Caminho do Ninja Amador. Missão 03: regra dos porquês
Postado por Lady Salieri

Olá, meus queridos pequenos gafanhotos ninjas da escritura!

 


Sentiram a minha falta? Hã? Hã? Por favor, não respondam porque não quero me constranger. A verdade é que nem eu senti a minha falta, depois da última aula perfeita da Letícia sobre o uso do travessão e da meia risca. Essa menina é um guru da gramática, uma jedi da língua portuguesa; é a pessoa para quem peço orientação nos momentos mais obscuros da minha vida. Juro para vocês. Por isso, vocês podem ter a absoluta certeza de que estão mais do que bem assistidos por essa pessoinha linda.

Mudando de assunto e falando sobre a liga dos betas: meus queridos, por favor, quem quiser ser beta reader, envie primeiro uma mensagem privada (ou MP) para a Cyndichan, o membro responsável pelas admissões na liga. Sim, só pode ser beta reader quem tem conta no Nyah! Tenho visto muita gente se cadastrando no fórum direto, e nós nem sabemos a procedência da pessoa para fazer um primeiro contato. Por isso, a gente não permite a entrada e, só por isso. Então, para estar tudo certinho, escrevam primeiro para a Cyndi (perfil: http://fanfiction.com.br/u/113711/), manifestem a vontade de serem "betas reader", e ela passará as instruções que vocês terão de seguir. Estamos explicados? Espero que sim. Qualquer dúvida, nos mande essas lindezas de comentários que vocês mandam sempre.

E, para não perder o hábito: precisam de um beta reader para acompanhá-los? Só acessar este link: http://ligadosbetas.omeuforum.net/t9-classificados-lista-dos-beta-reader

Não tendo mais o que dizer, comecemos mais uma missão. Se vocês leram o post "Português: nova seção", vocês devem ter notado que, depois desta aula, meio que vocês sobem de nível, certo? Será algo como "O Caminho do Ninja Amador (Nível 2)"... Sobrevivam ao desafio de hoje e comemorem, meus ninjas! 

 
O caminho do ninja amador: missão 03. Meta 01:
Dominar o uso dos porquês


Os porquês parecem uma hidra, assim, um monstro com um monte de cabeças, nos assustando o tempo todo: uma cabeça é o "porque" (junto e sem acento), outra cabeça é o "por que" (separado e sem acento), outra é o "por quê" (separado e com acento) e a mais assustadora é o "porquê" (junto e com acento). É, elas ficam se mexendo e se mexendo, e a gente não consegue acertar nenhuma. Isso até agora, porque, depois da missão de hoje, vocês estarão aptos para destruir esse monstro com um golpe só!

 
Mas por que tantos porquês, tias? Por quê?

 
Não arranquem os cabelos, pequenos gafanhotos, não há necessidade. São tantos porque cada um tem sua função. O que vamos fazer é basicamente descobri-las; e, depois disso, vocês nunca mais serão derrotados de novo.
 
 
Como dissemos acima, nossa língua portuguesa tem basicamente quatro porquês. Vamos ver cada um separadamente:
 
 
1 - Porque (junto e sem acento): é um conector (chamado elegantemente de conjunção) e vai introduzir uma causa, uma explicação ou justificativa. Tem valor aproximado a "pois", "uma vez que" ou "pelo fato de que". 

Vamos ver uns exemplos para facilitar?


 
1. Yusuke queria ir ao torneio porque não gostava de perder uma boa luta. Yusuke queria ir ao torneio, pois  não gostava de perder uma boa luta.
2. Goku não sabia de nada porque Vegeta saíra sem dizer o que devia.

Goku não sabia de nada, uma vez que Vegeta saíra sem dizer o que devia.

3. Kenshin não lutava porque não queria mais ser o battousai. Kenshin não lutava, pelo fato de que não queria mais ser o battousai.


Muitos simples, verdade? Em todas as frases acima, temos o conector "porque" seguido de uma explicação ou exposição de motivos daquilo que veio antes dele. 

 
Esse "porque" aí é aquele das respostas, certo, tias, certo, certo, certo?

 
Errado, pequeno gafanhoto, errado. É algo raro, mas é possível que um "porque" (junto e sem acento) venha em uma pergunta. Pensemos no diálogo:

 
- Ele não vai te perdoar...
- Só porque eu fiz isso?
 
Eu não sei se vocês conseguem "pegar" o tom dessa última pergunta, mas é aquele tom que você usa quando sabe que não fez nada de mais e a outra pessoa está magoada por causa de uma coisa que te parece insignificante. Tentei colocar a situação em contexto; porém, estas são as barreiras da escrita infelizmente...

Mas, no caso acima, o "porque" não está separado e se trata de uma pergunta. Por que, oh, Lorde dos Lordes? Porque, nesse caso específico, se trata de uma interrogação com caráter de surpresa, e, sempre que houver uma interrogação desse tipo, assim como uma interrogação que indique objeção ou dúvida, teremos esse "porque".

Vamos ver mais uns exemplos para fixar?
 
 
1. Pergunta com caráter de objeção: - Não veio porque não trouxe o caderno? Deixa de mentir, garoto!
2. Pergunta com caráter de surpresa: - Você me odeia só porque eu não te chamei para festa?!
3. Pergunta com caráter de dúvida: - Mas a palavra assembleia não deixaria de ter acento porque todas as paroxítonas com ditongo aberto deixam de ser acentuadas?


Em todas essas perguntas, o "porque" foi pode ser substituido por "pois". Tentem depois para que vocês observem bem. 

Além disso, vocês repararam que o tom de todas essas perguntas tem algo, assim, de irônico? É como se a gente não estivesse perguntando, mas querendo ser educados e dizer outra coisa "por baixo dos panos"...

Bom, mas, continuemos...

O "porque" (junto e sem acento) também é usado, raras vezes, como o que chamamos elegantamente de "conjunção subordinativa final". Basta saber que, nesse caso, ele é usado como equivalente a "para que".


Um exemplo, certo?

 
Tudo fizemos porque ele saísse do coma. Tudo fizemos para que ele saísse do coma.


Não gostamos desse uso e não o recomendamos. Mas, para saber que ele existe, aqui está. 


2 - Porquê (junto e com acento): trata-se de um substantivo, de um nome e equivale-se a duas palavrinhas diferentes: uma delas é "motivo", e a outra é "pergunta". Esse "porquê" pode ser substituído por qualquer uma das duas, de acordo com o contexto (é, assim, não dá para substituir pelas duas ao mesmo tempo, porque elas significam coisas diferentes, verdade?), sem prejuízo no sentido da frase. É quase a mesma coisa quando vocês, nas fics, em lugar de colocar o nome da personagem, coloca "o ruivo", "o moreno"... Vocês estão substantivando uma palavra que não é originariamente um substantivo, certo? 

Vamos ver uns exemplos com o "porquê":

 
1. Ninguém sabe o porquê da fuga dele. Ninguém sabe o motivo da fuga dele.
2. Nenhum porquê pode ficar sem resposta. Nenhum(a) pergunta pode ficar sem resposta.


3 - Por que (separado e sem acento): 

 
Esse é o porquê das perguntas, tias? 

 
Também, não, queridos ninjas noob. Esse "por que" pode vir em perguntas e afirmações, mas para cada situação significará uma coisa diferente. Vamos ver: 

a) Nas perguntas: significa preposição POR + pronome interrogativo QUE. Isso para vocês saberem a parte que as tias da escola falam. Mas, basicamente, essa forma poderá ser substituída por "por qual coisa", "por qual razão", "por qual motivo". O "por que" vai vir sempre no início ou no meio das frases, esse é um dado importante. 

Exemplos:
 
1. Por que você estava interessado ontem? Por qual coisa (= pelo que) você estava interessado interessado ontem?
2. Por que ele não lê mais a minha fanfic? Por qual razão ele não lê mais a minha fanfic?
3. Por que todo mundo sumiu da minha vida? Por qual motivo todo mundo sumiu da minha vida?
 
Não sei se vocês sabem, mas há duas maneiras de se fazer uma pergunta: uma é essa - "por que ele não lê mais minha fanfic? - em que usamos o ponto de interrogação. A esse modo de fazer perguntas, chamamos de interrogação direta. 

Mas tem outro modo que chamamos de interrogação indireta. É como quando a gente suspira uma pergunta e ela não sai com esse tom de interrogação, por exemplo: "Ele não sabia por que Ikki agira daquele jeito". É uma coisa que "ele" gostaria de saber, mas não sabe, ou seja, não tem a resposta sobre a atitude de Ikki. Deu para entender?

Notaram que, nessas perguntas indiretas, esse "por que" também virá separado e sem acento? É que vale as mesmas regras feitas para as perguntas diretas, ok?

Vamos ver mais uns exemplos:
 
1. Não sei por que todo mundo gosta de sair sábado à noite. Equivale a: Por que todo mundo gosta de sair sábado à noite?
2. Queria saber por que existe tanta crise no mundo... Equivale a: Por que existe tanta crise no mundo?
3. Ninguém sabe por que você ficou tão calado ontem. Equivale a: Por que você ficou tão calado ontem?

Mas, também dissemos que esse "por que" pode ser usados nas afirmações, certo? Vamos dar uma conferida:

b) No caso das afirmações: elegantemente falando, pode ser a preposição POR + o pronome relativo QUE (ainda veremos sobre o pronome relativo mais adiante, não se preocupem por agora). Nesse caso, será equivalente a "pelo que" ou "pelo qual" (pelos quais, pela qual, pelas quais). 

Exemplo:
 
1. São muitos os caminhos por que passei. São muitos os caminhos pelos quais passei.
2. Todas as razões por que tenho vivido não significam mais nada. Todas as razões pelas quais tenho vivido não significam mais nada.
3. Eu posso amenizar a dor do fato  terrível por que você tem passado. Eu posso amenizar a dor do fato terrível pelo que você tem passado.


4 - Por quê (separado e com acento): esse é o mais simples. Elegantemente, dizemos que se trata de um advérbio interrogativo. Não difere em nada do "por que" (separado e sem acento - no caso das perguntas) em matéria de significado. A diferença é que esse "por quê" vai vir sempre ao final das frases interrogativas, porque o povo combinou que, na língua portuguesa, a palavrinha "que" vem sempre acentuada no final das frases. 

Vamos ver mais uns exemplos?
 
1. Você não veio à escola ontem. Por quê?
2. Existe tanta crise no mundo por quê?
3. Você ficou tão calado de repente por quê?


Oh! Acabaram-se as cabeças da nossa hidra! Era só isso, afinal de contas? A hidra não passava de um monte de minhoquinhas...

Vamos a um resumo da nossa jornada de hoje?
 
                                            Regras dos porquês
1. Porque (junto e sem acento): 
1.1. Conector que introduz explicação ou causa e equivale a "pois", "uma vez que", "pelo fato de que": Ex: Yusuke queria ir porque (=pois) não gostava de perder uma boa luta.
1.2. Pode vir em perguntas que expressam objeção, dúvida ou surpresa: Ex: Ela me odeia só porque (=pelo fato de que) eu não a acompanhei  ao shopping?!
2. Porquê (junto e com acento)
2.1. Palavra substantivada, equivalendo-se a "motivo" ou "pergunta": Ex.1: Ninguém sabe o porquê (=motivo) da fuga dele. Ex.2: Nenhum porquê(=pergunta) pode ficar sem resposta.
3. Por que  (separado e sem acento):
3.1.Nas perguntas (diretas e indiretas): Preposição POR + conjunção QUE. Equivale a  "por qual coisa", "por qual razão", "por qual motivo": Ex.1 (Interrogação direta) : Por que (=por qual razão) ele não lê mais a minha fanfic? Ex.2 (Interrogação indireta): Queria saber por que existe tanta crise no mundo...
3.2. Nas afirmações: preposição POR + o pronome relativo QUE. Equivale a  "pelo que" ou "pelo qual" (pelos quais, pela qual, pelas quais) Ex: São muitos os caminhos por que (=pelos quais) passei.
4. Por quê ( separado e com acento):
4.1.Advérbio interrogativo. Usado no final das frases interrogativas Ex: Você não veio à escola ontem. Por quê?


Cansados, meus ninjas? Tomem um descanso merecido.
Nós nos vemos em quinze dias; e, como sempre, uma honra lutar essa batalha mitológica ao lado de vocês.


 
Lady Salieri e Letícia Silveira


Comentários

Andromeda

11/10/2016 às 12:58

Muito boa a aula! 



CatBlackNight

26/07/2016 às 09:49

Eita, o uso dos porques é realmente coisa de outro mundo! Eu consigo até diferenciar cada um mas na pratica... Nem se fala!



CatBlackNight

26/07/2016 às 09:49

Eita, o uso dos porques é realmente coisa de outro mundo! Eu consigo até diferenciar cada um mas na pratica... Nem se fala!



15/09/2015 às 22:58

Muuuuuuuuuuuito obrigado, eu sou muito ruim em relação aos porquês... Isso me ajudou muito



Myrea Soares

07/08/2015 às 20:38

Gente, vocês são maravilhoosas! Aprender se torna muito mais divertido assim. Obrigada :D



Lay Silva BETA

03/08/2015 às 18:36

Engraçado como a língua portuguesa é difícil.

Obrigada, tias!



Aeternus

26/05/2015 às 21:09

A explicação foi excelente e, quando leio eu consigo entender a diferença, mas na prática rola uma confusão imensa. Acho que os porquês ainda vão me assombrar durante mais algum tempo Ç.Ç



Clara Oswald

21/05/2015 às 21:03

vc me salvou de um vexame imenso... obrigada!



S Charlotte

11/04/2015 às 20:39

Ai senhor... momento em que penso que minha fanfic ta toda errada T.T kkk mas a partir de agora vou começar mais atenção nisso. E obrigado por esclarecer MELHOR, escola eles só falavam: esse vem no final da frase, esse é o da pergunta e esse é o da resposta... Agora consegui entender de verdade!



Sayori

14/02/2015 às 10:01

Brigada! Me ajudou muito, eu nunca lembro dessas regrinhas, mas graças a você consegui gravar. Valeu!