Caminho do Ninja Amador: missão 02. Meta 02 (Parte II): pontuação (II): vírgula
Postado por Lady Salieri

Olá, queridos ninjas noob!


Como vão as férias? Eu já não sei mais o que é isso.
Vim aqui hoje dar um sinal para mostrar que ainda sigo viva. Apenas acabei de passar por um processo super importante no mestrado, mas, com a graça de todos os deuses, fui aprovada em mais essa etapa. Defesa, aqui vou eu! 

No mais, recebemos com muito pesar a notícia do fechamento do Hanashi. Nossa liga dos betas será remanejada temporariamente para um grupo no facebook (beta readers, me procurem para admissão no novo grupo, por favor!), mas como sabemos que será temporário, seguiremos na expectativa pelo novo quartel general da liga. Queridos que precisam de beta readers, acessem no hanashi a página dos classificados beta e copiem a informação dos betas que mais lhe interessem, a lista continua valendo mesmo depois do fechamento da plataforma, ok?

Ah, e uma outra coisa. Geralmente recebemos algumas mensagens referentes ao gerenciamento de conteúdo no Nyah! Fanfiction, algumas dúvidas técnicas, alguma recomendação que não saiu no tempo hábil, coisas do estilo. Nah e eu estamos responsáveis pelo caminho ninja e por assuntos referentes à revisão textual, betagens e temas afins. Essas mensagens de cunho mais técnico devem ser mandadas para a moderação do site, certinho? Porque não adianta muito vocês mandarem para nós, tendo em vista que simplesmente vamos aconselhar vocês a procurarem os moderadores...

Não tendo mais o que dizer, seguimos em missão.


Caminho do ninja amador. Missão 02. Meta 02:
Dominar a vírgula (parte 02)




Dando sequência (que não tem mais trema, aqueles dois pontinhos que ficavam em cima do u e eu não vou colocar aqui porque certeza o sistema não vai aceitar, prontofalei), vamos continuar subindo a montanha da vírgula. Não será hoje que chegaremos ao topo, mas chegaremos. Falhar  não é opção para ninguém aqui e ainda falta ver alguns aspectos sobre o emprego da nossa amiga de todas as horas, a vírgula. Convenhamos, é impossível ler um texto de forma agradável se as vírgulas estiverem todas mal colocadas. Então, realmente, realmente, é melhor fazermos dela uma amiga que uma inimiga.

E estamos falando isto desde o início, mas vamos repetir aqui porque é importante: os sinais de pontuação não marcam meras pausas no texto, porém, marca as relações entre as frases. A gente não deve colocar uma vírgula cada vez que a gente acha que deve "respirar" durante a leitura do texto. Uma pessoa em crise de asma escrevendo nessa lógica deve ser uma maravilha! Não que ela deveria escrever durante uma crise de asma, mas só para vocês imaginarem.

Continuando sobre o uso da vírgula.

Vamos usar a vírgula:

1 - Antes dos advérbios "sim" ou "não", quando são respostas de uma pergunta ou quando estão independentes na frase. Exemplo:

Você vai ao cinema hoje?
Não, no domingo. Sim, no domingo. (exemplo meramenete didático, porque ele não responde à pergunta acima).



Por que a vírgula foi usada antes do "no domingo"?

Elementar, meu caro Watson, para evitar ambiguidade (que palavra horrorosa sem o trema!). Se tiramos aquela vírgula dali, o que vira?

Você vai ao cinema hoje?
Não no domingo. Sim no domingo. (exemplo meramenete didático, porque ele não responde à pergunta acima).



Se no primeiro quadrinho temos uma resposta direta, de uma pessoa que sabe quando vai ao cinema, no segundo quadro temos uma resposta meio vaga de uma pessoa que só sabe quando NÃO vai ao cinema! Acontece às vezes, não é?

Mas no caso do "sim" nem deu ambiguidade...


 
E vocês acham que deve haver duas regras para a mesma categoria? Meu Deus, se uma regra já é difícil de entender, imaginem duas!
 


Mas, tias-mestras, quando alguém me pergunta alguma coisa e eu falo o "não" no final da frase, como fica?



É uma pergunta bastante pertinente, pequeno gafanhoto-ninja da escritura, apesar do tias-mestras. Nesse caso, aplicaremos a segunda parte da regrinha, aquela que fala que devemos separar o advérbio "não" quando ele for independente na frase. Vamos ver:

Você vai ao cinema hoje?
Não vou, não.  Vou, sim.



Explicadíssimo? Sem armadilhas? Passemos.


2 - Devemos usar a vírgula para separar elementos repetidos. Exemplo:

Era realmente, realmente, realmente muito grande.
A escola, a escola foi destruída --> Vocês gostariam, não é? Só no exemplo, viram? Hehehe.



Adivinhando os pensamentos de vocês, vamos responder por que: Primeiro, para enfatizar. É evidente. Segundo, para que os demais entendam que não é que vocês tiveram um problema de visão, ou saíram vomitando a mesma palavra repetidas vezes no texto, mas que a repetição é proposital.

Tudo certo? Vamos lá!


3 - Vamos usar a vírgula para separar o vocativo, queridos nossos, isso é muito usado nas fics e é necessário aprender.


E o que é vocativo mesmo?

 
 
Vocativo, olhem para vocês verem (expressão mineira adequda gramaticalmente haha) que lindo, é uma palavra que vem do latim vocare (todo mundo usando nas fics!) que significa "dirigir a palavra a alguém". Lindo, não é mesmo? E vocare não lembra "evocar"? Pois é daí que vem esta palavra. Na "linguagem popular", vocativo é aquela pessoa com quem uma personagem conversa no texto - ou uma coisa, se a personagem conversar com a vassoura, ou o ursinho de pelúcia. E antes do nominho dele, nos diálogos, deverá vir uma virgulinha, se o nominho estiver no finalzinho do diálogo; ou entre vírgulas, se estiver no meio do diálogo. Olha que gracinha. Vamos ver um exemplo (ia escrever no diminutivo, mas qualquer diminutivo de exemplo fica horrível!). Vamos até colocar um exemplo que recebemos no Facebook, que é perfeito para vocês lembrarem:


A:  Vou tomar banho e já volto.
B: Ok.
A: Voltei homossexual.
A: Voltei, homossexual.
B: Hahaha, uma ducha te deixou homossexual?
   

O que uma vírgula não faz, não é? Especialmente quando você quer, sem sucesso, chamar seu amigo de homossexual...

Nem precisamos explicar muito o quadro, ele é quase autoexplicativo. Simplesmente, o menino queria chamar o amigo "pelo vocativo" homossexual, mas como ele não marcou esse vocativo com a vírgula, quem virou o homossexual foi ele mesmo. Também nem precisamos enumerar mais nada a partir disso, porque já se nota a importância do emprego da vírgula nesse caso. Mas, havendo alguma dúvida, aqui mais três exemplos do uso do vocativo:


Tia, a senhora vai à minha casa? Vocativo no início da frase.
A senhora, tia, vai à minha casa? Vocativo no meio da frase.
A senhora vai à minha casa, tia? Vocativo no final da frase.



4 - Devemos usar vírgula também para separar termos deslocados de sua posição original na frase:


O livro de matemática, você se lembrou de trazer?


A ordem direta dessa frase seria: Você se lembrou de trazer o livro de matemática? Sempre vamos aconselhar usar frases em ordem direta, porque, como vocês viram, é bem menos complicado. Mas, no caso de vocês usarem frases nessa mesma estrutura, não se esqueçam de separá-las por uma vírgula.



5 - Vamos usar a vírgula também  para separar "paralelismos".


Espera, como assim paralelismo? Agora a gente precisa até aprender matemática para escrever?


Não, queridos, os paralelismos, em língua portuguesa, consistem em uma sequência de expressões com estrutura idêntica. Vamos ver um exemplo, antes que a gente perca algum de vocês em algum buraco pelo caminho:


Tal pai, tal filho.
Não vou a jogos, não vou a bailes.
Quer queira, quer não.

 

Na primeira frase, por exemplo, temos pronome + substantivo (vírgula) pronome + substantivo. Os termos são separados por vírgula porque têm a mesma importância, ou seja, um não está subordinado ao outro (subordinado mesmo, naquela relação em que um está sob as ordens do outro hehehe). Obviamente, alguns casos, como o segundo, há a opção de acrescentar um "e", mas o "e" é um conector que realmente liga frases com a mesma ordem de importância.
Achamos um artigo bem interessante na internet onde constam paralelismos em diversos "âmbitos", como o âmbito sintático e semântico. Isso é importante na hora da construção das frases e, por isso mesmo, vamos retomar esse assunto no caminho do ninja semi-profissional. 



6 - Também vamos usar a vírgula para separar elementos que indicam circunstâncias - se eles estiverem no início e meio de frase. Um exemplo para facilitar:

À noite, fazia muito frio.
Todos os dias, à tarde, choveu naquele mês.


Para que vocês não fiquem muito perdidos, o advérbio é aquele que acrescenta uma circunstância ao verbo na frase. No caso dos exemplos, "à noite" e a "à tarde" são as circunstâncias em que "fazia" (verbo) frio e que "choveu" (verbo) bastante. Ficou muito complicado?



7 - Vamos usar a vírgula para indicar a elipse de um termo. Não é eclipse, não. "E-LIP-SE" (me imaginem falando, mas nunca separem essa palavra assim). Não confundam, pelo amor dos deuses do Olimpo. E também não tem nada a ver com a matemática, não, hein! Elipse é quando a gente esconde na frase um termo que é fácil de perceber que ele está escondido. Vamos a um exemplo para vocês entenderem com mais clareza:


Minha amiga estava alegre; eu, triste. Ou seja, aqui temos, na 2a frase, a palavrinha "estava" escondida antes da palavra "triste". E isso é fácil de ver, ou não?
Ontem, nebulosidade; hoje, sol e amanhã, chuva. Sem a elipse seria assim: Ontem houve nebulosidade; hoje haverá sol e amanhã haverá chuva.

 
Não há muito o que dizer aqui, não é mesmo? Se a gente se esquecer da vírgula, as elipses não serão imediatamente percebidas. A pessoa teria que ler e reler e reler até entender o que estaria sendo dito. E, admitamos, ler e reler e reler a mesma parte em busca de um sentido não é divertido!



8 - E vamos usar a vírgula para colocar em destaque redundâncias que vierem antes do verbo.
Não é nada de outro mundo. A regra é muito mais estranha que a situação em si. Vamos a um exemplo:


Os livros, eu os recebi hoje.
 


Esse pronome "os" aí se refere a livros. Então é como se a frase fosse: Os livros, eu recebi os livros hoje. Mas para evitar de repetir a palavra livros, optou-se pelo pronome "os". Mas é uma redundância porque se fala de livros e depois se fala de livros de novo. Mas, para destacar até mesmo o fato de ser uma redundância feita de propósito, se coloca a vírgula.

Bom, acho que é hora de armar nossas barracas. Pode ser por esse terreno aqui mesmo. Parece apropriado. Em 15 dias terminaremos nossa caminhada.



E, para terminar, um resuminho da nossa jornada de hoje:

Uso da vírgula (parte II)
Uso Exemplo:
1. Antes dos advérbios "sim" ou "não", quando são respostas de uma pergunta ou quando estão independentes na frase. A: Você vai ao cinema hoje?
B: Não, no domingo.
2. Separar elementos repetidos. Essa casa era realmente, realmente, realmente grande.
3. Separar o vocativo. A senhora vai à minha casa, tia?
4. Separar termos deslocados de sua posição original na frase. O livro de matemática, você se lembrou de trazer?
5. Para separar "paralelismos". Tal pai, tal filho.
6. Separar elementos que indicam circunstâncias no início e meio de frase. À noite, fazia muito frio.
7. Indicar a elipse de um termo. Minha amiga estava alegre; eu, triste.
8.Colocar em destaque redundâncias que vierem antes do verbo. Os livros, eu os recebi hoje



Queridos, mais uma vez, uma honra participar dessa missão junto com vocês. Nos vemos em breve.


                                                                                                          Lady Salieri e Nah Rangel.






Comentários

Camila-chan

03/10/2015 às 01:24

adorando as aulas!! *-*



Cleozinha

25/07/2014 às 16:14

Não entendi essa parte, porque tem vírgula? ( por mim eu não colocaria vírgula... kkkk)

Você vai ao cinema hoje? Não vou, não. Vou, sim.

Gabi Namjoon

24/06/2014 às 16:24

Com toda essa explicação acho que tenho muito mais a aprender antes de postar uma fic.



Velvet Blue

04/01/2014 às 23:55

Eu não tive problemas com vírgulas, mas achei interessante dar uma espiada na aula pelos termos técnicos, sabe? Obrigada, tias!



Aika

21/12/2013 às 20:22

Senpai,muito obrigada.amei a aula



Vitory Mona

01/05/2013 às 12:15

Entendi ! Aleluia já ai ali bater a cabeça na parede.



Vitory Mona

01/05/2013 às 12:15

Entendi ! Aleluia já ai ali bater a cabeça na parede.



Srta Millet

29/03/2013 às 01:14

Haha, gostei muito da aula, senpais! >.< Eu na verdade achei que não tinha dúvidas com vírgula, mas tinha =/ Mas ao mesmo tempo foi bom porque esclareci isso duma vez! To ansiosa pra aula de travessão e de porquês;Jya ne, até a próxima aula!



Lady Salieri

13/02/2013 às 16:09

@Lucão, fiote. O word realmente me mata demais de raiva quando ele come aquela vírgula do vocativo. Nossa, você não tem noção. Eu tentei pesquisar o porquê de acontecer isso, mas não tive muita sorte... Eu penso que, como se trata do nome de uma pessoa, ele computa como sujeito, e, como não separamos sujeito de predicado, ele coma a vírgula. Enfim. No caso do vocativo, você pode xingá-lo, sim, por favor. Una-se a mim na minha corrente ahuahuahuahuahau.

 

Abração!



Lucão

13/02/2013 às 14:43

Tias-mestras, então quer dizer que o Word está errado? Sempre que coloco um vocativo no fim da frase, ele diz que tem um erro de pontuação e tira a minha vírgula. O que eu faço? Ignoro e deixo a vírgula, tiro ou mando um e-mail xingando a Microsoft?