Caminho do Ninja Amador: missão especial. Meta 01: crase (parte II)
Postado por NR

Olá, queridos ninjas noob! Que prazer encontrá-los firmes por aqui em nossas missões. Ficamos muito felizes em ver a participação e os comentários de todos, mas não se esqueçam de que, se notarem algum erro durante a aula que passou despercebido, podem dar um grito que nós ajeitamos aqui, certo?
Sem mais enrolação, comecemos a segunda parte do estudo sobre a crase.

Antes de iniciar, gostaríamos que pudessem dar uma olhadela na tabela do fim da aula passada apenas para relembrar as situações de ocorrência da crase. Já deram uma revisada? Pois bem, vamos lá.


Missão especial
Meta 01: Dominar  a crase (parte II)
                                                                


Estão bem lembrados da fuuusão da aula passada? Então, estejam preparados para o momento certo de dizer... fuuusão, pois ainda usaremos bastante por aqui.

Vocês se recordam de usar estas palavras alguma vez na vida?

 aquela(s)  aquele(s) aquilo


Sim? Não? Pois bem, estas palavrinhas são os chamados pronomes demonstrativos.

E são demonstrativos por quê?


Por que demonstram a posição de algo ou alguém no espaço e no tempo em relação à pessoa do discurso (quem está falando). Entenderam? Não? Vamos exemplificar:

Aquela foto que ele tem na mão é antiga.
Aquele dia foi o mais feliz da minha vida.
Maria, aquela menina estranha cresceu e hoje está muito bonita.



Certo? Mais ou menos? Enfim, pronomes demonstrativos demonstram algo, correto? Mas qual a razão de estarmos falando em pronomes? Já irão entender: É que diante de pronomes demonstrativos, esses que acabamos de mencionar (aquele, aquela, aquilo),haverá crase sempre que o termo regente (o verbo que diz a ação) exigir a preposição “a”. E, vejam, juntando essa preposição “a” + o “a” inicial de qualquer um desses pronomes o que ocorre? Fuuusão!!!!!


Muito bem, observem: 


                                   

Fui a + aquele monumento sobre a Independência do Brasil.

                        ↓    ↓
                             prep.  +  letra inicial igual (a)                                   
                                    ↓

Fui àquele monumento sobre a Independência do Brasil.



O termo regente do exemplo acima é o verbo transitivo indireto fui (quem foi, foi a algum lugar) e exige preposição, portanto, ocorre a crase.

Viram? Interessante, né? Agora observem este outro exemplo:

Aluguei aquela casa.


O verbo "alugar" é transitivo direto (alugar algo) e não exige preposição. Logo, a crase não ocorre neste caso. Vejam outros exemplos:

Dediquei àquela senhora todo o meu trabalho.
Quero agradecer àqueles que me socorreram.
Refiro-me àquilo que aconteceu com seu pai.
Não obedecerei àquele sujeito.
Assisti àquele filme três vezes.


Vejam: 

dedicar - quem dedica, dedica algo a alguém;
agradecer - quem agradede, agradece a alguém;
referir - quem se refere, se refere a alguém;
obedecer - quem obedece, obedece a alguém ou a algo (leis, regras);
assistir (aqui, no caso do exemplo dado) -  quem assiste, assiste a algo ou a alguém.


Nesses exemplos os verbos exigem a preposição "a", então ocorre a crase, ok?

Agora vejam estes exemplos:

Espero aquele rapaz.
Fiz aquilo que você disse.
Comprei aquela caneta.



Nesses exemplos acima, os verbos não exigem preposição, então não ocorre a crase.

Até aqui tudo certo? Nenhuma dúvida? Qualquer coisa é só levantarem a mão. Continuando...

E, por acaso, ainda falando em pronome demonstrativo, chegamos a mais uma ocorrência da nossa querida crase, pois é, aqui está: Crase com o pronome demonstrativo "a".


Mas como assim “a” é um pronome demonstrativo se não vimos antes? 

 
Bem, para tudo existe um explicação: “a” ou “as” serão pronomes demonstrativos quando equivalerem a aquela e aquelas (que são os pronomes demonstrativos), entendido? Melhor exemplificar:

Esta caneta é semelhante a + a que me deste. (Esta caneta é semelhante a aquela que me deste).
                                        ↓    ↓                                                
                                  prep. +  pron. demonstrativo
                                        ↓                 
Esta caneta é semelhante à que me deste. (Esta caneta é semelhante àquela que me deste).


Melhorou, né? 

Prosseguindo por que a estrada é longa.

 
A ocorrência da crase com o pronome demonstrativo "a" também pode ser detectada através da substituição do termo regente feminino por um termo regido masculino. Veja:

                                 
Minha revolta é ligada à do meu país.     Meu luto é ligado ao do meu país.
As orações são semelhantes às de antes.  Os exemplos são semelhantes aos de antes.
Aquela rua é transversal à que vai dar na minha casa.  Aquele beco é transversal ao que vai dar na minha casa.
Suas perguntas são superiores às dele.   Seus argumentos são superiores aos dele.
Sua blusa é idêntica à de minha colega. Seu casaco é idêntico ao de minha colega.


E ainda falando em pronomes... Quem sem lembra dos pronomes relativos? Ninguém? Como?! 

Bem, vejamos:


Pronome relativo é uma classe de pronomes que substituem um termo da oração anterior e estabelecem relação entre duas orações, certo? Não? Vamos lá mais uma vez, os pronomes relativos representam nomes já mencionados anteriormente e com os quais se relacionam. Geralmente introduzem as orações subordinadas adjetivas, mas isso é assunto para mais adiante. Estes são os pronomes relativos que usaremos agora:

a qual  as quais


 A ocorrência da crase com os pronomes relativos a qual e as quais depende do verbo. Se o verbo que rege esses pronomes exigir a preposição "a", haverá crase. É possível detectar a ocorrência da crase nesses casos, utilizando a substituição do termo regido feminino por um termo regido masculino. Por exemplo:

A igreja à qual me refiro fica no centro da cidade.  O monumento ao qual me refiro fica no centro da cidade.
                       Caso surja a forma ao com a troca do termo, ocorrerá a crase.


Vejam outros exemplos:


São normas às quais todos os alunos devem obedecer.
Esta foi a conclusão à qual ele chegou.
Várias alunas às quais ele fez perguntas não souberam responder nenhuma das questões.
A sessão à qual assisti estava vazia.



Deixando os pronomes um pouco de lado, lhes apresento as locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas! Que legal, né? Já se conheciam? Espero que possam se dar bem... Enfim, a crase  deve ser indicada nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas formadas a partir de palavras femininas, pois, nesses casos, estaremos diante da sequência constituída de preposição + artigo feminino. 

O quê? Não entendi nada! Explica melhor!

Locuções adverbiais:    às vezes, à noite, à tarde, às claras, à meia-noite, às três horas.
Locuções prepositivas:  à frente de, à beira de, à exceção de.
Locuções conjuntivas:   à proporção que, à medida que..


Mais algumas:

à tarde
às ocultas
às pressas
à medida que
à noite
às claras
às escondidas
à força
à vontade
à beça
à larga
à escuta
às avessas
à revelia
à exceção de
à imitação de
à luz
à esquerda
às turras
às vezes
à chave
à direita
à procura
à deriva
à toa
à sombra de
à frente de
à proporção que
à semelhança de
às ordens
à beira de  



Exemplos:

Estou cansada à beça.
O menina corre às pressas até o mercado para comprar fermento para sua mãe.
Estou às ordens para o que precisares.


Quando se indica uma hora específica por meio de uma locução adverbial, utiliza-se artigo antes do numeral e, portanto, a crase de preposição com o artigo deve ser marcada na escrita com o acento grave. Quando, no entanto, a referência à hora for genérica, utiliza-se apenas a preposição e, portanto, não ocorre crase. Compare os exemplos:

Minha filha nasceu à uma hora do dia vinte e três de setembro de 1976.
Passarei aqui a uma hora qualquer, um desses dias, para visitá-la.


Finalmente chegamos à nossa última ocorrência de crase de hoje,  crase e a palavra distância.

Se a palavra distância estiver especificada, determinada, a crase deve ocorrer. Por exemplo:


Sua casa fica à distância de 100 Km daqui. (A palavra está determinada.)
Todos devem ficar à distância de 50 metros do palco. (A palavra está especificada.)


Se a palavra distância não estiver especificada (ou seja, não existir nada que especifique a distância, que particularize seu sentido) , a crase não pode ocorrer. Por exemplo:

Os militares ficaram a distância.
Ensinou a distância.
Gostava de fotografar a distância.
Reconheci o menino a distância.
Dizem que aquele médico cura a distância.


Observação: por motivo de clareza, para evitar ambiguidade, pode-se usar a crase. Veja:

Gostava de fotografarà distância. Para não parecer que o fotógrafo gosta de fotografar coisas distantes.
Ensinou à distância. Para não parecer que o professor ensinou a definição da palavra "distância".
Dizem que aquele médico cura àdistância. Para não parecer que o médico cura "a distância" (tanto de gente doida que existe no mundo, vai que alguém colocou o nome na filha de "distância"...)

     
   
Para finalizar, um texto sobre a crase:
 


O cardápio e a crase
O caso

A comida estava insossa, o atendimento foi “amargo” e a conta ficou “salgada”.
E...alguns restaurantes estão devendo qualidade.
E, se não bastasse tudo isso, ainda tem o menu. Bem, eu prefiro cardápio. Se possível, escrito em bom português. [...]
Dizem que, se os nossos cardápios fossem escritos em língua portuguesa, haveria um “festival de crase”. É verdade. Nos nomes da maioria dos pratos, está subentendida a expressão “à moda de”. [...]
No entanto, devemos tomar alguns cuidados. Um “churrasco à Oswaldo Aranha” merece o acento de crase, pois significa um churrasco “à moda ou ao estilo de Oswaldo Aranha”. Isso não ocorre no “frango a passarinho” [...]. Outro caso semelhante é o “bife a cavalo”. [...]
Pelo visto, a crase está tirando a fome de muita gente.
Pior é o restaurante que faz “entregas à domicílio”. [...] Na verdade, nem a preposição “a” se justifica. [...].


SILVA, Sérgio Nogueira Duarte da. Língua viva II: uma análise simples e bem humorada da linguagem do brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. P. 49-50. (Fragmento).



RESUMO:
Haverá ocorrência de crase diante de:


Pronomes demonstrativos + preposição exigida pelo verbo regente:  aquela, aquelas, aquele, aqueles, aquilo.    Fui àquele monumento sobre a Independência do Brasil.
Pronomes demonstrativos + preposição exigida pelo verbo regente:  "a" e "as" equivalendo a aquela e aquelas Esta caneta é semelhante à que me deste. (Esta caneta é semelhante àquela que me deste).
Locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas formadas a partir de palavras femininas (preposição = artigo feminino):  à tarde, à noite, às pressas, às claras... Estou cansada à beça.
Pronomes Relativos a qual, as quais + preposição exigida pelo verbo regente:  a qual, as quais A igreja à qual me refiro fica no centro da cidade.
A palavra distância - especificada:  distância quando especificada   Sua casa fica à distância de 100 Km daqui.


Bom, por hoje é só pessoal. Lembrem-se: críticas, sugestões, elogios sempre são bem vindos, até mais. Beijos.

                                                                                                                                                                                                             Lady Salieri e Nah Rangel.
   

       
      
       


   
 

 


Comentários

Koyuki

15/12/2015 às 16:15

Impressionante a clareza com que transmitem o conhecimento por aqui. Parabéns xD



Gabriella Jackson

06/10/2015 às 14:41

Mds! Estou indo bem até... É sério! Meu professor de LP deveria ser despedido e ser trocado por ti, minha cara Sherlock ♥



22/09/2015 às 03:06

Me caderninho de resumo esta ficando recheado, e continuarei esta jornada para me tornar um Ninja Supremo



LRB1805

09/07/2015 às 10:22

Só não entendi direito a parte do a qual e ao qual... Poderiam me explicar, por favor?



Akira

14/04/2015 às 09:49

entendi tudo otima explicaçao .

quando uma palavra por exemplo:

a menina aquela do 7 ano e bem divertida

isso tem craser pos esta ser referindo a alguem e porque tem o pronome a crase sao os que começam com os pronomes a as , o os

mas uma coisa e , es sao pronomes que ocorem a crase



Benetonasshu no Mime

05/01/2015 às 15:55

Ótimo, uma forma dinâmica, simples e divertida de explicar algo complexo.



Thefy Bocelli

17/12/2014 às 00:30

Gostei! Muito bem explicada e interessante aprender sobre a crase! Estou amando! Ninja noob aprendeu! :D



Peegakat

20/06/2014 às 02:35

Ninja noob tirou suas dúvidas. Ninja noob subiu na vida. Ninja noob agradece =D .



AlexieL

31/01/2014 às 08:51

Muito boa as aulas, e o quadro resumo ajuda muito pra pessoas no meu caso que esquece de tudo um dia depois kkk



Sam Li

08/01/2014 às 13:36

Xiiii, me embolei um pouco nessa aula :( Masnpelo menos entendi algumascoisas :-)