novo significado. Guarda-chuva
Tio-avó
2. Palavras da botânica e da zoologia. Não-me-toques (planta)
Bem-te-vi
3. Compostos em que o primeiro termo é um numeral.  Segunda-feira
Primeira-dama
4. Compostos homogêneos (ou dois verbos, ou dois adjetivos). Verde-claro
Corre-corre
5. Compostos formados por dois substantivos, em que o segundo age como adjetivo. Tamanduá-bandeira
6. Compostos com apóstrofo. Cobra-d'água
7. Compostos formados por palavras repetidas. Blá-blá-blá
8. Advérbio "mal", antes de vogais, "L" ou "H": Mal-estar
9. Ênclise e mesóclise. Disse-lhe
10. Formações em que o termo seguintes inicia com "H" ou com a mesma vogal final do prefixo.  Anti-inflamatório
Anti-herói
11. Nomes geográficos com o prefixo "grã", "grão" ou um verbo. Grã-Bretanha
12. "Luso", "anglo", "latino" e "afro" ao funcionarem como adjetivos pátrios. Afro-americano
Latino-americano
13. Locuções consagradas. Cor-de-rosa
14. Sufixos de origem tupi-guarani que representam formas adjetivas. Capim-açu.



***
Finalmente, chegamos ao fim, ao merecido descanso!
 
Foi ótimo poder destruir, com vocês, essa muralha que é a Reforma Ortográfica. Foi um maravilhoso desafio. Espero vê-los abaixo com dúvidas e sugestões (até para esclarecermos na próxima missão). Essa seção é de vocês; então, aproveitem! Nos vemos em breve. Abraços. 

Letícia Silveira e Lady Salieri


Comentários

Delena forever

29/05/2013 às 19:10

Muito Obrigado, Muito Obrigado Mesmo, Me Ajudou Muito.



29/03/2013 às 20:39

Tudo ficou mais claro, mais bonito o paraíso! *o* Aprendi muito, mas vou ler novamente. Até a proxíma.



Lucão

28/02/2013 às 18:47

Eu gostei que a Letícia entrou pra equipe. Nas aulas anteriores, eu olhava alguns comentários e pensava: "Meu Deus! Essa menina é a hokage da gramática. Ela corrige as tias-mestras O.o"

A preguiça está tentando me derrotar, mas vou acabar com ela e seguir para a próxima aula! o/ Ao alto e avante!



Nan3da

16/02/2013 às 23:38

oooi, tava precisando dessa aula... muchas gracias por postar isso... agora sei como se escrevem varias coisas *----*

agora uma perguntinha... eu tenho uma duvida em relação aos betas, com quem eu falo?



Wercton Greyjoy

26/01/2013 às 16:47

Finalmente tomei coragem para encarar esse tão terrível hífen, mas ao lado das melhores professoras fica até fácil ^-^ Agradeço pelos ensinos, mestras. Realmente, vocês são magníficas. XD



Killjoy

07/01/2013 às 22:28

Me ajudou muito.



Letícia Silveira

09/12/2012 às 23:03

Olá, querida Hagome (: Não se preocupe, não. Veja as aulas com calma e leve o seu tempo. Nós não somos tão rápidas assim. xD

E, sobre a tabela, vou mudar isso. Era o caso em que não usávamos o hífen, você está corretíssima. Mas não está incorreto em si, pois malfeito é escrito, realmente, sem hífen. Enfim, muito obrigada pela sua dedicação e atenção. :D Comente sempre! Beijos ♥



Agome_Higurashi

09/12/2012 às 18:46

Eu...estou...quase...alcançando...vocês...

Mas antes de prosseguir, só queria deixar uma nota sobre a tabela de resumo:

8. Advérbio "mal", antes de vogais, "L" ou "H": (exemplo) malfeito (?)

De qualquer forma, essa é uma escorregada insignificante se comparado a todo o maravilhoso trabalho feito até agora, muito obrigada =D



Letícia Silveira

28/11/2012 às 00:07

Olá, queridos.

Martha, muito obrigada pelo seu carinho e pela sua atenção. ^^

E, Freed, muito obrigada pela sua correção. Já alterei na aula. *-*' Realmente, "apóstrofe" só se for a figura de linguagem. xD haha Obrigada pelo elogio também.

Beijos, amores.



Frederico Xavier

27/11/2012 às 23:59

PERFEITO!

Ajudou muito mesmo... tinha muitas dúvidas em relação à hífen...

Só uma correção... Você colocou Apóstrof"E" em: "6. Compostos com apóstrofe".

Grato...