Quando Seus Olhos Brilham

Autor(es): Dessa Farkash s2


Sinopse

'' Meu nome é Ella. Não sei quem sou, não sei quem está ao meu redor, não sei o que está ao meu redor. Sinto calafrios, sinto medo, sinto sua falta. Não sei do que sinto, nem o que sinto, coisas estranhas me deixam confusa, as pessoas me enganam e me deixam. Mais um motivo para desvendar quem eu sou. Meu sonho é este, descobrir quem sou eu. Mas quero alguém que me mostre isso, mas vou continuar calma, afinal, a vida continua e vai ter alguém que aparecerá na minha vida para me entender e me amar.''


Notas da história
A história pode conter: Linguagem imprópria, entre outros. Recomendado para +16 anos. (Não serão postas cenas tão fortes, mas é um aviso que pode conter insultos).

Índice

(Cap. 1) Quem sou eu - Introdução a história -
(Cap. 2) O primeiro dia
(Cap. 3) Antes de tudo
(Cap. 4) Cabeça, ombro, joelho e pé
(Cap. 5) Fique perto de mim
(Cap. 6) Miss you
(Cap. 7) A verdade vai se revelando
(Cap. 8) A verdade vai se revelando - Parte 2
(Cap. 9) Prometo não te machucar
(Cap. 10) Tudo ou nada
(Cap. 11) Pode se esquecer
(Cap. 12) A sintonia ''perfeita''
(Cap. 13) O pesadelo começou
(Cap. 14) Rest in peace
(Cap. 15) Heart A Mess
(Cap. 16) Avesso da solidão
(Cap. 17) Fic pausada
(Cap. 18) Glow of saturday night
(Cap. 19) Lilith e suas presas
(Cap. 20) Capítulo Final


(Cap. 1) Quem sou eu - Introdução a história -

Notas do capítulo
Introdução a história! Uma brexinha só pra vocês entenderem um pouco da fic! Boa leitura meus amigos!

Eu nunca tinha sentido nada assim, nunca na minha vida eu tinha imaginado ser um vampiro. E que alguém que era como eu, até que eu descobri que eu era como um vampiro,e estava no pensamento dele.Jamais pensei isso, todas as pessoas que eu conheci.Quando eu mencionei que existem vampiros, eles sempre diziam a mesma coisa.- Os vampiros eram apenas monstros sugadores de sangue, minha família disse. Na verdade,só disse isso porque eu e minha família fazem parte de uma ordem, somos unidos. Mas eu nunca poderia pensar na realidade... Estava perdida num mundo tão... Diferente. Onde eu ficava perdida na minha escola, vendo uma coruja,que queria me dizer alguma coisa.Só há via,na cama de quando eu era pequena...No Orfanato,sendo queimada.Enquanto eu andava pela escola e... os armários,batiam,o vento era forte,meu olhar era obscuro e misterioso. Enquanto,Vi ele.... O Homem da Minha Vida,Meu amor perdido por séculos,meu anjo protetor, Aquele menino que sempre me deu Amor,carinho,medo... Aquele que Matei Noites acordada,chorando por ele...Aquele que simplesmente nunca na minha vida amei tanto,aquele que me fez suspirar,aquele que me Matou....Matou? Sim... Me Deixou Morrer aos Poucos de Amor por ele...
Sou Ella Rozen e esta é minha história.

Notas finais do capítulo
Gostaram? Comente! Entraremos em contato spliteros!




(Cap. 2) O primeiro dia

Primeiro Dia de Aula,na escola Green...
- Oi Omer! -Diz Ella
-Oi Ella!
-Como Vai?
-Vai continuar com essa Besteira? - Interrompe Guy
- Guy! Tenha Modos! -Diz Ella
-Tá,tá. Tanto Faz!
-Omer,você quer ir comigo?
-Sim,Ella.
-Onde Vão? E por que vai levar esse lesado? -Diz Guy
-Pra escola, Claro! Seu mal educado, como você pode falar isso com o Omer?

– Ah, deixa ela, eu já estou acostumado - Disse Omer olhando seriamente para Guy.

– Tá vendo maninha, ele já ta acostumado, não tem problema. Eu vou junto com vocês pra escola!
Na Escola Green...
-Ella,você sabia que essa escola tem mais de 500 anos?
-Não.

– Ah Omer, para com essa merda de ser nerd, tá querendo enganar quem? Por isso que não arruma namorada.

Omer começou a chorar e Ella bateu em Guy.

Guy, deixa o garoto em paz seu insensível! – Diz Ella Nervosa

Quando eles chegaram na porta da escola, ela comentou:
-Nossa,Por que essa escola nos recebe com flores tão Baratas?
-Você não sabe o que é economia,maninha? Essa escola tá caindo aos pedaços e não fazem nada, que droga. - Diz Guy,que bateu na Mochila da Ella.
-Ai! - Diz Ella
-Sua Mochila tá Aberta! - Diz Omer
E cai um Livro da Mochila.
Enquanto isso,Tamar viu que as Flores do Colegio Murcharam quando Ella chegou perto.
-Matem-a! - Diz Tamar
De volta a escola Green...
–Omer....
–Que Ella?
–Preciso falar com você...
–Tá,podem bater papo de namorados,sem eu vomitar?
–SAI GUY! -Diz Ella e Omer
–Tá!
– Pode fala Ella!
–Omer...Sabe,Gostaria de agradecer por ser um amigo tão legal!
–É o que fazem os Amigos!
–Sim,Omer!- Sorri Ella
– E Saiba que sempre estara eu e você contra o mundo,SEMPRE!
–Sempre,Omer,Sempre!
E Ella e Omer dão as mãos.
Entao,Ella foi tentar achar sua sala e Omer a dele...Quando Tamar Agarrou Ella e amarrou um Pano em sua Boca...
–Ahhhhhhhh!!!! - Ella Gritou
–Fica Quieta,Sua Vampira!
–Me Solta! Me Solta!
Tamar deu um Remedio que fez Ella desmaiar....
Ella quando acordou estava Tonta e Amarrada em uma Cadeira.
–Ahn?Onde Estou?
–É uma daquelas pegadinhas dessa escola?
Assim, Veio Tamar com uma Faca,Quando Leo Chegou....
–Ahhhhhhhhhhhhhh!!! Gritou Ella
Leo a Pegou da Cadeira inconsiente e a levou para a sala de música.
–Quem é você?
–Não interesa!-Diz Leo pegando um objeto estrando de uma bolsa enquanto estava desamarrando ela da cadeira.
–Você viu alguma coisa garota?
– Ouvi gritos, luzes e sangue. - Diz Ella
– Viu muita besteira, engole essa droga aqui logo, VAI! - Disse Leo tentando enfiar um líquido na boca de Ella.

– EU NÃO VOU TOMAR ISSO! NEM SEI O QUE É!

– TOMA LOGO ISSO, PRO SEU BEM.

– NÃO!!! - Disse Ella

– SE NÃO É POR BEM, SERÁ POR MAL!

Leo bebeu o líquido e beijou insanamente Ella, com o beijo ele passou o remédio para a boca dela e assim enquanto estavam se beijando ela desmaiou e ele foi embora, deixando ela desmaiada na sala de música.

– Estranho...Guy viu a Ella? - Disse Omer no recreio.

–Não,Omer!
-Vou Procura-la!
Omer a encontrou na Sala de Musica desmaiada.
-Ella!!!FALA COMIGO ELLA!!!

–O que? Omer? Diz Ella acordando do desmaio.
-Esta Bem?
-Sim, muito bem. Senti que alguém me beijou.
- Te beijaram? Por que você estava desmaiada nessa sala abafada?O que houve?
-Ele...
-ELE QUEM ELLA? -Diz Omer Preocupado
-Ele Salvou minha Vida.
-Quem?
-Eu nao sei... só que ele me deu um beijo forte, intenso, insano, aquele beijo que te faz suar frio de tanto desejo.

Quem fez isso contigo???

Eu já disse, eu não me lembro, eu gostei dele, eu quero ve-lo de novo.

– Vou ligar pra polícia, você foi abusada dentro da escola.

– Para Omer, eu não fui! Eu me lembro do rosto dele, e é adorável.

– Cala a boca, você não sabe o que está dizendo Ella!

– É Omer, eu não sei o que eu estou dizendo,eu só sei,que eu devo muito a ele.

Notas finais do capítulo
Gostou? Comente, estamos esperando seu comentário! =)




(Cap. 3) Antes de tudo

Notas do capítulo
Olá galerinha! MIL DESCULPAS, por ter atrasado a fic! Tive muitas provas, tive que estudar muito, e assim só tive tempo de responder os LINDOS comentários S2
Muito obrigado por ter gostado e lá vai mais um capitulo! Boa leitura.

[Ella]

''Minha dúvida de hoje, era saber quem foi ele. Quem me salvou naquele dia? É estranho você simplesmente olhar para a pessoa e se apaixonar. Logo no colégio Green, que tem meninos que não prestam, chatos, malcriados e NADA compreensivos. Consigui me apaixonar... isso é estranho, MAS QUEM DISSE QUE TUDO NA MINHA VIDA É UM MAR DE ROSAS? EU SOU ESQUISITA, NÃO FALO COM AS PESSOAS, EU ME SINTO EM OUTRO MUNDO. Se normalmente, quando nós nos apaixonamos ficamos diferentes, nem imagino como isso alteraria minha personalidade.''

Ella saiu do quarto de pijama e viu sua família tomando café-da-manhã:

–Bom dia querida!

– Bom dia mãe...

– Filha, está tão cansada, não quer dormir mais um pouco? eu posso arranjar um atestado para você.

– Não mãe, to bem.

Ella voltou ao quarto se arrumou e foi embora. Ao chegar lá, viu uma confusão no corredor da escola:

– O que está acontecendo Omer? - Disse Ella quando avistou Omer no meio da confusão

– Eu não sei, eu não sei. Eu acho que rolou pancadaria.

– Mas por que? logo num colégio exemplar como o Green pode ocorrer coisas dessas?

Uma multidão tomou conta do corredor do colégio: Alunos de diversas classes, turnos e séries diferentes rodearam um grupo no corredor. Ella e Omer estavam na porta do colégio, e derrepente, o céu escureceu, um vento frio bateu no rosto de Ella deixando ela pálida, quando alguém gritou:

– AAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHH!!!!!!!!!!!!!

– O que foi isso Omer?

– Foi um garoto! A voz é de um garoto!

Leo estava no meio da confusão, olhou diretamente para Ella e mostrou suas presas. Ella, estava confusa, não sabia o que tinha acontecido... Ás luzes apagaram.

– Omer, omer, você está ai?

– SIM ELLA, EU ESTOU AQUI.

Gritaram novamente. Uma lámpada estorou e todos os alunos começaram a gritar; ás luzes voltaram e derrepente um menino estava no chão com pescoço sangrando, o garoto foi pisoteado pela a multidão de alunos que na escuridão não tinham enchegado ele. O Sr.Green (diretor da escola), foi até o local calmamente enquanto todos estavam em pânico, disse friamente:

– Um homem fraco não sobrevive a uma guerra. Pode morrer sem sentir nenhuma saudade.

– Mas , O GAROTO ESTÁ MORTO. - Disse a filha dele, Zohar.

– BASTA! NÃO HÁ NADA PARA VER AQUI, VOLTEM PARA SUAS SALAS FAZENDO UMA FILA ÚNICA!

Quando todos chegaram na sala, faltou luz novamente.

– ELLA CADÊ VOCÊ? - Disse Omer

– OMER, EU ESTOU AQUI, EU ESTOU AQUI!!!

Ella escuta um grito continuo, um grito de deixar qualquer um surdo. Ella deita no meio da escuridão do corredor tampando os ouvidos e com medo de quem tinha lá. Ella escuta passos, á luz volta somente para o corredor da escola, mas as salas e o resto da escola estava um breu. TODOS tinham sumido,e só tinha ela na escola. Ou não. Ela andou pela escola até ser puxada pelo braço e ser ameaçada:

– É VERDADE??? - Disse o mesmo garoto que tinha salvado Ella (Leo).

– O QUE É VERDADE??? ME SOLTA!!!

– NÃO GRITE COMIGO SUA TOLA, CALE SUA BOCA E ESCUTE BEM O QUE EU VOU FALAR: VOCÊ É A PROFETA???

– NÃO, EU NÃO SEI DO QUE VOCÊ ESTÁ FALANDO!!!

– NÃO MINTA....

– ME SOLTAAA!!!!

Rapidamente, ele pega uma faca e coloca debaixo do queixo dela:

– Tenha cuidado, não seja amigo do inimigo. Você é a profeta, você é uma vampira.

Ele vai embora da sala e ela desmaia. Logo depois, Omer vê Ella e a acorda:

– Ella, tudo bem? acorde!

– Oi Omer.

– Venha levante do chão.

Omer enrola Ella em um cobertor para não sentir frio.

– Omer, o que houve?

– Me parece que, um aluno foi mordido e outro assasinado. Me parece que o que foi assasindo, isso fazia parte de um ritual que ele fazia dele, uma coisa assim.

– Que estranho...

Eles passam por onde os alunos morreram, avistam o diretor da escola nervoso ligando para os pais dos alunos e toda a imprensa fotografando e filmando tudo.

Ella chega em casa e justifica pra mãe o que houve e vai dormir.Quando ela acordou viu o mesmo menino que a raptou no seu quarto.

– O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI?

– Fique quietinha.

Ele coloca a mão na cabeça dela e apaga a mémoria dela,e vai até a casa de cada um que viu a cena, apangando a memória. No dia seguinte Ella nem ninguém se lembrou de nada, e quem morreu, foi enviado até o templo. Chegando lá Leo conversa com Ardeck:

– LEO, VOCÊ FICOU DOIDO?

– Ardeck, me desculpe, foi por impulso...

– IMPULSO? QUE IMPULSO? NÃO HÁ PULSAÇÃO NA SUAS VEIAS A SÉCULOS! O SANGUE QUE CORRE NELA É DIVIDIDO, EU VEJO ISSO!

– Ardeck tem certeza?

– MAS É CLARO!!! PHATON NÃO SERÁ COROADO A PROFETA NUNCA, A ELLA QUE TEM QUE SER.

– O que eu tenho haver com isso?

– TUDO! Meu tempo é curto Leo, você a raptou pela primeira vez e ela se assustou, agora a raptou novamente? Dá proxima vez não será nada fácil apagar a memória dessa garota!

– Ardeck, a ordem do sangue invadiu a escola e matou alunos em bandos, como se estivessem com MUITA SEDE! Foi um massacre total, ela estava observando tudo e eu tive que falar com ela.

– Mas por que a Ordem do sangre entraria lá?

– SEDE. LOUCURA. SÃO VELHOS. Não sei, são uns inúteis!

– Bando de babacas, como podem fazer isso? Nossa missão está se fragmentando! Ella tem que ser profeta e não o Phaton.

– Eu sei, temos que resolver isso imediatamente.

– Ótimo! Você vai amanhã pra escola como um garoto normal e vai virar o guardião dela. Quando achar que ela estiver preparada, você fala que ela é dividida.

– Mas e o conselho?

– Eu irei até lá.

– MAS ARDECK...

– LEO.... BASTA! IREI FALAR COM ELES. FAÇA O QUE EU TE PEDI.





Notas finais do capítulo
O capitulo foi curto mais vai continuar! Galera por favor comentem, é muito importante seu comentário!!! O que você gostaria que eu colocasse na fic? O que gostaria que eu tirasse? Sugestões são muito bem-vindas! :)




(Cap. 4) Cabeça, ombro, joelho e pé

Notas do capítulo
Segue o próximo capítulo, recapitulando: O conselho foi a escola e ''assassinou'' (ou não?) alunos do colégio Green. Ardeck endiguinado, falou que iria até o Museu para falar com eles. Bom... curtam o capítulo e boa leitura!

[Ardeck]

''Vamos Ella, lembre-se... Vamos!!! Ella você tem que se encontrar neste mundo confuso! ''

Ardeck viu que Leo fracassou no primeiro instante; Ardeck persebeu que Leo era um grande babaca e MUITO inútil para a missão. A garota estava confusa e assim, Ardeck falou mentalmente com Ella, dando avisos.

– Mãe?! - Diz Ella quando acordou

– Filha, por que está acordada tão tarde? São 3 da manhã!

– Estou escutando vozes.

– O que você fez? Bebeu alguma coisa, ta ficando doida? Vá para a cama, você tem escola de manhã cedo.

– Mas eu não consigo dormir.

– Você não é bebê para eu te colocar na cama, agora vá.

Ella voltou para sua cama, e não consigiu dormir, ficou pensando nele. No dia seguinte ela acordou como qualquer outra pessoa que sofre por amor: Com lágrimas no olhos, e o coração de boneca batendo forte.

– Filha onde vai? - Disse seu pai

– Pra escola claro.

– Tudo bem, tchau.

Ella não foi pra escola. Carregou uma bolsa de mudas de roupas, um velho CD do Nirvanna para lembrar do seu ídolo (Kurt Cobain), se uma hora estiver sozinha; seu iPod e um boneco Vodu velho que Omer deu a ela. Ella foi até onde o coração a levava, ela passou por becos, lugares estranhos, terrenos baldios, casas abandonadas até ruas desertas onde poderiam habitar qualquer tipo de maluco na noite fria em Israel, Tel Aviv.

– Ei, menina, o que faz aqui? - Disse um menino que apareceu derrepente no meio da rua. Ella começou a andar rápido, mas o garoto o seguia, ao virar a esquina se deparou com uma gangue de meninos.

– Hey, queridinha o que faz aqui nessa rua tão deserta, hein?! Está procurando alguma coisa? - A gangue rodiou Ella.

– Não, não, por favor me deixe ir embora.

– Não fique aqui, a gente também quer companhia não é verdade?

Dois garotos fortes da gangue pegou Ella pelo braço e aa jogou no asfalto. A rua estava vazia, mas o que será que eles poderiam fazer com ela?

– SOLTA ELA! E NEM PENSE TOCAR EM NENHUM FIO DE CABELO DELA. - Disse Leo

– Quem é você pra falar assim com a gente?

Leo pegou o pescoço de cada um e foi mordendo todos rapidamente, até formar uma grande poça de sangue na rua. Ele levantou ela do asfalto frio, sentou ela na calçada e disse suspirando:

– Por favor, não... NÃO faça isso de novo. - Disse ele segurando nos braços de Ella.

– Mas eu quero te ver, eu quero te ver, por favor não me deixe.

– Não há por que não te deixar.

– Eu te amo, eu te amo.

– Me escuta Ella, não faça isso de novo, da próxima vez não vou estar aqui novamente, não vou!

– Me desculpa, mas eu faria QUALQUER coisa para te ver aqui de novo, não me deixe.

Leo deu um beijo em Ella. O beijo foi tão forte que ao tocar os lábios, Ella ficou com frio por fora e com o coração pegando forte por dentro,. Ella tocou os lábios de Leo e colocou a mão em sua nuca, lágrimas sairam do olho de Ella e quando ele terminou de beijá-la, ele perguntou:

– Por que está chorando?

– Por que eu te amo. Eu não sei seu nome, nem da onde vem, mas eu te amo, muito. Não me deixe.

– Não te deixarei, nunca.

Leo foi embora rapidamente e Ella se levantou da calçada e continou caminhando até sua casa. Quando Ella chegou lá ouviu muita coisa:

– ONDE VOCÊ ESTAVA? TÁ MALUCA? O QUE VOCÊ FEZ? ONDE VOCÊ TAVA? VOCÊ MENTIU PRA MIM ELLA? - Disse sua mãe

– Não,eu não menti, só precisei sair um pouco.

– ELLA SUMA DAQUI, NÃO QUERO FALAR COM VOCÊ, ESTÁ DE CASTIGO.

– Okay então mãe, já que com 15 anos eu não tenho idade suficiente para me cuidar, acredito que com 20 também não vou ter né?

Ella foi pro seu quarto e ligou para sua melhor amiga, Nicky:

– Ei, Nicky.

– Oi, Ella, por que está me ligando a essa hora?

– Para falar daquele garoto...sabe, eu me apaixonei por ele mesmo.

– Ella, não seja boba. Não se apaixone por quem você não conhece direito.

– Tem razão, Nicky...

Ella começou a ter visões enquanto estava ao telefone

– ...Nicky, eu não estou me sentindo bem, tenho que ir, tchau.

– Tchau, Ella.

Ella sentou na cama e começou a ter mais visões, sobre vampiros, sangue, demônios. Ela começou a ter dor-de-cabeça forte e caiu no sono.

Enquanto isso, Leo foi até o conselho resolver pessoalmente os problemas que eles estavam causando. - ALGUÉM AI??? -Gritou Leo. - Ah, quem diria! Leo! O que faz aqui? - Diz Yulis - Você sabe o que eu vim fazer aqui e do que se trata. Estão encrencados. Lana e o resto do conselho vem para apoiar Yulis. - Isso mesmo Leo... Conte-nos o que está acontecendo. - COMO VOCÊS NÃO SOUBESSEM, SEUS BABACAS! MATARAM ALUNOS INOCENTES, ASSUSTARAM PESSOAS, E ME FIZERAM APAGAR A MÉMORIA DE MUITAS PESSOAS, INÚTEIS! - A fonte secou, estamos sem sangue. - COMO ASSIM SECOU? - Disse Leo - Por muito tempo, os vampiros se sustetaram a base do Doll-Bar. O sangue animal nunca saciou nossa sede intensa, e o Doll-Bar nada mais é do que um pequeno frasco com pouco sangue. PRECISAMOS DE MAIS, SANGUE É VIDA LEO, SINTA O SANGUE ESCORRENDO PELA SUA BOCA, QUAL É A SENSAÇÃO? QUAL FOI A ÚLTIMA VEZ QUE BEBEU SANGUE HUMANO? EXPERIMENTE ISSO, LEO. - Disse Lana tentando convencer Leo. - Isso é horrível, tem idéia do caos que isso irá contecer? Pensem bem. - Os humanos tem a natureza de um dia morrer, não fará nenhuma diferença se matar-los agora, certo? - Disse Phaton. - PHATON?! - Sim Leo, sou eu. Apoio essa idéia, e ainda mais, tudo em que posso ser contra Ardeck serei! Depois que ele viu que a garota era a escolhida, nunca mais serei a favor dele em N-A-D-A! - Phaton... Sempre sendo criança, um marmanjo indeciso...VOCÊ NÃO PRESTA! - E quem disse que você presta Leo? Você está iludindo essa garota, sua próxima presa. - EU A AMO! - Gritou Leo - Duvido. - Disse Lana. - Escute bem piriguete, e vocês todos também; se ocorrer mais algum fato naqual fala que vocês chuparam sangue humano, vocês vão se ferrar. E MUITO. FIQUEM ATENTOS. Leo saiu nervoso do Museu. E como qualquer garota apaixonada, Ella acordou de noite, abriu a janela de seu quarto ( em que dá para ver TODA Tel Aviv), olhou para as estrelas e disse: '' Parece que eu estou morta. Não sei nada sobre mim, estou sempre confusa. Toda garota já mentiu para mãe, brigou com a melhor amiga, se envolveu em increncas, se apaixonou, sofreu por coisas bobas, teve a música e o chocolate como o melhor consolo e os olhos de Deus para iluminar nosso caminho. Sob a luz do luar, me guarde, eu estarei aqui, meu querido, estarei com o coração batendo forte a espera de você voltar. Não me deixe, fique aqui comigo, pra sempre.'' Leo também pensou nela: ''Não pense que não irei voltar é só um tempo, pra você sentir minha falta, pra eu sentir a sua, e quem sabe, que você seja minha luz.''

Notas finais do capítulo
Gostou, comente! É muito importante seu comentário! Os capítulos estão sendo curtos, mas, podem ACREDITAR, terá muitos capítulos essa fic ;* bjs




(Cap. 5) Fique perto de mim

Notas do capítulo
Olá galerinha, contentes pelo próximo capítulo? pois é... quem achou o último capítulo ROMÂNTICO, vai ficar APAIXONADO por esse!!! ***Desculpa pelos erros de ortografia do último capítulo, e o último parágrafo.*** ESTOU CONCERTANDO DESDE JÁ! Boa leitura, beijos ;*

– Sexta-feira, o ambiente está primaveril ás 5 da manhã aqui em Tel Aviv. Saudades de visitar minha avó em Cesareia. Ainda não entendo por que tenho insônia. - Diz Ella escrevendo em um pequeno caderno dela, sentada em cima de sua cama.

Ella continuou escrevendo, até sua mãe chamá-la para o café da manhã. Ella escondeu o caderno rapidamente em uma gaveta de seu criado mudo, e sua mãe abriu a porta do quarto:

– Ella, vamos querida, você precisa comer algo.

– Sim mãe.

Foi até a cozinha com cara de sono (claro) e deu bom dia a todos.

– Mana, você não acha que tá muito estranha? - Reparou Guy.

– Não, por que?

– Você está pálida, ta tão diferente... o que fez ontem?

– Nem queira saber! Fiquei olhando pra janela pensando em uma pessoa.

– QUEM?

– Um menino,eu não sei o nome dele, mas gosto dele.

Guy levantou-se da cadeira, pediu licença a todos na mesa, foi até a pia lavar seu prato e disse:

– Sabe Ella, você é meio idiota. Não, desculpa, totalmente idiota. Você gosta de um garoto que você não sabe o nome, não sabe quem é, nem onde mora? Vai fazer o que agora? FICAR POR AI QUE NEM UMA GAROTA INÚTIL APAIXONADA POR AI POR UM QUALQUER? Me poupe.

– GUY, CALE SUA BOCA, QUEM É VOCÊ PRA ME DIZER ISSO? ME DEIXE EM PAZ!

– Ella, eu to indo pra escola. Não quero discutir com você sobre futilidades, isso não me enteressa, ok? Quer saber... Vai se ferrar, não dou a mínina pra você.

Ella foi até seu quarto, pegou um porta-retrato dela e de seu irmão quando pequenos e disse:

– Nós temos família para nos apoiar, não para fazer ''desfeita''. Se ele consegue me chingar da cabeça aos pés e ferir meus sentimentos, imagine o que pessoas que eu nem conheço podem fazer comigo. - Ella quebrou o porta-retrato e se cortou. O sangue dela ficou espalhado pelo chão da sala. Ella sentiu um cheiro forte e começou a se sentir fraca, como se seu sangue estivesse acabando. Foi correndo a escola ao encontro de seu amigo Omer.

– Omer, estou me sentido fraca.

– O que houve?

– Eu me cortei.

No estante ela teve visões de sangue, vampiros, ódio.

– Não se preocupe só tem um pouco de sangue. Vai ficar tudo bem.

Ella e Omer se direcionaram a sala de aula, naqual o pai de Ella da aula. E para a surpresa dela, seu irmão era da mesma classe. Eles se sentaram quando o diretor, Aimmon Green, apareceu:

– Bom dia alunos. Devo-lhes pedir perdão ao desastre ocorrido na quarta-feira. Não acontecerá novamente, e será proibido comentários sobre o fato. Contudo, gostaria de apresentar um novo aluno aqui na classe, trate-o com respeito, ele chama-se Leo.

Quando ele entrou o coração dela desparou, ela pensou que iria morrer.

– Por favor, Leo, sente-se na mesa de Ella, a quarta mesa a sua direita. - Disse o pai de Ella

Quando Leo se sentou Ella disse:

– O que faz aqui?

– Ficar perto de você.

Os olhos de Ella se encheiram de lágrimas e Ella foi chegando perto, perto, e mais perto ainda dos lábios dele, até que Ella se lembra que está justamente na aula do seu pai.

– Nós, nós não podemos fazer isso aqui. - Disse Ella.

– Ok.

– Mas, me diga uma coisa, como... por que... se apaixonou por mim?

– É muito difícil te explicar.

– Não é. Eu preciso saber como foi, por que, aconteceu tão rápido.

– Em breve, eu poderei te explicar. Mas agora não.

– Tudo bem. Uma coisa que sempre quis te dizer, pode ser até meio babaca, mas, eu me sinto segura com você.

– Eu não gostaria de ver você com ninguém no mundo, anuncer comigo.

– E Leo, quer ir lá em casa hoje?

– Claro.

Eles ficaram tímidos, até o final da aula, na saída, Ella ficou olhando ele ir embora e chegou em casa com forças, preparada para discutir novamente com seu irmão.

– Ella, temos que conversar.

– CONVERSAR O QUE GUY? JÁ CONVERSAMOS DEMAIS, JÁ CHEGA.

– Quero te pedir desculpas, você já está crescida, e virou uma menina muito bonita. Eu tenho ciúme de você Ella.

– Não tenha.

– Me desculpa?

– Te desculpo. Agora vai, me conta da garota que você tá gostando!

– Como você sabe?

– Ah, tudo mundo sabe!

– O nome dela é Zohar, ela é filha do Aimmon Green, ela é meio arrogante sabe... mas o que eu gosto nela, tenho que namorar a fêmea dominante para se tornar o macho alfa certo?

– Ai que bobeira Guy!

– E o garoto da sua ''quedinha''?

– É o Leo.

– MINHA NOSSA AQUELE GAROTO FEIO???

– GUY!!! ELE NÃO É FEIO.

Omer liga para o celular da Ella

– Oi Omer.

– Oi Ella, vamos ter aquela conversa que você queria ter comigo, estou na porta da sua casa.

– Tudo bem, por favor entre.

Omer entrou rapidamente.

– Oi Guy.

– AAHHH GAROTO, O QUE FAZ AQUI HEIN?

– Vim falar com Ella.

– Sim! Vasa Guy, quero falar com ele.

Guy sai nervoso do quarto enquanto Omer senta na cama de Ella.

– Omer, eu queria falar com você sobre uma coisa.

– Eu também.

– É que eu to gostando de um garoto.

– Que garoto?

– Aquele novo garoto, o Leo.

– Ai não Ella, não acredito que você gosta dele! Ele deve ser um idiota, quebrador de coraçãoes!

– Você não o conhece para poder julga-lo. Eu gosto dele, pois já vi ele em algum lugar, com ele eu me sinto completa.

– Você está doida? Você não vê como ele te olha direto? ESCUTE, faça qualquer coisa mas, por favor fique longe dele.

– Não! Por que?

– Ele quer te matar, você não percebe isso?

– Eu nunca perceberia.

– Ella eu gosto de você ok?

– O QUE?

– É, eu gosto de você desde quando viramos amigos, desde bem pequenos.

A campanhia da casa tocou.

– Está vendo Omer? Deve ser o Leo!

– Dane-se ele.

Omer pegou Ella de surpresa e a beijou a força quando Leo abriu a porta do quarto dela.

– MAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? - Diz Leo assustado.

[Omer para de beijá-la]

– É isso mesmo o que está vendo Leo! Ella é minha namorada!

– NUNCA. - Disse Ella.

– Leo, não é o que você está pensando... é sério, eu te amo muito...

– SÉRIO ELLA? VOCÊ ME AMA O SUFICIENTE PARA DIZER ISSO PARA MIM E FICAR BEIJANDO OUTROS MENINOS?

– Isso mesmo. - Disse Omer.

– CALA A BOCA, SEU FERRADO, EU VOU TE QUEBRAR TODINHO OMER.

– Ella, eu tenho coisas mais importantes para fazer certo? Vou embora, e por favor, não fale mais comigo.

– ESPERE, NÃO VÁ!

– Tarde demais pra pedir perdão depois de brincar com os sentimentos das pessoas.

Após Leo ter saido da casa dela, Ella mandou Guy expulsá-lo de sua casa a força.

– SAIA DAQUI SEU BABACA!!!

Enquanto isso na residência dos vampiros (Residência de Ardeck)...

[Narra Leo]

Nunca pensei que quando se ama podemos sofrer tanto, chorar. E a idiotice a minha, com 200 anos de idade, não saber que o amor doi tanto. Entrei na residência e vi Ardeck:

– Leo?

– Sim, Ardeck.

– Leo, estamos sem tempo. Sua missão está se esgotando, e a minha na terra também.

– Como assim Ardeck, me explique por favor.

– Leo, precisamos achar a minha substituta, que é a Ella! Você tem pouco tempo para dizer-la toda a verdade! Que existem outros mundos além do que ela conhece! Sua missão está sendo um fracasso por você estar se apaixonando por ela.

– Eu sei, mas o coração não escolhe!

– O DollBar está acabando. Há muito pouco. Esse foi o motivo para os integrantes da ordem terem assassinado tantos! Em algumas áreas da região norte, o DollBar acabou faz tempo! Mas conseguiram sobreviver de sangue animal por que são fortes. Beber sangue humano é a mesma coisa que beber água gelada quando se está morrendo de sede.

– Eu concordo. O que faremos então?

– A Lana é uma ameaça. Ela é uma piriguete, sem vergonha e nem classe na minha opinião, e olha que eu já namorei com ela.

– COMO QUE VOCÊ CONSEGUIU NAMORAR COM ELA ARDECK?

– Toda vampira gosta de um profeta, a profecia nos protege e isso é poder. Mas não dá pra sustentar ela não, ela quer muita coisa e eu tenho compromisso com outras vampiras, sabe como é né?

– Safadinho... Mas voltando ao assunto, como vamos conseguir deter o conselho?

– O único ser que pode fazer isso é Carmel.

– CARMEL??? VAI ESTRAGAR TUDO.

– Não, escute: você pode falar com ela, e vai nos ajudar.

– Okay, mas vamos esqucer o conselho, o importante é a Ella, Ardeck!

– Faça as pazes com Ella e fale pra ela que é dividida, mas seja delicado, Leo.

– Vou tentar. Adeus.

Leo foi até um bar, pediu uma dose de Absolut Vodka e ficou olhando a paisagem de Tel Aviv de madrugada.

Ella abriu a janela de seu quarto e ficou olhando a paisagem de Tel Aviv de madrugada.

Leo disse:

'' Se eu tivesse que escolher entre te amar e respirar,eu usaria meu último suspiro para dizer ''eu te amo''. Por que nada é mais lindo do que seu sorriso,então diga-me alguém, que me leve para o além, pensamentos vão e vem. ''

Ella Disse:

'' Eu tentava (e até agora tento) ser feliz sem você, e não funcionava, nunca funcionou, eu tentei, tentei muito ver se esquecia você, não tirar você da minha mente porque isso eu não consigo, mas fazer com que eu não pensasse tanto em você, oculpar minha mente com outras coisas mas não deu, o meu lugar é ficar ao lado do seu, o lugar onde eu nunca deveria ter saído. Eu não sei te explica o quanto dói não ter você comigo, eu precisava de uma parte de você, que me confortasse, eu sempre sorria quando eu sentia que você estava perto de mim… Eu tentei tirar você da minha cabeça, e te afastar do meu coração pra ver se conseguia parar de ver seu nome na minha frente, mas não funcionou o certo é que meu destino é amar você. O que eu tenho aqui por dentro nem você e nem ninguém nunca vai entender, ninguém nunca vai conseguir te amar como eu te amo. Cada noite, cada amanhacer, cada segundo, cada minuto, cada dia meu é ocupado por pensar em você. Todas as vezes que te esperei, eu sabia que o destino ia me recompensar por isso, as noites que virei pensando em ti, em sonhos que eu podia te ver, sonhos onde nós conseguiamos seguir nosso caminho, eu nunca, jamais amarei outra pessoa da forma como te amo… É inexplicável, indescritivo dizer tudo o que sinto por você, quando vejo você, cada batida do meu coração fica mais forte e ao mesmo tempo mais calmo, quanto mais o tempo passa o meu amor por você me faz acreditar que não existe nada melhor do que te amar. Todos os dias, eu continuo sentindo sua falta, eu preciso de você mais que qualquer outra coisa, eu deveria ter dito tudo o que eu guardei dentro de mim, talvez fizesse com que você acreditasse que meu mundo não existe sem você, tudo perde o sentido sem você aqui. O tempo passa e a saudade só aumenta, eu sinto sua falta e cada dia é mais dificil ficar sem você! As semanas passam, os dias e horas e nada me faz parar de pensar em você, todos os lugares onde vou, algo me faz lembrar você, e isso machuca, machuca porque não estou compatilhando os momentos com você. Eu tinha os melhores momentos, melhores sorrisos, melhores risadas, melhores abraços, melhores discurções. Os risos de bobagens, tudo isso eu sinto falta, você era tudo o que importava pra mim. Sem medo eu pude te amar da forma mais intensa e única que alguém poderia um dia te amar, descobrir o que é amar com você, descobrir quem sou, com você, tudo eu devo à você, a nossa história está guardada em um lugar onde ninguém jamais alcançará. Lugar esse onde você nunca irá embora, onde eu poderei te ter e te ver todos os dias, e é assim que eu vou vivendo, imaginando você aqui, querendo cada vez mais a sua companhia, nesse tempo todo que estamos distantes um do outro nada do que você me disse, nenhum dia será capaz de me fazer esquece, e tenho uma certeza, que eu nunca vou conseguir amar outra pessoa da forma como te amo, e ninguém nunca vai conseguir ocupar o seu lugar no meu coração. Eu nunca tinha me sentido assim antes, com tantas saudades de você, com tanta vontade de nós outra vez. Quando você se foi, os dias sem você pareceram anos, você tem ideia do quanto a sua ausência machucou? Todos os dias, eu te sentia, conseguia ver teu rosto, repensava os nossos momentos em meus pensamentos, assim eu me confortava de que não estava sozinha te levando para cada lugar que passava, e não, não foi fácil viver sem você. Eu sei que depois da dor vem a alegria, você me conhece sabe o quanto o meu amor por você não tem tempo nem tamanho que demonstre o suficiente. Eu te quero pra mim, eu te amo e sempre irei te amar. Nos nossos momentos dificeis, eu pude perceber que não estava sozinha, que eu tinha o meu anjo da guarda para me protejer. Você esteve afastado por um longo tempo, e não passou nenhuma noite em que eu não tivesse desejado sonhar contigo, não dá para disfarçar o quanto eu preciso de você.Cansei de tentar escrever pra ti, sobre ti. Com uma tentativa falível de tentar mudar nossa situação mal-resolvida, cansei. Eu já deveria ter caído na real á muito tempo, somos sem jeito mesmo. E agora, eu tenho toda a certeza de que nós nunca vamos realizar todos aqueles sonhos e desejos que tínhamos, nós nunca vamos realizar nossas promessas, sabe porque? Porque nunca fomos o suficiente. Eu nunca fui suficiente pra ti e nem você pra mim. Então, digo e repito com convicção: desisto. Dói em mim, tanto quanto em você, dizer-te tais palavras, mas é preciso. Porque uma hora a gente cansa de por fé em algo que sabemos que nunca irá dar certo. Então, me perdoe, eu não quero te magoar, e se já estou fazendo isso, desculpe-me, não é minha intenção. E sério, sério mesmo, não vamos fingir sermos o que realmente não somos. E nem com todos os remendos malfeitos que fazíamos pra tentar dar certo, bastaram para sermos. Não quero que ache que estou tentando por a culpa toda em ti. Nós erramos. Erramos quando acreditamos em nós. Éramos tão perdidos um no outro, que acabamos nos achando. E nos perdendo de novo e de novo, nos perdemos tanto que acabamos nunca mais nos encontrando. Mas entenda que não estou te deixando. Eu não quero te prender mais, quero que seja livre, seja feliz, mesmo que isso dependa da minha distância. Eu não consigo entender porque diabos fomos ser assim.Erramos no começo, meio e fim, e acreditamos que estávamos certos. Desculpe o palavrão, querido, mas que porra foi essa que nos tornamos? Porque não poderíamos por pelo menos uma vez, dar certo? Porque tudo tem de ser assim? Porque tivemos de ter esse nosso meio-fim? Porque tínhamos de ter esse desfrecho tão lamentável? Digo, somos de desistir fácil e partir pra outra, deve ter sido isso, não sei. Viu? Estou fugindo do foco, deixastes-me assim, sem foco. Me odeio por ainda te escrever tentando por um ponto final nessa nossa bagunça inconcordável. Se é que ela tem um ponto final, no qual já deve ter se transformado em reticências. Você me faz me odiar por ainda ir tirar conclusões contigo. Acho que te amo tanto que tô começando a te odiar. De verdade, não consigo e não sei mais como olhar em teus olhos, não sei mais como olhar o teu sorriso, porque lembro que um dia fui o motivo dele. Não desconto minha raiva incontrolável em ti, desconto nas palavras. Mas quer saber? Tu nunca deu o mesmo valor que eu atribui a ti. E cá entre nós, você acha coisa melhor. E, quando você sofrer novamente, não estarei lá. Não de novo. Digo com toda a certeza: desisto. Quero mesmo é esquecer de tua existência, do número da tua casa, da tua roupa preferida, do teu energético favorito, da música que lembra você, do filme que lembra o que éramos, de tudo. Tudo que me lembra você, que lembra nós. Quero conhecer gente nova, amar gente nova, me importa com gente nova, até que meu coração esteja todo preenchido de vazio e não reste nenhum espaço pra você. Para o teu amor. Para que quando falarem de teu nome, não me venha teu rosto em minha mente, para que quando me perguntarem o que aconteceu com aquele garoto que eu tanto falava, eu diga com um sorriso traiçoeiro “anda longe.” Mas eu vou lembrar de você, tenho certeza, e nos dias de inverno, eu reverei nossas fotos e escutarei nossa música, sem nenhuma dor ou saudade. Desculpe-me, mas não espero mais nenhuma atitude que venha de você. A única coisa que espero, é que fique engasgado com teu orgulho doentio e que ainda sinta minha falta. E que sofra o insuportável por não me ter nem sequer 1% mais. E que lamente todos os dias quando acordar e não ver nenhuma mensagem minha. Me desculpe, mesmo não devendo te pedir perdões. Até porque não estou fazendo nada de mais, estou fazendo o que é certo, correto, sensato. Indo embora, Te deixando com todas as explicações e justificativas possíveis para ir. Esse meu amor, por ti, continua. Mas vai morrendo aos poucos. E sem querer ir direto ao ponto, mas já indo: Eu te amo, só não te quero mais.”

Notas finais do capítulo
''ONW, QUE ROMÂNTICO!!!! EU QUERO MAIS!!!'' Bem, então comente! Vou adorar ver os comentários, seus leitores LINDUS ;* beijos amores da minha vida bjbj




(Cap. 6) Miss you

Notas do capítulo
Novo capítulo saindo!!! Boa leitura! ;)

– Me ajude. Eu não aguento mais.

Ella acorda de noite e fica olhando pro teto pensando nele, chorando e gritando. Como se tivessem roubado o coração dela.

– Alguém, me ajude por favor, alguém... qualquer um, a curar meu coração doente de amor.

– Mana? - Guy entra no quarto de Ella de noite e a acorda.

– Que foi?

– Por que está gritando?

– Por causa dele, eu não consigo ficar sem ele, Guy... É IMPOSSIVEL!!! - Diz Ella chorando

– Ei, não chora, eu quero ficar aqui com você te consolando, sua chata.

– Não, vai embora.

Guy faz cósegas na Ella e eles deitam na cama dela e começam a conversar olhando para o teto.

– Ella, nunca te vi tão mal, você nunca foi assim.

Tem umas coisas que a gente vai deixando de ser e nem percebe.

– Mas, não importa, eu te amo de um jeito bem diferente, que nem você.

Guy sai do quarto de Ella e vai pro seu quarto, Ella fica sorrindo e pensando a noite toda no que seu irmão falou pra ela, e foi adormecendo sorrindo. De manhã na escola, Ella não encontrou ele.

– Oi Ella! - Diz Omer.

Ella fingiu não ter ouvido.

– Ella, não tá me ouvindo? - Diz Omer encostando no ombro dela.

Ella olha pra mão dele sobre o ombro dela seriamente, suavemente tira a mão dele e diz friamente:

– Não toque em mim jamais.

– Que isso Ella, está me estranhando?

– VOCÊ, SEU FALSO, COVARDE, CIUMENTO, SEM CORAÇÃO,QUE FEZ AQUILO COMIGO E ESTÁ ME FAZENDO SOFRER FEITO UMA LOUCA!!! VOCÊ É UM DUAS CARAS, MAS QUERIDO, SE FOR PRA SER DUAS CARAS, PELO MENOS VOCÊ DEVERIA TER UMA BONITA, SEU NOJENTO!

Omer olha pra ela sem palavras, enquanto Ella coloca o dedo na cara dele e sai da frente dele, ao encontro da sua amiga Nicky.

– Oi Nicky.

– Oi Ella, você está bem?

– Não Nicky, não tem como tirar ele da cabeça.

– Ah Ella, você tem que ser forte, siga em frente!

Forte eu nunca fui. Pra falar a verdade, meu coração continua sendo bobo, frágil. Mas hoje disfarço melhor.

– Você é uma tonta. Catando pedras do caminho de pessoas que já passaram na sua vida; como eu queria ser amada que nem você.

– Nicky, eu não sou amada, se eu fosse amada, ele estaria me confortando esta hora do dia.

Ella se virou e foi embora, até que Nicky gritou:

– ELLA, O LEO ESTÁ ALI!!!

Ella vira o corredor e seu coração bate rápido ao ver Leo na sua frente. Ella coloca a mão dela no coração dele, olha pra baixo e o coração acelera. Olha para os olhos dele e ele diz:

– Por que você fiz aquilo comigo?

– Não fui eu, eu NUNCA te trairia, você é único, eu sou sua e de mais ninguém, eu sinto sua falta. Me ajuda, por favor.

Leo tira a mão dela do tórax dele.

– Meu coração está partido.

– Me perdoa.

– Não tem mais volta, faz um favor pra mim? Não me procure mais.

Ella começa a ficar nervosa e sua pressão vai abaixando.

– OLHA POR FAVOR ME PERDOA, VOCÊ SABE, EU TE AMO MUITO, MAS EU PEÇO POR FAVOR, EU NÃO POSSO VIVER SEM VOCÊ!

– Eu não tenho tempo de ouvir lamentações...

Ella puxa o casaco dele para ele não ir, e fala:

Eu nunca vou conseguir falar de você. Para ninguém, ninguém. Eu posso até dizer umas coisinhas aqui, outras ali, posso até dizer que você é lindo, me faz um bem danado, etc. Mas dizer sobre você, sobre quem você é pra mim… nunca. Porque eu tenho essa coisa estúpida de não conseguir falar quando fico nervosa. E aparecer uma enxurrada de lágrimas na minha visão. E parecer que existe uma bola de pelo na minha garganta. Fica tudo uma merda. E eu nunca vou conseguir falar de você por causa disso. Porque eu fico nervosa, choro, sinto saudade, paixão acumulada, desejo, instinto de proteção, carinho, ciúme e amor. Isso tudo só de pronunciar as sílabas do seu nome.

Leo mexe no cabelo dela e a beija. Diz:

– E sabe o que mais eu quero? Que o tempo me tire tudo, menos você. Que o tempo leve todas as lembranças ruins, mas que deixe você. Que o tempo esqueça de fazer florescer, mas que lembre de deixar você. Que o tempo consiga aprimorar e melhorar todos os pensamentos dos hipócritas, mas que deixe você. Que com o tempo, as pessoas aprendam a enxergar a vida e os problemas de forma diferente. Que o tempo esquente o café, mas que não esqueça de deixar você pra tomar junto comigo. Que o tempo separe um tempo pra nós dois. Eu e você. Que o tempo dê um tempo pra você me amar, e que esse tempo seja rápido. Que o tempo, com o tempo, aprenda a não levar você e de vez em quando, trazer. Que o tempo, apesar de bruto, aprenda a curar e não somente ferir. Que o tempo, apesar de tudo, não passe rápido… Porque apesar das dores, é bom estar com você.

– Eu te amo. - Eles se beijam novamente. O beijo de Leo, para Ella, era o mais seguro (REALMENTE), quente e sensível de todos.

Após a aula Leo e Ella fogem pra bem longe, longe de todos e do mundo. De noite eles subiram no telhado de uma casa e ficaram a admirando a lua cheia:

Ele: -Dia díficil, é?

Ela:–Talvez. Ele:–Como? Ela:–Talvez. Ele:–Não. Digo, como assim? Talvez? Ela:–Gosto dessa palavra. Uso quando não quero responder ao que perguntaram. Ele: - Ah. Ela deu um sorriso sarcástico. Ele:– Aposto que se eu fosse ele, sorriria pra mim. Ela:- Ele quem? Ele:– O cara que você ama. Ela: - Não amo um cara. Ele:– Eu sei que ama. Eu te entendo. Ela: - Hum. Sofre também? Ele:– O que? Ela: Digo, sofre por amor também? Que nem eu? Ele: - Não...Por amor não. Pela falta dele, talvez. Ela:– Talvez? Ele:– É. Gosto dessa palavra. Uso quando não quero aceitar os fatos. Aprendi com uma menina a uns minutos atrás. Ela tem um sorriso lindo. Ela:– Como sabe do sorriso dela? Ela nem sorriu. Ele:– Eu aposto nisso. Ela ainda vai sorrir pra mim. Ela:– Acho díficil, ela tá tendo um dia díficil. Ele:– Eu não. Ela:– Ah, então ela te desafia. Ele:– E eu desafio ela a começar tudo de novo. Ela olha pra baixo. Ele:– Dia difícil é? Ela sorriu. Ele:– Viu, eu disse. Ela:– O que? Ele:– Que você tinha um sorriso lindo. Ela: - Mentira. Ele: - Abre seus olhos menina. Ela: - Por quê? Ele: - Eles são lindos demais, mas não conseguem enchegar direito. Ela: - Tá maluco Leo, eu não sou cega. Ele: Eles não conseguem enchergar que eu te amo. Ela fecha os olhos e coloca as mãos na boca dele e suavemente susurrou seu nome. Ele se deitou em seu colo, com a cabeça na direção direita. Enquanto ela o beija na direção esquerda. - Eu quero que você me prometa uma coisa. - Disse Leo - O que? - Diz Ella - Quero que você cumpra tudo o que eu dizer, caso eu parta primeiro que você. Quero que você prometa que irá ao meu enterro, vai chorar por mim somente ali, jogará uma rosa em meu caixão e seguirá sua vida adiante. Não quero que você deixe de se cuidar, mas sim, que veja meu filme favorito pela última vez. E sentirá meu perfume.Quero que você prometa que irá se apaixonar novamente, e que eu não sairei do seu coração, e não me chame de passado, me chame de lembrança, a lembrança mais bela que você tem guardado de si. - Sério!? Então me beija logo antes que eu acorde desse sonho. Leo puxa o casaco de Ella e fala para eles descerem do telhado. Lá em baixo eles deram aos mãos: - Ontem depois que você foi embora confesso que fiquei triste como sempre. Mas, pela primeira vez, triste por você. - Diz Ella. – Não fique mais triste. Eu vou te levar pra casa viu Ella? – Sim. Ella chegou em casa, como nunca. Nunca se sentiu tão diferente e tão feliz ao mesmo tempo. Leo, foi até o templo, ficou olhando a noite... E Ella pensou: ''Eu disse talvez, você vai ser aquela que me salvará. E apesar detudo, você seja meu protetor. Todas as luzes do nosso caminho nos cegam, tem coisas que eu quero te dizer mas não sei como.'' Leo pensou: '' Eu quero tanto abrir seus olhos, por que eu preciso que você olhe por dentro dos meus, se você for embora, minha raiva irá corroer e não vou sentir esses pedaços de vidros e cortes que estão no meu peito. Por isso eu preciso dos seus dedos para entrelaça-los com os meus e finalmente sairmos desse lugar escuro pela última vez.''


Notas finais do capítulo
Bom, esperamos o seu comentário! Quinta sai o próximo capítulo spliteros, até mais! bjbj ;*




(Cap. 7) A verdade vai se revelando

Notas do capítulo
Depois de algum tempo... voltei!!!
Me desculpem mesmo pela demora deste capítulo, enfim, como foi o feriado de vocês?
Bem,vamos falar do que se trata: Relembrar o capítulo.
- Ella como sempre, chorou, berrou por Leo, querendo ele perto dela de qualquer forma. Até encontra-lo novamente e se acertaram, voltando a namorar. -
Nada de romance aqui! As coisas estão começando a ficar sérias! Boa leitura spliteros!

[Narra Ella]

"Aquela manhã de quarta-feira foi tão calma! Como se eu tivesse tomado um banho em um chuveiro que lavasse almas, tirasse a tristeza do coração e todas as impurezas dele. Incrível. Mas como eu queria que existisse mesmo."

– Oi, Ella. A mamãe está te chamando. - Disse Guy abrindo a porta da Ella. Levantou-se da cama com um sorriso branco feito neve, olhos grandes e brilhantes como amêndoas, com seu cabelo trançado por uma fita.

– Oi, mãe. Gostaria de falar comigo?

– Sim Ella. Estamos planejando um passeio, talvez em uma reserva florestal ou até mesmo em uma praia para passar o próximo final de semana.

– Seria ótimo! - Abriu um sorriso.

– Esta bem Ella? Tem algo errado com você. - Reparou a mãe de Ella e ouvindo a conversa, seu irmão se intromete:

– Verdade, ela muito esquisita. O que houve Ella? Fez besteira de madrugada e na hora da verdade viu que não tava grávida? É, isso sim é motivo de ficar alegre.

– Vai se ferrar garoto, eu não tenho que provar nada pra você. Pelo menos você que não precisa provar nada, já que tem vários preservativos estourados em sua gaveta de meias.

Guy resolveu revidar, mas viu que era besteira e voltou pro seu quarto, enquanto Ella riu a toa com a cara tola dele. Pegou sua bolsa e foi pra escola; no caminho parou em uma lanchonete.

– Bom dia, um café com leite e meia dúzia de torradas com mel, por favor.

– Você não é muito jovem para comprar torradas sozinha? - Disse um homem da lanchonete. Ella não entendeu nada do que aquele homem disse, afinal, até sua aparência era esquisita.

– Não senhor.

– Ótimo, já está saindo.

Aquele homem era muito esquisito. Ella pegou um jornal e ficou lendo as notícias da cidade enquanto esperava pelo café da manhã e enquanto isso, o homem varria a lanchonete olhando somente para Ella. Uma moça loira (também trabalhava na lanchonete), chegou perto do homem e disse:

– Olha, não era aquela garota que você tinha comentado?

– É, ela é a dividida.

– Mas que ótimo saber isso, podemos informar para André.

– Claro, mas a garota não sabe que realmente é, e o guardião dela mal falou isso.

– Coitada, deveria saber da verdade.

Ella aproximou-se deles, - Oi, quando que vai sair o meu pedido?

– Já vai sair.

– Pode deixar, demorou muito e eu tenho horário pra entrar na escola. Bom dia e obrigado. - Saiu Ella com um sorriso radiante do tamanho do mundo, indo encontrar, (ÓBVIO) Leo na escola.

Enquanto isso no templo...

– Ardack, você está ai?

– Sempre estou aqui né Leo. Aqui é minha casa.

– Claro. Isso não importa, o que quer novamente falar comigo?

– Quero falar sobre a Ella. VOCÊ AINDA NÃO FALOU SOBRE A MISSÃO E NEM QUE ELLA É DIVIDIDA, SEU BURRO.

– Ardack, eu acho que não é uma boa hora.

– AH, ENTÃO QUANDO VOCÊ ACHA QUE VAI SER UMA HORA BOA? QUANDO EU MORRER E NÃO TER MAIS PROFETA?

– Ella está apaixonada.

– PROBLEMA É SEU! QUE ESTÁ ILUDINDO ELLA E NÃO ESTÁ FAZENDO SUA PARTE! Leo, eu realmente desisti de você, não sei mais o que eu faço contigo.

Phaton, irmão de Ardack, sempre quis o título de profeta. Mas, com a visão de Ardack, tudo mudou. Phaton guardou raiva dele, e assim que descubriu que Leo estava em uma missão, colocou alguns gravadores escondidos no templo, monitorando tudo.

– Pobre Leo... Sua missão está sendo um desastre... Mas, que tal estragar mais ainda a missão do desgraçado? - Phaton perguntou a si mesmo. Foi até uma pequena cabana abandonada ao lado da casa.

– Irei colocar em jogo o vampiro mais perigoso. Leo, como sempre besta, vai tentar mata-lo, mas não vai conseguir. - Phaton pegou um espelho com alma do vampiro Hector, e foi até a escola, procurar um corpo para o espírito possuir.

– Menino venha cá! - Phaton chamou o filho de André, Shakar.

– O que foi?

– Eu sou um grande amigo do seu pai. Eu sou empresário, e quero você como modelo propaganda de marca de shampoo.

– TA DE ZUERA COM A MINHA CARA NÉ?

– Não, você é muito bonito e sexy. Seria ótimo ter uma oportunidade milionária como essa, de mostrar seus sedozos cabelos na TV.

– Você acha mesmo?

– Claro. Claro. Mas eu preciso de você, como qualquer modelo, fazer um teste. Entre nesta sala e vamos começar o teste. - Phaton direcionou Shakar a uma sala vazia.

– Mas cadê a passarela?

– Cala boca seu esquisito.

Phaton pegou com força a cabeça de Shakar, e fez ele olhar para o espelho até a alma entrar no corpo. Quando a alma entrou no corpo, Phaton explicou a missão para o vampiro insano.

– Escuta aqui babaca, você tem que atrapalhar a missão do Leo. Atrapalhar o máximo possível, e se puder, destruir totalmente.

– E o que eu ganho com isso?

– Pois é. Você é mais esperto do que eu imaginava não é? Eu tenho planos.

– E quais são esses?

– A Ex-namorada do Leo, Carmel. Vamos colocar você e ela trabalhando juntos... e quem sabe... HEHEHE, você arruma algum rolo com ela?

– Bem pensado, Phaton. Bom... agora me dê licença que eu vou começar meu trabalho.

– Excelente.

Enquanto isso, na sala de aula...

A aula terminou e Omer foi falar com Ella.

– Ella, me desculpa mesmo pelo aquele dia. Eu sei que eu fui um idiota, mas me desculpa, nós somos melhores amigos desde crianças, você tem que me perdoar.

– Mas eu não sou obrigada.

Omer ajoelhou.

– Por favor Ella, por favor!!!

Ella abriu um sorriso e riu do Omer.

– Sim, seu bobo! Tá desculpado.

– Ótimo! Por que eu tava pensando em montar uma banda!

– Sério? Vai ser legal.

– Yoda. Vai ser o nome. Genial não?

– Que tal ''Funkeiros do Colégio Green''?

– Não, eu prefiro Yoda.

– E que vai fazer parte?

– Vou colocar um cartaz avisando a todos que o teste vai ser Terça.

– Tudo bem, até mais Omer.

Ella de longe avistou Leo e correu, feliz da vida atrás dele.

– Oi Leo, meu amor, eu to muito feliz de te v...

– VEM LOGO PORRA. - Leo pegou puxou o braço dela com força e ela desconheceu ele quando fez isso.

– Hey, me solta! O que houve?

– Eu preciso falar a sós com você.

– E realmente precisa desse escandalo?

– Me segue. - Disse ele.

– Não dá.

– Por que não?

– Esqueci a senha do meu Twitter.

– NÃO GAROTA, ME SEGUE QUE EU QUERO FALAR COM VOCÊ!

Eles chegaram na casa. Leo era proibido de leva-la até lá, mas estava desesperado por ter atrasado toda a missão.

– Que lugar é esse?

– Você sabe o que é.

– Não, eu não sei.

– Você já achou que estava em outro lugar, perdida?

– Sempre. Eu nunca me senti completa. Afinal, por trás desse meu sorriso, eu escondo uma mágoa muito grande. Nunca soube por que.

– Eu tenho que te dizer uma coisa.

– O que?

– Você é dividida.

– O que?

– Não sabe o que é dividida? Metade vampira, metade humana.

– Do que você está falando? Isso é impossivel!

– Você faz parte de um mundo sobrenatural, um mundo em que os humanos se recusam a ver.

– Me explica direito, eu estou confusa.

– Você é a profetisa dos vampiros, a chave de tudo.

– Desculpa, eu ainda não entendi.

– CALA A BOCA E ME BEIJA.

Notas finais do capítulo
até o proximo capitulo ;))




(Cap. 8) A verdade vai se revelando - Parte 2

Notas do capítulo
Me desculpe pela demora, esse capítulo é a continuação do outro, por favor, se não lembra, pelo menos leia o final do anterior :) beijos, boa leitura!

Leo beijou Ella.

– Eu não intendi, por que me beijou?

– Você é confusa. Você sempre está em dúvida de quem é, ou o que está em sua volta; tomara que esse beijo tenha te ajudado

.- Mas você não intende, Leo! Eu entendi que eu sou dividida, mas como isso é POSSÍVEL? Eu não sei minha história, eu sou uma vampira?

– Você é adotada.

– O que?

– Nada é como parece ser, não é verdade? Seu pai era vampiro e sua mãe humana. Mas, eles morreram na guerra entre vampiros e humanos, eles tiveram que lhe colocar na adoção. Quando Phaton, seu irmão, descubriu que você existia tentou te raptar, então, Ardack te protegeu para ele não fazer nenhum mal a você. Agora, basta você entender que você faz parte de outro mundo, e tem que recompensar o que Ardeck fez por você.

Ella andou em círculos, colocando a mão na cabeça.

– Então, nada do que eu sei é verdade? Nada é real?

– Isso é real. Sua realidade é essa.

– Eu não sei o que eu faço.

– Você tem que ser coroada como profeta.

– O que devo fazer para ser coroada?

– Achar a fonte de sangue, a única sobrevivência dos vampiros.

– E onde consigo achá-la?

– Eu que te pergunto Ella. Eu não posso fazer mais nada por você. Minha missão terminou por aqui, era isso que tinha que dizer. Adeus.

– ESPERA! E nós Leo? E nós? Você me prometeu seu amor se lembra?

– Isso foi antes. Eu já terminei minha missão, agora é com você.Leo foi embora, deixando

Ella chorando em um rio de lágrimas. Ele chegou na escola e teve uma surpresa:

– Ora, ora! Veja quem está aqui! Leo!!! Que surpresa te ver.

– HECTOR? Mas... você... O que faz aqui, otário?

– Pra te destruir, seu desgraçado.

Hector mostrou os dentes para Leo e atacou ele. Eles rolaram no chão, até que Leo o mordeu, ele morreu na hora.

– Isso é para você aprender, filho de uma égua.Phaton vê Hector morto no chão e deixa Leo ir embora, para pegar o corpo.

– Não acredito que você falhou Hector. Agora minha única escolha vai ser colocar Carmel na jogada.Enquanto isso, na casa dos Rozen...

– Ella? é você?

– Sim, Guy.

– Ótimo, se a Zohar ligar diz pra ela que eu estou doente.

– Mas pra que Guy?

– Assuntos pendentes.

– Tipo paquerar a vizinha do 2 andar?

– Faz parte. Eu vou ver se não esta vazando água do ar-condicionado dela e já volto.

Ella nem ligou para as brincadeiras idiotas do irmão. Tudo estava bem antes, Ella estava feliz, mas quando descrubriu toda verdade ficou tudo bem mais claro.

– Eu já sei por que sempre fui tímida, quieta e perdida. - Disse Ella sentando no sofá e suspirando, - O que eu faço da vida agora? Eu sou só uma menina de 15 anos, eu não posso lidar com uma coisa tão importante assim. - Ella levanta, e vai em direção no seu quarto até ter uma visão.

Ella viu em sua visão um museu e uma casa, com seu irmão Phaton, mas Ella nunca tinha visto ele de perto. Depois, uma visão do Guy no hospital.

– Estou tendo visões, acho que estou bêbada. Ou eu virei feiticeira.

– Oi mana, voltei.

– Que bom.

– Agora vou mandar um SMS pra Zohar dizendo que eu amo ela.

– Pra que isso?

– Ah Ella, as mulheres querem atenção toda hora. Eu vou tomar um banho.

– Tá, não se esquece de pegar a toalha.

– Deixa de ser chata.Depois de uns 10 minutos, Ella repara que ele não pegou a toalha. A porta do banheiro estava aberta e Ella entrou. Quando Ella entrou reparou com uma cena horrível: Guy rebolando na frente do espelho e sem roupa.

– AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!!!!

– Garota, eu disse pra deixar de ser chata de dá logo isso.

– SEU NOJENTO.

Na escola Green...Phaton chama Nicky no mesmo processo que chamou Shakar, só que Shakar voltou ao normal após a morte do vampiro. Ele aprisionou a alma de Nicky no espelho e Carmel, ficou no corpo dela.Passado 1 semana, o coração de Ella ficou vazio, ele não viu mais ele, nem nas ruas e nem na escola. Nenhuma notícia dele.

– Ele me deixou. Eu não acredito. - Disse Ella quando chegou na escola.

– Não intendo maninha, o Leo sumiu e você ta tão calma. Pelo menos mais calma que da última vez.

– Isso é questão de tempo.

– Você acha?

– Eu espero.

Uma voz feminina fala pelo microfone da escola, a voz era muito familiar a Ella. Era a voz de Tamar, aquela que queria matá-la, só que ela não se lembrava. Ela chamou todos os alunos na sala de aula.Tamar entrou rápido, e ninguém entendia por que aquela mulher falou ao microfone, já que para o sr. Green, proibia qualquer um de utilizar objetos e principalmente meios comunicativos na sala dele.

Os alunos foram a sala e ela entrou:

– Vou ser breve, o sr. Green sofreu um acidente. Vou substitui-lo e quero que vocês sejam comportados. Sushi e Guy na diretoria agora.

Eles não sabiam do que se tratava, ficaram assustados e acompanharam Tamar até a sala.

– Bom, vocês devem saber por que estão aqui. - Disse Tamar sentada na poltrona de couro do avô de Aimmon e brincando com algumas canetas.

– Não.

– Seus tolos, é aniversário da Zohar. Peguem uma câmera emprestada do zelador e filmem a festa.

– Pode deixar chefia, essa festa vai bombar! - Disse Sushi ansioso.

– Nada de putaria, por favor.

– Claro.

Eles compraram os preparativos e começaram a filmar a festa. Guy estava filmando enquanto Sushi terminava de decorar o ginásio.

– Para de filmar, caramba!

– Não.

– Ah é?! Então vai terminar de decorar essa droga, ô palhaço. Eu vou embora.

– Não vai, a Zohar vai ficar zangada.

– Que se dane. - Sushi parou o que estava fazendo, pegou um copo de refrigerante e sentou em uma cadeira.

– Venha cá, Guy. Eu quero fazer um video para a Zohar. - Diz o professor de educação física.

– Gravando...

– Zohar, parabêns, que você seja muito feliz, você é minha melhor aluna. Não digo isso por que você é filha do diretor, é por ser minha melhor aluna. O segredo pra ser uma campeã nacional como você é comer muito Atum. Não coma coisas fúteis como seu namorado Guy, coma atum.

Omer chega perto de Guy e falou:

– Tira esse homem da minha frente. - Disse Omer se referindo a Dima.

– Sai daqui seu otário. - Dima saiu furioso.

– O que você está fazendo aqui Omer? Não foi convidado.

– Guy, todo mundo veio. Eu não tenho culpa.

Guy começou a filmar os outros conviddos.

– Shahar, manda algum recado para a Zohar.

– Eu não. Eu não gosto dela, só vim por respeito ao pai dela. - Shahar encheu a boca de salgados e doces até não caber mais.

– Puxa saco.

Enquanto Omer fingia dançar na pista, Guy filmava as pessoas e Sushi estava bebendo, Ella estava sentada pensando na vida até que Leo apareceu.

– Eu quero falar com você.

– O que está fazendo aqui?

– Vem comigo.

Eles se encostaram em uma parede escura do corredor do colégio green.

– Nós temos nossas necessidades, Ella. Você tem que parar de me procurar.

– Mas você sumiu, eu preciso de respostas.

– Você é uma menina confusa tentando salvar o mundo. Não consegue perceber o quanto esses seus pensamentos não te levam a nada?

– Mas e o templo, a ordem de sangue, tudo o que eu vi?

– Esquece isso sua tapada.

– Não me trate assim, Leo. Eu não sou qualquer uma.

– Vamos fazer um seguinte: Eu continuo terminando as missões e quanto você segue sua vidinha ok?

– VOCÊ NÃO ME DEIXA ESCOLHA! Tudo o que eu falo, você me manda calar a boca. Depois que você falou que sou dividida se revelou! Um amava o outro se lembra? Não se lembra dos nossos beijos? O quanto eu te amava? - Ella foi falando baixinho, até que ela foi em direção na boca dele, antes de beijá-la, ele passou a mão na cabeça da ela e disse:

– Minha menina, eu não sirvo pro amor, não insista em mim.

– Quem tem fé sabe que não está sozinho.

– Eu vou te magoar, sem perceber, eu vou te deixar em estado de choque, sem saber. Eu não sou um santo.

– Mas não precisa ser santo. Nem todos os anjos tem asas, só tem o dom de te fazer sorrir.

– E se o amor acabar?

– Se for amor, não acaba.

– Eu te amo... - Disse Leo tentando beijá-la; Ella empurra ele para trás.

– Não tome medidas precipitadas, a exatamente 3 minutos atrás você não me amava não é? - Ella deu um sorriso sarcástico e saiu, deixando o Leo rindo do sorriso dela que nem um bobo, morrendo de amor pela meiguice dela.

Notas finais do capítulo
ESTOU INSPIRADA! Então fiquem calmos, não vai demorar tanto o próximo capítulo, provavelmente amanhã, a qualquer momento mais um capítulo!!! =)




(Cap. 9) Prometo não te machucar

Notas do capítulo
ATENÇÃO: Esse capítulo tem cenas muito fortes e não é recomendado para menores (vocês sabem do que se trata)KKKKKK boa leitura spliteras

– O Inverno já começou... - Diz Ella para si mesma.

Ella deita na sua cama quente, coberta por 3 lençóis. Ella vai fechando os olhos e sonha com ele:

– O que faz aqui Leo?

– Eu vim te fazer companhia.

– Não pedi a sua companhia.

– Eu estou te oferecendo, eu to com saudade sua.

– Saudade?

– Saudade de tudo em você, eu sinto saudade de você me beijar e mundo inteiro acabar, você é tudo pra mim.

Ella chega perto da boca dele para beijá-lo, e ele a morde. Ella acorda do sonho assustada.

– Era tudo ilusão.

– Filha? Está acordada? - A mãe dela foi entrando.

– Sim.

– Quer comer algo?

– Não mãe, to sem apetite.

– Eu tenho me preocupado muito com você, está pálida e tão fria... Vou medir pelo termômetro. Filha, você tem que ir imediatamente ao médico, você está com 40 graus, como isso é possível? Vamos logo, se arrume.

*Ella falou bem baixinho* - Deve ser por que eu sou dividida, né?!

Chegando no hospital, encontrou um amigo antigo da mãe dela para atende-la.

– Bom Sarah, o que houve com sua filha?

– Hoje eu medi a Ella, e está com 40 graus, e tem agido muito estranho, além de estar fraca e sem apetite.

– Você tem algum exame recente de Ella?

– Tenho.

A mãe de Ella deu uma papelada na mão do médico, cheio de exames e números que Ella desconfiou.

– Nossa! Quanta coisa,contudo, nem precisa vir aqui. Pois um exame aqui justifica o que está acontecendo com Ella. Os sintomas dela são: Batimento cardiáco acelerado, pernas tremendo, frio na barriga, olhar distante, falta de atenção.

– É grave doutor?

– Sim! Sua filha está apaixonada.

Parecia até piada, mas a mãe de Ella acreditou. Agradeceu o médico, e não falou nada até chegar em casa e ela trocar de roupa.

– Filha, eu, seu pai e seu irmão vamos a festa da vizinha do 2 andar, voltamos daqui a 1 hora e meia.

Ella tomou um banho, trocou de roupa e foi até a sala ver TV.

Começou a rir do nada.

(POV. ELLA)

Ele me faz bem. Nunca vi isso em ninguém, uma pessoa em que você pode confiar no sorriso dele.

Queria que ele me desse algum tempo, pra sentir mais falta dele, pra amar ele mais.

Ella começou a chorar. Enxugou as lágrimas e foi até seu quarto. Ella chegou em seu quarto e viu Leo sentado em sua cama.

– Supresa em me ver?

– O que faz aqui?

– Vim te ver, te fazer companhia.

– Eu não pedi.

– Então não chore por mim quando eu for embora.

Leo foi em direção a porta para ir, Ella começou a chorar e berrar.

– Vem cá... - Leo abraçou Ella e deu um beijo na testa dela.

– Eu não vou te deixar, eu não quero.

Leo deitou na cama dela com ela e ficou acariciando o rosto dela.

– Minha princesa...

– Meu príncipe...

Ella vira o rosto e fica de frente com ele, respirando debaixo de uma coberta, no frio e um colado no outro, Leo deu um beijo nela. Foi um beijo muito forte, deu um choque entre os dois lábios, a Ella ficou excitada, colocou a mão na nuca dele e ficou melhor o beijo.

Ele foi tirando o casaco dela, ele levantou tirou a blusa e começaram a se beijar, Ella subiu nele beijou ele com mais força, abraçando ele; Ella tirou a roupa e ele também, se beijaram e abraçaram até não ter mais fôlego, até o ultimo momento e que dizer chega, as mãos estavam suadas, estavão com calor mais não deixavam de se amar por um minuto, um completava o outro, no gesto, no beijo, qualquer cena foi perfeita para eles. O calor humano era inevitável, e pra ela, foi o momento mais tentador, pois estava amando mais ainda uma pessoa querida. Depois disso, a Ella realmente fez o que não podia fazer com 15 anos, de acordo com a mãe dela. Eles passaram a se amar mais, o amor foi aumentando a cada beijo, a relação entre eles ficava mais forte a cada toque.

– Anjo meu, eu tenho que te agradecer. Você me salvou muitas e muitas vezes, eu tenho que confessar, é você que me dá forças para tudo e eu não sei onde eu estaria sem você. - Ella falava com os olhos brilhando.

– Se precisar te dou o melhor o sorriso pra não te ver chorar.

Ella levantou da cama e olhou pra janela vendo os carros, os prédios iluminados e a chuva lá fora e começou a chorar.

Ele tocou no ombro frio dela e perguntou:

– O que houve?

– Tenho medo, de perder tudo aquilo que vivi e construi pela minha vida inteira. Eu tenho medo de te perder, mas a verdade, é que mesmo você estando perto, eu sinto sua falta.

– Vamos fazer uma coisa? Para resolver isso?

– O que?

Leo levantou da cama e pegou um canivete.

– Você realmente quer me amar pra vida toda, mesmo as vezes sendo um erro?

– Sim.

Leo levantou o cabelo de Ella, e olhou sua costa nua.

– Então agora você é minha.

Leo deu um corte nas costas de Ella.

– Por que fez isso? - Diz Ella chorando de dor.

Guarde nossas maravilhosas lembranças, mas, por favor, não tenha medo de construir mais algumas.

– Que tipos de lembranças?

– As que eu falei que te amava. Aquelas que eu te prometi meu amor, Ella, eu não quero te perder. Você é meu sonho.

– Hoje eu realmente preciso ouvir qualquer palavra tua, qualquer frase exagerada que me faça perceber que estou viva.

– Eu te amo.

Leo se entrelaça nos lençóis com Ella e beijando. Deixando aquela noite, inequecível.

Notas finais do capítulo
Gostou? Então comente e te espero no próximo capítulo.




(Cap. 10) Tudo ou nada

Notas do capítulo
Oi, novo capítulo, esse capítulo é muito importante prestar bastante atenção, por que a partir de agora em diante os personagens e etc., tudo vai ser baseado nisso aqui , bjs ;*

POV. PHATON

O Hector fracassou na sua missão, a Carmel se apaixonou pelo irmão da Ella e agora? O que eu faço? Deve ter alguma coisa por aqui...

Procurei espelhos com almas em um armário e achei muitos, até que vejo um escondido lá atrás, bem no topo, a alma do vampiro era medonha, olhos brancos, presas grandes, olhar assustador, realmente temebroso. Peguei ele mas nem tive coragem de olhar direito, mas tenho que escolher o vampiro certo dessa vez. Olhei bem para o espelho e vi as características da alma dele: me pareceu um vampiro sanguinário, matador, cruel. Peguei um homem na rua para ser seu corpo. Assim que a alma ocupou a alma dele eu falei:

– Deixe-me apresentar. Eu sou Phaton, seu mestre. Preciso que você faça missões para mim.

– Missões? - Disse ele falando.

– Na verdade, me desculpe por ser apressado, qual é seu nome?

– Zaire. - O vampiro meu comprimentou com a mão gelada.

– Zaire, você é minha última esperança. Tem um vampiro chamado Leo, que eu preciso que você atrapalhe a missão dele. A missão dele é proteger a dividida.

– Dividida...Ella.

– Como sabe, Zaire?

– Eu sei de tudo. Você precisa que eu destrua isso? Essa estrutura?

– Exatamente.

– Já fiz trabalhos mais dificéis. Não irá se arrepender.

– Você vai se desfarçar de aluno no colégio dela e dele. Seja discreto.

– Pode deixar. Vai se orgulhar, irei começar meu trabalho desde já.

Ele saiu.

Zaire se disfarçou como aluno. Zaire era um vampiro perigoso, esperto e muito atraente. Ella não conseguiu desfarçar e foi seduzida por ele de cara, parecia que para ela, o Leo nem existia mais.

– Ei, moça! - Gritou Zaire atrás de Ella, - Uma moça bem bonita aliás...

Ella deu risos, toda envergonhada com o elogio.

– Sabe onde é a sala de química?

– Segunda porta a sua direita.

– E você... tá afim de passar o intervalo comigo?

Ella olhou para Leo que estava vindo de longe.

– Na verdade...

– Gata, eu posso te ajudar em alguma coisa, sei lá, e talvez a gente pode dar um rolé por ai.

– Vai ser ótimo!

– No intervalo, te espero. - Ele passou a mão no cabelo dela e deu um beijo; Leo chega perto.

– Quem era aquele cara?

– Não te enteressa Leo.

Parecia que Ella estava enfeitiçada, e que não ligava mais para o Leo.

Ella ficou a aula toda pensando no Zaire e no Leo. O Leo deu a ela a noite mais maravilhosa do mundo, sendo que aquele corte ainda sangra as vezes. Já o Zaire apenas existe! No intervalo eles voltaram a se falar:

– Ei, Gata. - ( Nota da autora: toda garota mal acostumada com essa gíria fica envergonhada, imagina a Ella!).

– Oi, como foi a aula?

– Não vamos falar sobre a aula, vamos falar sobre sobre você. Estuda aqui a muito tempo?

– Não, só um ano mesmo. Eu e o meu melhor amigo Omer.

– Quem é ele?

– Ah, ele é timido. Sabe tudo sobre mim. Ele gosta de mim, mas isso não rola.

– Entendi. E quem é a aquele garoto?

– Ele é o Leo. Lindo, né?! Ontem foi maravilhoso com ele.

– Fala, eu vou adorar ouvir. - Zaire colocou o braço no ombro dela.

Ella ficou muito sem graça. Ela iria falar sobre relações ultra particulares com um garoto que acabou de conhecer. Mas ela gostava dele, ela não queria deixa-lo no vácuo.

– Ele provou realmente que me ama ontem.

– Mas foi pra valer?

– Foi. Eu não sei, a primeira vez foi maravilhosa. Principalmente com ele que eu amo tanto.

– Você namora ele?

– Não. Apenas me relacionei e mais nada.

Zaire percebeu que a Ella era fácil o suficiente, até o ponto de ter relações sexuais com conhecidos.

– Mas fala sobre você Zaire. Tá gostando da escola?

Zaire avista Leo de longe em um corredor.

– Ella, na verdade eu to gostando muito. É... por que você não me mostra os corredores da escola?

– Claro.

Ele continua com os braços nos ombros dela. Quando ele vê Leo se aproximando dos dois, ele encosta ela em uma parede e beija ela.

– Mas o que foi isso?

– Eu gosto de você, Ella.

Leo viu ele beijar Ella e saiu. O sinal tocou.

– Tchau, Ella, tenho que ir.

Zaire foi embora e deixou Ella sozinha. Ella foi andando até a sala e Leo pegou ela pela blusa.

– O que tá fazendo?

– ME DIZ VOCÊ, BEIJANDO AQUELE GAROTO. POR QUE VOCÊ TAVA BEIJANDO ELE? VOCÊ GOSTA DELE?

– Leo, para! Foi só um beijo.

– VOCÊ GOSTA DELE?

Ella permaneceu em silêncio.

– GOSTA OU NÃO GOSTA?

– Sim.

Ele colocou a mão na cabeça e começou a amaçar todos os armários com a mão.

– PARA LEO.

Lágrimas começaram a escorrer no rosto dele.

– Para você, Ella. Nada que eu faço, nada que eu digo, NADA, NADA, NADA, te deixa feliz! Você não tem solução! Eu tento te fazer feliz, mas é impossível! Eu desisto de você, eu desisto!

– PARA LEO, NÃO ME DEIXA!

– Não te deixar? Você que não tem conciência. Não sabe quem te ama de verdade, vê se cresce. NÃO ME PROCURE MAIS.

Leo foi embora da escola e o diretor foi ver o que estava acontecendo:

– MEUS ARMÁRIOS! O QUE VOCÊ FEZ COM MEUS ARMÁRIOS, ELLA?

– Diretor Green, o Leo veio aqui e amaçou tudo...

– CHEGA! VAI LEVAR UMA ADVERTÊNCIA PESADA E VOU FALAR COM SEUS PAIS.

– Mas Diretor...

– VOCÊ VAI LEVAR DUAS ADVERTÊNCIAS, AGORA VÁ LOGO PARA SUA SALA ANTES QUE SEJA EXPULSA DESTE PRÉDIO!

Ella foi pra sala de aula, com muita raiva, zangada, com muito ódio. Depois de uma semana, nenhuma notícia dele. Ella desapareceu com Zaire, eles foram a lanchonetes, estudaram juntos, e a cada encontro mais a Ella revelava um pouco do seu segredo pra ele.

Ela não tinha notícia dele e nem ele dela. Ela ouviu alguns boatos segundo Ardack, que por Ella ter se afastado dele, ele se meteu em muitas encrencas, como drogas e festas. Ella ligou 100 vezes pro celular dele e nenhum sinal de vida dele. Ninguém sabia dele, e ao passar dias, as tardes eram tranquilas pois Ella não se lembrava dele e as noites eram horríveis sem ele pra esquentar o outro lado da cama.

POV. LEO

Saindo pra baladas ensurdecedoras. Pegando a loira, prometendo casamento a ruivinha e tendo sexo casual com a morena que conheceu no banheiro sujo daquela boate, daquele dia, daquela noite. Torrando o dinheiro com porcaria, deixando a casa suja, mandando os outros vampiros ir sentir coisas profundas atrás. Ignorando todos os dias os conselhos de Ardack e andando com ordinários que, no fundo, nunca confiará em você e te trapacearão na melhor oportunidade. Não atendendo os telefonemas da Ella metida á preocupada, apagando os recados dos vampiros insanos do bar - que liga e não sabe pra que. Negando a saudade daquela garota que conheci no primeiro ano do colégio e te fez pensar em um futuro melhor. Caçando confusões por ai, criando pilhas de inimigos. Sendo o cara fodão, pegador, com um carrinho bonito e lotado de fãs… Mas tão vazio de si mesmo. Te conheci naquele dia desesperador, onde teve mordidas e sangue. Você estava parada, e com seus olhos observando tudo quieta. Te observei de longe, você disse algo baixo, eu te olhei e você me fitava sério. Seu olhar estava frio demais. Frio a ponto de me congelar também. Perfeito. Você precisava de mim. Segui-te até sua casa, fiquei ao seu lado nas noites que não dormira. Havia dias que pessoas me ligavam chamando-me pra uma balada que iria com os amigos. Sempre negava, de cara, você, na verdade,precisava de mim aquele dia. O tempo passou e você me procurava pra se sentir mais segura, contar quantas noites passou em claro e solitária. Eu te ouvia e entendia o quanto seu coração vazio pesava dentro de você. Tentei te dizer uma ou duas vezes que se esconder assim não te faria bem, você me retrucava dizendo que esse papinho furado era chato demais. Acabei por ser seu único amigo, a único que ficava, realmente, ao seu lado. Ao seu lado naquela noite que sua mente estava vazia, ao seu lado no colchão nas noites geladas. O único que te conhecia de verdade, por um olhar só. Eu sei. Eu sou insensível. Também nunca quiz ser amigo de ninguém, muito menos de uma menina perdida feito a Ella, mas a falta que o amor fazia em mim era enorme e acabei me apaixonando. Na manhã de domingo ela me ligou. Tocou, tocou e eu fitei o visor com as mãos tremulas. Meu rosto estava pálido, meus batimentos aumentaram de uma hora pra outra. Peguei o celular e taquei na parede, pôs as mãos na cabeça, como se a fumaça dos cigarros não conseguissem mais estacar as lembranças que não queria lembrar. Eu sabia. Era ela. Era ela que o fazia pensar em viver de verdade. Era ela que eu afogava todos os dias com bebidas fortes. Era por causa dela que eu ouvia musicas altas demais, pra ensurdecer os gritinhos que a saudade dava em meus ouvidos. Era pra não se lembrar da doçura que um dia experimentei, que um dia amei ela, ou que ela foi amada,e que eu ficava com garotas amargas demais. E era por ela que ele pensava em se procurar de novo. Era por ela que eu pensava em encontrar o homem que já fui. Eu me perguntei o porquê de não atender os telefonemas dela, sendo que tá doendo tanto o vácuo ai dentro. Eu não queria que ela me visse daquele jeito, tão perdido na bagunça da sua casa, com a mente suja de fumaça, com os sentimentos embriagados com whisky e vodka. Pôs as mãos no peito, como se a alma quisesse abrir caminho e jogar-se pelas escadas. Me olhei por dentro e, pela primeira vez, me mostrei como criançinha perdida, triste. Meus olhos estavam molhados, meu rosto encharcado de lagrimas e os lábios trêmulos que, se abriram com dificuldade e me perguntei “Solidão, isso que é amor? ’’. Com o amor não a espaço pra solidão. Não a espaço para mim, eu sinto saudade dela, minha companheira melancólica de todas as noites. Mesmo não me perdoando, não perdoando ela principalmente, toda pessoa é amiga da solidão, mesmo querendo ou não. Finalmente, o telefone toca de novo, é a Ella, e eu atendo:

– Cadê você? - Eu disse.

– Não te enteressa.

– Você está me ligando e não quer falar nada?

– Quero escutar sua voz.

– Pra que se você não me quer, Ella?

– Sempre te quiz.

– Não vou me doar mais a você então.

– Ótimo, vai lá com as suas amiguinhas. Vai lá se divertir.

– Você é fria, Ella.

– Que bom.

– Acha que isso é qualidade, menina?

– Eu acho que isso é resistência.

– Você diz que me quer e me trata com frieza. Atraente, não?!

– Desculpe, eu não sou como as outras meninas.

– Eu percebi. As garotas com quem eu fico são diferentes de você.

– Pode falar essas besteiras, Leo. Mas...Queria tanto ficar bem sem você, sem falar, sem contato, mas ao mesmo tempo quase morro quando você não me conta como foi seu dia. Já basta essa distância insuportável e ficar um dia sem ter noticias suas acaba comigo.

– Disso eu não quero saber mais. Nada de você quero saber.

– E a vontade de te beijar, como é que fica?

– É só você imaginar que aquela boca ensebada é a minha. Acostuma, tá?! Vai ser a primeira de muitas vezes que você vai beijar ele.

Desliguei na cara dela. Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim, e ter paciência para que a vida faça o resto.

Notas finais do capítulo
Obrigado por ler, comente, seu comentário é importante, beijus!




(Cap. 11) Pode se esquecer

Notas do capítulo
Hey, novo cap. espero que goste! Beijos!!!

[Pov. Ella]

Pensar que um dia eu estava com ele, eu estava segura! Bem, você sabe o que é ter um coração insensato? Você mesmo que está me ouvindo! Eu tenho um, não tenho sorte ter um assim. Dizem que quando se tem 2 amores em sua vida, escolha o segundo, pois ele não existiria se o primeiro foi relmente amado. Como o Leo não é amado por mim se, eu já beijei ele, chorei, abracei, senti. O Zaire é um cavalheiro, me encanta, muito simpático e doce, dá vontade de ficar abraçado nele em noites frias. Quem nunca já teve que decidir entre uma coisa e outra, até mesmo entre um livro ou um celular, uma bala ou chiclete. Isso tudo são dúvidas, mesmo sendo besteiras, sim elas são.

Ella escovou seu cabelo liso comprido, e pra se esquecer da história, foi andar de bicicleta; foi andando até ver o mar refletindo na luz do sol. Ella nunca viu coisa mais linda; parou a bicicleta e colocou seus pés na areia quente, pegando um sol e pensando na vida. Derepente, alguém molha seu pé:

– Levanta preguisosa!

– Zaire, o que você tá fazendo aqui?

– Eu vim tomar um banho de mar, e você? Me seguindo?

Ella riu,- Não, eu to aqui pra relaxar mesmo nesse sábado, e eu to cansada de pensar nele.

– Ele é um idiota por ter largado você.

– Eu acho que sou eu a idiota de não ter enxergado ele com todas aquelas briguinhas bobas.

– Você precisa se decidir, se posicionar.

– É.

Quando deu um climão entre eles, Zaire pegou um punhado de areia e tacou na perna dela.

– O que você tá fazendo?

– Te jogando areia ué!

Ella começou a gargalhar, pegou areia e tacou nele. Eles foram brincando disso até a Ella se esquecer dele. Ella se desiquilibrou e caiu no mar, Zaire se tacou no mar também e começaram a rir, foram pra casa todos molhados.

Mas a história estava diferente com o Leo, talvez doeu mais para Leo do que pra Ella.

[POV. LEO]

Nossa história começou cedo, e acabou rápido demais. Claro que eu queria continuar, mas já que você resolveu me trair, eu resolvi te ajudar mostrando uma falsa compreenção. Cavamos nossa própria cova. E agora só nos resta lamentar a dor de não termos conseguido lidar com a felicidade de ter um perto do outro. Confissões destrutivas e palavras fatais. Você me afastou de si mesma, e as vezes eu fiz isso, mas tudo o que eu mais queria era te levar comigo. É a velha história trágica que sempre vai deixar seus planos pela metade, e sempre sentiremos saudades de momentos que nunca vivemos. E essas saudades são as piores. Minha princesa, que pena que eu te perdi.

Eu peguei mais alguns cigarros, a caixa já estava vazia, as bebidas já tinham terminado, queria ir buscar mais... Só que eu tenho medo de vê-la. - Leo trancou a porta do apartamento, sentou na frente dela e começou a chorar:

– Por que você me deixou? Meu Deus, eu não consigo viver sem você, eu preciso, eu preciso.

Ele chorou, chorou, chorou até seu rosto ficar enxado, decidiu ir na casa dela.

Enquanto isso na casa dela....

– Zaire, aceita alguma coisa? Um suco, um refrigerante...

– Não, obrigado.

Ella sentou ao sofá perto dele e encostou o pescoço no ombro dele.

– Sabe que... você é uma gracinha?

Ella sorriu. - Você acha?

– Acho.

Ele colocou a mão no queixo dela, levantou a cabeça e foi dar um beijo nela quando a campanhia toca.

– Já volto. - Ella foi atender a porta

– Oi Ella.

– O que você faz aqui Leo?

– É difícil dizer, mas eu quero te perdoar.

– Perdoar? Leo, nossa relação é confusa. VOCÊ terminou comigo por que você tem ciúme, eu te procuro e você me ignora. Agora, você vem aqui me procurar.

– É por que cada um precisa do outro.

– Não, eu acho que isso é maluquice sua.

– Mas eu quero te proteger..

– PROTEGER DO QUE?

– Você é dividida, se lembra? Você não começou ainda seu treinamento, vai arruinar tudo.

– Eu estou falando de nós.

– Eu também quero te proteger dele. VOCÊ É MINHA.

Parece que você não percebe que está me perdendo aos poucos, depois que eu me afastar de vez não adianta querer voltar.Mas por enquanto eu lhe digo é você sempre foi você que eu quero, você faz tudo ficar difícil não sei se está fazendo jogo duro ou não quer mesmo, mas isso está acabando comigo. Eu te quero, mas não quero tanto quanto eu era sua companheira.

– Mas você nem se importa comigo, com meus sentimentos. Deixa pra lá.

– Claro que eu me importo, seu idiota. Eu fiquei noites e noites chorando, esperando você voltar pra mim. Meu celular estava sempre carregado, esperando sua ligação. Agora você aparece na minha frente, como se nada tivesse acontecido e ainda quer que eu te perdoe? Posso te matar agora ou depois?

– Ei, ei, calma. Desculpa te fazer sofrer. Não foi minha intenção, sério. Pensei que seria melhor terminarmos. Me arrependo agora.

– BLÁ, BLÁ, BLÁ. Até parece que eu vou me comover com essa baboseira! ACABOU. Não há mais nada entre nós.

– O que eu posso fazer pra te fazer sorrir? Fala. Qualquer coisa.

– Vá para o inferno com esse seu amor de merda. Adeus.

Ella bateu a porta na cara dele. Foi inevitável rir das piadas do Zaire depois daquilo.

Pov. Ella

As vezes eu realmente não intendo o que eu sinto, então, não espero que as pessoas sejam capazes de intender.Sempre tento minimizar essa confusão de sentimentos, sempre tento manter os pensamentos longe de você, mas isso é inevitável. Depois de te perder, 90% dos meus pensamentos são em você, e os outros 10% são em nós. A tua presença significou tudo para mim, ou ao menos tudo que importava pra mim. Me tornei tão deplorável, tão necessitada de você. Nada é capaz de ocupar todo esse vazio dentro de mim, ou devo dizer, só uma coisa, que seria você aqui de volta, mas isso já está fora de alcance. Você se foi, você está distante agora, talvez tenha encontrado alguém melhor… Acreditei que sua ausência me faria te esquecer, mas descobri que só fez eu sentir saudades cada vez mais. Essa coleção de vazios jamais será preenchida, essa saudade só aumente cada vez mais… Mas talvez não seja especificamente da sua presença que eu sinto falta, talvez eu só precise de alguém ao meu lado novamente, talvez eu só precise de alguém capaz de ocupar seu lugar, alguém que me de atenção e carinho.

Notas finais do capítulo
comente! Até o próximo capítulo! ;**




(Cap. 12) A sintonia ''perfeita''

Notas do capítulo
Shalom, novo capítulo, beijinhos :*

19 de maio de 2012 - Diário da Ella

O amor é suicida, HAHAHA, isso é verdade. Não pensei que iria terminar assim, eu odeio ele, ele me odeia (eu acho e gostaria que fosse sim), está tudo bem agora. Mas não adianta, eu não sei explicar, as palavras traem o que a gente sente; eu achei meu porto seguro: Zaire.

Ele não me faz chorar, nem sofrer. Ele não me faz sentir a dor dos machucados do Leo, ele alivia toda dor, sendo no meu coração ou meu corpo.

Ella foi pra escola e encontrou seu amigo Omer, que já não via já faz um tempo desde quando tudo começou.

– Tudo bom Omer?

– Ella! Tá sumida!

Eles se abraçaram

– Eu que o diga! Onde estava? Não tive nenhuma notícia sua!

– É uma história muito longa, sente-se.

– Me conta tudo.

– A Nick, depois do aniversário da Zohar estava possuida por uma alma de uma vampira.

– VAMPIRA?

– Isso mesmo. É de uma vampira chamada Carmel, eu fui procurá-la na festa e ela quase me mordeu, a mãe dela que é psicóloga, chegou e impediu ela de me morder, nós levamos ela a um hospital, deram uma ingeção nela e o espírito saiu do corpo, mas não sei como, nem onde ele está. Nós explicamos tudo a ela e ela me beijou na cama do hospital, e estou namorando ela.

– Fico feliz por vocês.

– E você, o que houve?

O sinal tocou.

– Hum, você nem vai querer saber!

Ella passou pela porta de uma sala de aula e Zaire agarrou ela:

– Oi linda.

– Não era pra você estar na sala?

– Eu tava te esperando anjo, me beija?

Ella desviou o rosto da boca dele

– Só na saída.

Entraram na sala atrasados e a professora de química escolheu as duplas:

– Omer com Nicky, Guy com Zohar, Ella com Leo e Zaire com Shahar.

Ella arregalou os olhos quando ouviu que sua dupla era com o Leo, ele se sentou perto dela e não falou nada, ficou olhando pro teto e fazendo os deveres. Ella estava cansada daquele silêncio e puxou assunto:

– Em qual letra você está?

– D.

– Eu estou na A ainda...

– Hm.

Leo não queria assunto, mas uma das coisas que mais irritava ela era o silêncio.

– Eu fui no templo...Eu vi Ardack lá.

– E eu com isso.

– Você queria que eu fosse lá.

– Eu não mandei,obriguei e nem quiz.

– Ele disse que o tempo dele estava se esgotando e era pra você me ajudar.

Ele continuou copiando do quadro e ela deu um tapa na mão dele.

– Pare de escrever e me escute.

– Fale.

– Por que você não está falando nada?

– Acontece que agora eu não dou mais o meu melhor pra quem me dá pouco. Não corro atrás de quem não dá um passo por mim.

– Não é pra me amar novamente! Você tem um compromisso, você que foi o errado da história de se apaixonar, por uma pessoa que você não podia! Mas se é pra me amar, me ame de verdade, se é pra viver, que seja juntos, se não for assim, nunca mencione tal frase ‘eu te amo’ , pois para algumas pessoas ela pode significar o mundo, como isso significou pra mim.

– Eu não quero falar de sentimentos, pois o nosso já acabou. E eu faria de tudo pra me afastar de você.

Ella ficou quieta, abaixou a cabeça, riu em vão e disse:

– E pensar que você me falava outras coisas... que não conseguia viver sem mim.

– Eu tive que aprender que nada é pra sempre, também tive que pessoas não são pra sempre.

– Saiba que eu estou muito bem com o Zaire! E que as pessoas me ignoravam antes, mas não me ignoram mais, pois recuperei minhas forças com o amor dele.

– Às vezes não parece, mas você é adorável, garota. E se o mundo não tem dado a mínima pra você, o azar é do mundo, e não seu.

O sinal tocou, ele foi embora e ela ficou pensando no que ele disse e o quanto isso tocou ela profundamente.

– E agora, me beija? - Zaire chegou abrançando ela.

– Não, eu tenho que ir.

Ella chegou em casa e viu uma mensagem no celular dela:

'' Posso ainda te odiar por tudo. Como ainda odeio. Mas, durma bem.

''Leo'' ás 14:52''

Que felicidade, que emoção. Ella recebeu o convite de paz do inimigo. Era mais ou menos o que ela estava pensando.

– Não tem problema ele me odiar, ele ainda se importa.

Ella sorriu, tudo ficou azul naquele dia. Ella beijou e abraçou Zaire, recebeu notícias que Guy e Zohar estavam namorando, tomou milkshake com Omer e Nicky, tudo estava perfeito. Tudo ao seu tempo e tão...maravilhoso! Mas era isso que Ella deveria se preocupar, de tudo estar perfeito, principalmente com uma dividida.

POV. ELLA

Sua vida não foi dada a você para ser desperdiçada com lágrimas por corações partidos ou preocupações do que os outros estão pensando de você. Não deve perder seu tempo se importando de agradar aos outros e esquecer de gostar de si mesmo. Sabe, a vida é muito mais que anos… é cada lembrança, cada momento, cada lição. É esperar por um telefonema que acabou por não chegar. É assistir um filme e depois ter medo até de ir ao banheiro sozinho. É abraçar aquela pessoa que você não gosta. É desligar o celular e ouvir “Nossa como você sumiu” de alguém que tem seu endereço. É sonhar e depois de alguns anos, ver como seus objetivos mudaram drasticamente. É descobrir que não existe o tal do cavalo branco mas talvez somente uma rosa na mão. Agora me diga,o que você pretende fazer da sua única vida?

Notas finais do capítulo
LOL, ótimo capítulo, comentem queridos!




(Cap. 13) O pesadelo começou

Notas do capítulo
Este é o capítulo principal da fic, NA VERDADE... foi o capítulo que eu estava mais ansiosa para postar. Não percam, vocês irão se surpreender :) beijos.

– Ella, querida... Bom dia!

– Bom dia mamãe.

A mãe de Ella estava com uma xícara de café quente e um artigo de jornal na mão... até que ela observa:

– Que interessante, Michael... Esse final de semana podemos viajar!

– Viajar? Quando? - Intrometeu Guy

Os pais de Ella sussurraram e olharam sério para Guy:

– Guy... Nós queriamos viajar...Mas, eu e seu pai pensamos em outra coisa. Ella, o que você acha de ficar em um hotel em frente á praia de Tel Aviv?

– Uau! Séria ótimo...

– Pois é, como você já tem 15 anos, e nós não te demos um presente no seu aniversário, esse é o seu.

– AH, JURA?! OBRIGADA, OBRIGADA!!! - Ella abraçou seus pais muito feliz, a praia de Tel Aviv sempre foi o lugar preferido dela.

– Mas para você não ficar sozinha, leve alguém que você queira, porém, não precisa avisar a nós. Hoje é sexta, então você vai dormir no hotel e ficar lá até sábado, ok?!

– Awn, obrigada! Eu vou adorar!!!

*O telefone toca*

Ella atende.

– Ella?

– Oi, Omer!

– Ella, hoje não tem aula.

– Ué, por que?

– Eles estão reformando, finalmente, algumas salas da escola com infiltrações.

– Obrigada por me avisar.

– O que vai fazer esse final de semana?

– Eu vou ficar fora de casa. Não vai dar para a gente se encontrar, deixa pra outro dia. Beijos!

– Tchau.

Ella foi ao seu quarto arrumar sua cama, e derrepente, sente uma dor:

– AH! O que foi isso?

Ella reparou que do nada, surgiu um símbolo em seu dedo. Era como uma tatuagem. Quando ela viu isso em seu dedo, ela pensou se era algo a ver com Ardack e os vampiros, foi para o templo procurar Leo.


POV. LEO

Agora que eu não tenho compromisso com mulher nenhuma, estou livre. Fui procurar Carmel, soube que ela voltou a seu corpo. Não foi difícil encontra-la, estava no templo.

– Cadê o Ardack Carmel?

– Você se preocupa com o Ardack e não comigo?! - Carmel pegou o colarinho da minha blusa, puxou-me e beijou meu pescoço.

Eu quase me deixei levar por suas tentações e perguntei novamente:

– Me fale, onde está ele?

– Eu não sei, eu cheguei e ele não estava mais aqui... Agora me fala, o que é possível e impossível fazer pra ter uma noite de amor com você?

– Sai fora, Carmel.

– Eu quero ver se você não resiste a mim.

Carmel beijou Leo e entrelaçou suas pernas na cintura dele, a cada beijo, parecia que eles iriam fazer amor em cima do piano.

Ella caminhou e caminhou, chegou ao templo e viu a pior cena de todas. Ela continua odiando ele, mas, qual seria sua reação ao ver seu Ex com outra na sua frente? Era isso que Ella estava indignada.

– Virou vadia agora, Carmel?! - Ella gritou.

– O que você está fazendo aqui? - Leo falou como se não estivesse surpreso com a chegada dela.

– Eu vim aqui procurar você e o Ardack, mas percebi que o templo agora virou cama...

– Garota, o que você quer aqui?

– Leo, eu já disse, tudo está ficando claro, estão aparecendo marcas estranhas nos meus dedos! Preciso da sua ajuda.

– E eu com isso? Vai embora daqui.

– EU NÃO QUERO! - Ella impurrou Leo, ele quase vôou para trás de tanta força que a Ella tinha empurrado. Ela percebeu que seus poderes estavam evoluindo e cada vez mais forte.

Ella foi para o hotel sozinha e passou a noite de sexta lá.

POV. ELLA

18:00 da tarde...

Eu não tenho mais nada há fazer aqui nesse hotel... Eu acho que eu vou chamar o Zaire pra me fazer companhia.

– Alô?! Zaire?

– Oi amor.

– Eu to tão sozinha, por que você não passa o dia aqui comigo no hotel?

– Aquele de frente a praia?

– Isso, te espero. Beijos.

Ele chegou de moto com uma jaqueta que dava volume aos braços dele. Estava frio, eu desci até a portaria com um moleton até a cintura, os outros hóspedes me olhavam feio pelo meu traje, que parecia que eu estava sem short; ele me deu um beijo e eu me arrepiei, subimos e começamos a conversar.

Já se sentiu culpado por tudo estar dando errado?

– Se sentir culpado pelo mundo te olhar diferente, certo?!

– Você me entende, lindo.

– Fico feliz.

– Você não me magoa que nem o Leo.

Ele se levantou e pôs a mão na cabeça

– Você vai continuar me comparando com o Leo?! Parece que só pensa nele.

Eu levantei, peguei a mão dele e disse:

– Que lindo seu ciúme.

– Não é ciúme, é só seu fanatismo por ele.

Eu sentei na cama, abaixei a cabeça e suspirei:

Eu nunca vou entender por qual motivo as coisas ruins sempre tem um impacto maior que as coisas boas. Sei lá, parece que as pessoas que te fazem mal, são aquelas que ''infectam'' seu coração.

– Contudo, diferente de você, Ella... Eu preciso te ver bem, mesmo que isso me faça mal.

– Awn!

Beijei, e beijei ele e em um piscar de olhos já eram 3 da manhã, eu fui ao banheiro e quando voltei ele estava deitado na cama, eu subi em cima dele, ele me segurou na cintura, eu sorri pra ele e me deitei em seu colo.

– Ella..

– O que?!

– Eu não posso fazer isso, desculpa, eu não sou esses caras que gostam de aproveitar as meninas.

Me puxa e me beija, idiota.

Ele realmente me puxou e me beijou, fomos tirando nossa roupa aos poucos e derrepente, eu já estava amando ele como nunca tive amado. Tudo foi muito forte, e bonito, eu senti mesmo que eu fui amada.

– Zaire, porque te quero tanto assim? eu não sei o que acontece comigo, sempre que penso em você me bate aquela saudade, uma vontade imensa de estar contigo… seja la o que for que tenha feito comigo, não pare agora, por favor. é tão bom o que estou sentido, mãos geladas, arrepios no corpo inteiro, meus olhos brilham só de pensar em você. Seu cheiro pode sair de mim com um banho, mas acredite, sou capaz de sentir ele todas as vezes que fecho os olhos.

– Eu te amo.

Isso TUDO continuou até ás 5 da manhã, passamos a noite em claro se amando. Já viu coisa mais maravilhosa? Eu nunca.

Eu e ele nos vestimos e eu fui ao banheiro e olhei o bolso da jaqueta dele que estava lá:

– O que será que tem aqui?!

Eu vi algo bizarro e não acreditei na hora, eu sai do banheiro correndo e minha vida começou a ser vista em câmera lenta, eu sai do apartamento rapidamente e ele me perguntou onde eu ia, eu não respondi. Fui a uma drogaria e voltei, eu encontrei ele no mesmo lugar de onde ele estava:

– Ella, onde você foi?!

De novo, eu não respondi, entrei no banheiro e depois de 15 minutos, eu abri a porta com um pote e um plástico na mão. Eu vejo ele, na porta desesperado:

– ELLA, O QUE HOUVE?

– Eu estou grávida.

Notas finais do capítulo
Tadinha gente :(
Comente.




(Cap. 14) Rest in peace

Notas do capítulo
Oi, o último capítulo (''O pesadelo começou'')foi publicado dia 23/05. Então, digo e repito: Se você não entendeu o capítulo anterior, por favor, leia o capítulo antes de ler esse, OU envie um review com sua dúvida. (Recomendo lerem os capítulos anteriores para entender, pois se não sabem, também não intenderão nada desse!). Boa leitura!!! :)

– Como assim Ella?! Isso é algum tipo de piada?

Ella sentou-se na cama e suspirou.

– Não é. E agora o que a gente vai fazer?

– Eu não sei...

– Como você não sabe? Eu tenho 15 anos e estou grávida, como que eu vou parir esse filho, aliás, como vou sustentá-lo?

Ele sentou na cama e abraçou ela.

– Fica calma, tudo vai ser resolvido.

Ella levantou e recusou o abraço.

– Não fique brava comigo, não foi só eu que errei, foi você também.

– Eu não quero discutir quem está errado ou não. Já estou grávida e agora não tem mais volta. Eu pretendo cuidar desse filho como se fosse um amor maior que eu, não irei deixar que o mesmo que aconteceu comigo, aconteça com ele. A sorte é que não somos vampiros ou algo do tipo, pois dizem que filho de dividida e vampiro, seria morte imediata.

Ele ficou com a cara no chão, tentou disfarçar mas não deu... A preocupação era muito grande, principalmente agora.

– Quer que eu te leve pra casa Ella?!

– Na verdade, é disso que eu tenho medo. Daqui a pouco essa barriga vai crescer, e não sei o que meu pai pode falar pra mim.

– Você quer morar comigo?

– Sim, mas primeiro você vai ter que ser apresentado ao meu pai e a minha mãe, e claro, antes dos 9 meses e de algum sinal que estou grávida.

– Não queria ser tão estúpido Ella, me desculpe.

Ella jogou seu cabelo liso para trás e deu um abraço forte nele.

– Eu que lhe devo desculpas Zaire, eu fui muito longe. E agora meu coração está machucado.

POV.ELLA

Depois que eu disse isso pra ele, não perguntou por que meu coração estava partido, ele ficou quieto.

Faz só 2 dias que eu descubri isso, era pra ter ido pra casa há algumas horas, meu celular deve estar cheio ligações perdidas e mensagens apavorantes; e agora, já estou sentindo o enjoo e as cólicas que toda adolescente tem pararam, eu estou precisando mesmo é de alguém que me dê apoio. E isso ele não irá me dar.

Eu me arrumei, e liguei pra minha mãe:

– Oi, mãe.

– Ella, venha logo para casa.

– Mãe, eu queria te apresentar meu namorado, ele pode ir ai no almoço?

– Sim, mas venha logo, já vou preparar tudo, tchau.

– Tchau.

Mandei ele se arrumar e fomos. Chegando lá, minha mãe fez aquele prato bonito e colocou na mesa, meu pai fez perguntas óbvias, mas também desconfiava nenhum pai gosta de ver sua filha namorando. O Guy ficou em silêncio e ignorou, quem mais conversou foi minha mãe. Percebi que Zaire falou algumas mentiras pra ela, porém no final de tudo quando ele perguntou se eu podia morar com ele, ela acabou deixando e meu pai também. Saimos de casa e entramos novamente no Hotel, o telefone dele tocou:

– Alô?

– Quem fala?

– Zaire.

– ZAIRE, VOCÊ TEM QUE VIR FALAR COMIGO, É URGENTE.

– Quem é?

– AQUI É O PHATON, ME ENCONTRE ATRÁS DA ESCOLA.

– Já estou indo ai.

Ele desligou o celular e me disse que tinha um compromisso. Eu deixei ele ir, e fiquei vendo um pouco de televisão.

–-------------------------------------------------------------------

– Phaton?! Você está ai? - Zaire perguntou procurando entre alguns becos da escola.

– Sim, vem cá.

Zaire chegou perto e Phaton começou a falar.

– Como está indo a missão?

– Melhor impossível, consegui afastar totalmente o Leo dela, está hora ele deve estar na cama com alguma vagabunda, e ela nem sonha em falar com ele mais.

– Ótimo. Sabe alguma notícia dele?

– Nenhuma.

– E a Ella, como está indo?

– Ella está gravida.

– COMO ASSIM?

– Bem... A criança é minha, eu me desliguei um pouco da missão e derrepente, ela já estava grávida.

– Você é um idiota, você vai ter que se livrar deste problema. Eu te coloquei em outro corpo para comprir a missão e deixar ela fora de alcance dele, e não abusar da garota ou sei lá o que mais você fez.

– O que eu faço agora?

– Se livre dela, enterre este problema, faça toda sua preocupação em raiva e ódio.

– Não estou entendendo, Phaton.

– Extermine, mate, não sei como dizem hoje em dia com toda essa violênicia, apenas se livre dela pra valer, pois o Leo vai ficar de fora, eu vou ser coroado profeta, e antes de perguntarem onde Ella está você vai ser transportado por outro corpo.

– Se é o que você quer...

– É exatamente o que eu quero.

– Então tudo bem.

3 meses se passaram e nada de diferente aconteceu, o Leo sumiu, o Omer não ligou mais para a existência dela, a Nicky esqueceu da amiga que tinha, e a família de Ella não entrou em contato depois do suposto convite de morar junto com Zaire. Ella estava de 4 meses e parecia que já estava com 8, passava mal quase todo dia, além dos desejos constantes de comer algo diferente de madrugada. Era tanto peso que já andava cansada, e com dificuldade, a Ella era uma menina tímida quando não conheceu ele, contudo, depois que ficou grávida ela ficou mais doce e mais frágil. Zaire foi ficando diferente no passar desses 3 meses, chegando ao ponto de ás vezes ficar dias fora de casa, só para comprar uma palheta para seu violão.

Numa manhã de sábado, Ella estava de fora da casa quando ele saiu de dentro e bateu a porta forte.

– Ella, você quer viajar?

Ella pegou uma câmera velha e começou a fotografar ele.

– Ei, pare de me fotografar e me diga logo!

– Eu quero.

– Pegue uma muda de roupa e entre logo no carro.

Ella pegou uma bolsa e sentou-se no banco do carro. A mais ou menos 1 hora de viagem, ela tem fortes dores e enjoo.

– Por favor pare, eu estou enjoada.

– Não tem como parar, não tem nenhum posto.

– Alí!!! Alí tem um Walmart!

– Tudo bem, eu paro lá.

Ele estacionou o carro e antes de Ella passar mal dentro do carro, ela pegou a mão dele e colocou na barriga dela.

– Está sentindo isso?

– Sentindo o que?

– Estou perguntando se você está ouvindo o coração do bebê bater.

– Ah, sim. Agora vai lá antes que você suje meu carro inteiro.

– Preciso de dinheiro.

– Aff, toma! - Zaire deu umas notas e moedas pra ela.

Ella chegou e foi até o banheiro, e comprou um chinelo para seus pés cansados.

– Olá, Bom dia senhorita. - Disse a mulher do caixa.

– Bom dia.

– Só isso?

– Só.

– R$ 9.98 senhorita. Cartão ou dinheiro?

Ella olhou para a porta de vidro do Walmart, sem reação, olhou diretamente para fora e correu para fora da loja.

– Eu não acredito... Eu não acredito...

A gerente da loja sai da loja e chega perto dela:

– Senhorita, esqueceu seu chinelo no caixa, algum problema?

Ella estava assustada. - Obrigado, meu namorado foi embora, ele deve ter ido na oficina concertar o carro. - Ella deu um sorriso irônico.

– Pois bem. Tenha um bom dia.

Aproveitando o nervosismo e o pouco de dinheiro que Ella tinha no bolso, comeu algumas besteiras na lanchonete de lá e ficou olhando algumas câmeras no setor de utilidades; Ella era apaixonada por fotografia. Um homem interrompeu enquanto ela estava observando a pratilheira empoeirada.

– Gostaria que eu tirasse uma foto de seu bebê?

– Mas...

– Quer dizer, depois que ele nascer.

– Claro.

– Moça, que nome você gostaria de dar ao seu bebê?

– Andy, eu acho muito bonito.

– Oh por favor moça! Irá colocar seu filho com nome na qual o significado é ''peso'' em inglês? Dê um nome com significado pra ele.

– Eu não faço a mínima idéia em qual eu colocaria.

– Quando ele nascer, prometa que vai dar um nome forte a ele?

– Eu prometo. - Ella sorriu, ficou feliz por ter alguém que se importava.

Enquanto isso na estrada...

Zaire estava dirigindo e pensando no que Phaton falou. Afinal, ele tinha que se livrar da Ella de alguma forma. E esquece-la ''acidentalmente'' no Walmart não vai dar em nada.

Ele viu uma mulher no meio da estrada escura mexendo no carro. Ele parou no acostamento e foi olhar.

– Oi, quer alguma ajuda?

Ela levantou a cabeça. - Quero.

– Carmel?! O que faz aqui?

– Eu vim me esquecer daqueles problemas do templo. O Ardack ta quase morrendo e todo mundo está pouco se ferrando por isso, parece que o ''profeta'' nem tem mais moral na sociedade por causa do Leo.

– Essa que era minha missão.

– Bem, eu não vou me entrometer na sua missão, pois eu já tenho meus problemas, agora me ajuda aqui que essa porcaria de carro não quer funcionar.

Bastou meia hora e o problema do carro dela foi resolvido.

– Então, agora que consertou o carro, quer vir aqui?

– Eu até queria, mas a minha missão agora é mais importante.

– Ora, ora, se não é o clone do Leo...

– Eu não sou o Leo, por que eu não presto. - Ele bateu a porta do carro de Carmel forte, saiu andando até seu carro e voltou até o Walmart para buscar a Ella.

– Aonde você estava, Zaire?! Já são 8 da noite e você sabe que o Walmart fecha ás 6. Eu tive que ficar aqui no frio...

– CALA A BOCA E ENTRA LOGO.

– O que houve com você?

*Silêncio*

Ella falou denovo:

– Se fosse o Leo, ele não me deixaria no frio nem abandonada no frio que nem você. O que você tem na cabeça? Seu idiota, o Leo...

– SAI DO CARRO AGORA.

– O que?

– SAI AGORA.

Ella saiu do carro e ele também, no meio da estrada. Ele pegou uma faca e colocou no pescoço dela.

– Eu nunca faria isso, eu nem poderia fazer isso contigo pois nós temos um filho. Mas você já viveu demais, viu muita coisa e sofreu muito, por que não acabar com esse sofrimento agora?!

– Você tem razão. - Ella engoliu o choro,- Pode me matar, não vai fazer mal, eu que fui burra de não ter percebido essa maldade em você.

Ele foi quase rasgando seu pescoço, até que algo o impurra para dentro do mato da estrada. Ella ficou tão assustada que não sabia se entrava no carro ou ficava ali parada no escuro. Ela ouve gritos do mato e decide correr para dentro do carro, depois que os barulhos se silenciaram ela sai do carro em direção do mato, ela dúvida o que poderia estar ali ou quem, e o que poderia estar acontecendo com Zaire. Ela deu um passo para dentro da mata e alguém a segurou. Ella suspirou.

– Essa é a última vez que eu vou te salvar. - Susurraram no ouvido dela.

– Leo? - Ella se virou e viu a boca dele pingando sangue, ela o abraçou e envonveu seus braços nas costas frias dela.

Ella não esperou muito para ficar anciosa:

– Você está bem Leo, você está bem?! - Ella beijou ele incansávelmente.

– Eu estou. - Ele beijou a cabeça dela carinhosamente enquanto ela estava agarrada a ele, eles foram caminhando até o carro. Ele colocou a chave na ingnição e foi dirigindo a madrugada toda. Chegaram a casa da Ella ás 3 da manhã e ele carregou ela dormindo do carro pro apartamento; colocou ela na cama e beijou seu rosto:

Ella acorda. - Não vai Leo, não vai.

– Eu não vou te deixar nem se eu quisesse, durma bem, fica tranquila, amanhã eu te vejo, te amo. - Ele acaraciou seu cabelo enquanto os olhos cansados estavam se fechando.

– Eu te amo. - Ella dormiu e ele saiu da casa dela.

Na manhã seguinte, ela se lembrava de pouca coisa que houve no dia e só se lembrou de um sonho profundo que teve com ele.

POV. ELLA

Adormeci, pensando nele, e vi-o em seguida saindo do meu quarto e comecei a imaginar nós nos beijando. Ah! Se tivesse sabido que era só um sonho, nunca teria acordado.

Leo apareceu no quarto da Ella, era 10 da manhã e todos de casa tinham saído.

– Oi amor, o que faz aqui?

– Eu vim te ver, ver se você está bem. Eu ouvi o que você disse agora.

Eu fiquei vermelha de vergonha.

– Sabe por que você acorda na melhor parte do sonho?

Ele segurou minha mão.

– Por que Leo?

– Por que o destino quer que você o realize.

Eu beijei ele, deitamos na cama e descansamos, ficamos um tempo em silêncio, um olhando pro outro e finalmente, parece que agora tenho paz perto dele.

Notas finais do capítulo
comente ;*




(Cap. 15) Heart A Mess

Notas do capítulo
Depois de uma pausa pra todo mundo ler e não ficar perdido, também respondi seus reviews com algumas dúvidas. Curta o novo capítulo, boa leitura!
P.S:. GALERA, A FIC NÃO ESTÁ SE BASEANDO SOMENTE NA 1 TEMPORADA! O LEO, A ELLA, TODO MUNDO ESTÁ COM O VISUAL DA 3 TEMPORADA, ENTÃO QUANDO LEREM, VOCÊS JÁ SABEM QUE O YON, AMIT, ESTÃO ESCRITOS E CARACTERIZADOS PELA 3 TEMPORADA!

POV.ELLA

São 10:41, o Leo ainda tá aqui em casa, eu estava neste exato momento olhando pros olhos dele, ele levantou e foi pegar algo na cozinha. Parece meu clichê, mas ele está mais lindo do que nunca, não é por que eu sou a namorada dele, mas é que ele fica lindo perto de mim.

– Ella, quer beber alguma coisa? - Ele estava sem blusa, exibindo aquela barriga de taquinho com aquele cabelo de lado, não tinha como não babar.

– Não obrigado. - Eu levantei da cama, e o que não entendo é que minha barriga ''inflou'' como um balão em pouquíssimos meses.

– Ah, uh. - Fiz sons de dor.

– O que houve?

– Eu to sentindo muitas dores, ah. - Me segurei firme na cabeceira da cama.

– Calma Ella, eu estou aqui.

Ele estava na minha frente, parece que por um momento perdi a força e quase cai.

– Ella cuidado.

– Eu sei.

– Acho melhor você ficar deitada, você está muito fraca.

Ele deitou-me na cama e sentou-se perto do meu pé e parou para pensar.

– Aliás, do que você tem se alimentado em toda essa gravidez?

– Ah, de coisas normais, arroz, macarrão...

– Ella, me fala o que você comeu.

– O Zaire não me dava muita escolha, geralmente eu tinha que comer besteiras tipo biscoito, chips, fritura. E se não fosse isso era macarrão... Batata, arroz.

– Por isso você está tão fraca, não sabe a origem do seu filho e nem ao menos sabe se alimentar, que idiota. - Ele me tratou do vinho pra água, eu não entendi o que houve com ele.

Ele se levantou e ficou pensando olhando pro chão.

– Me desculpa tudo bem?!

– Te desculpar com que?

– Me desculpar por esse filho não ser seu, eu sei que você até gostaria e ao mesmo tempo não, mas de qualquer forma, o pai dessa criança está morto por causa de você.

– Você não entende Ella? Ficar comigo é sua última escolha! Aquele covarde iria te matar, como você pode ficar triste pela morte daquele canalha? Você é minha jóia, não quero que nada aconteça com você! Eu não vou me desculpar pelo que eu fiz, por que se você pensar bem, você iria se arrepender do que acabou de falar.

– Perdão, eu não queria magoar meu amor.

– Tudo bem. - Ele sentou-se novamente na minha cama e sorriu pra mim.

Nós ouvimos o barulho da porta e a voz da minha mãe.

– VAI ELLA, SE ESCONDE, SE ESCONDE!

– Mas e você?

– NÃO SE PREOCUPA COMIGO, SE ESCONDE.

Ele foi embora e fiquei com metade do meu corpo pra fora do armário estreito por causa da barriga enorme.

Ouvi risadas, conversas, a voz do Guy e da Zohar, fui espiar na brexa da porta que estava encostada.

Me deparo com uma cena chocante: Aimmon Green, sorrindo, rindo, bebendo, e ainda de bermuda denim cinza (bizarro para uma pessoa rígida que nem ele), eu pensei que ele iria me dedurar pro meus pais aquele dia que eu conheci o Zaire e o Leo quebrou quase toda a escola, é estranho, mas amo quando ele sente ciúmes de mim, acho que o amor que eu tenho por ele triplica, ao ver ele se preocupando comigo, e principalmente naquele dia que meu coração estava bagunçado. Aquele dia não, até hoje.

– Meu Deus, o que será que eu perdi nesses 4 meses fora de casa e da escola?!

Zohar estava rindo, com um sorriso enorme, abraçada com o Guy, contando piadas, interagindo com meus pais, nunca vi ela assim tão alegre e logo ela, a mais ignorante do colégio, que nunca falou comigo e passava direto. Eu fiquei olhando por mais 5 minutos ela e fiquei pensando na besteira que eu fiz de ter ido me apaixonar mais cedo.

Liguei para o Leo.

– Oi Leo, meus pais só convidaram a Zohar e o Aimmon aqui pra casa, como eu faço pra sair daqui?

– Eu vou ai te buscar.

– Te espero.

Ouço uma conversa alta.

(Minha mãe falando) - Omer? O que faz aqui?

– Eu vim procurar a Ella, ela não vai pro colégio a meses.

– Ella se mudou.

– SE MUDOU?

– É, ela se mudou com o namorado dela, acho que foi pro interior do país ou foi morar no sítio dele lá na Carolina do Norte.

– Por favor, Sra. Rozen, isso não é possível.

Quando eu ouvi pelo menos esse trecho da conversa, peguei o maior casaco que eu tinha no armário, o mais alcochoado (óbvio), pra não parecer que eu estava grávida.

– Por favor, Omer, sai daqui, eu não quero você assustando nossos convidados.

Estranhei minha mãe falando assim com o Omer, desde quando ela seria tão mal educada?! Interrompi a conversa e disse:

– Oi Omer, não sabia que estava aqui, entre no meu quarto!

– Oi Ella!

Fechei a porta, seriamente disse:

– O que você faz aqui?

– Eu vim te ver.

– É o que todos dizem, agora vai, fala logo o que você quer.

– Eu sinto sua falta.

– Não sentiria minha falta se preocupando com a Nicky.

– Eu sinto sua falta por que é o único sentimento por você que me restou.

– Como assim?

– Como assim??? Você ainda me pergunta! Eu sempre te amei, você era cega demais pois você era minha melhor amiga, mas você se lembra que quem te deu apoio nos primeiros dias de aula fui eu? Eu fui sumindo aos poucos da sua vida pra dar existência ao Leo.

– Eu não acredito que você pode me amar, eu não tenho por que ser amada.

– Mas você simplismente é! Por que é bonita por dentro e por fora, mas só tem medo de mostrar seus poderes e se exergar.

– Eu me pergunto onde você esteve este tempo todo quando eu precisei de você.

– Bem longe.

– Tá vendo? Você não seria um amigo se fosse isso.

– Eu não sinto saudade sua por causa disso.

– Então me explica qual é a diferença entre ''sentir falta'' e ''saudade''.

– Saudade é quando você ama a pessoa e sente a falta dela.Hoje eu não sinto mais saudade de você. Não estou dizendo essas palavras para te atingir, me vingar ou fingir que não estou mais nem aí. Só não sinto mais saudade de você. Antes aquela saudade me consumia, fazia meus olhos encherem de lágrimas, fazia meu coração tremer. Hoje tudo isso passou. Procuro no passado o que me fez te querer tanto. Não acho. Você continua bonita, engraçada e sedutora. Mas não vejo mais graça nisso tudo. Não me abalo mais com tanto poder de sedução. O encanto acabou, a magia se partiu, tudo ficou bem terminado aqui dentro. Isso antes me entristecia, hoje me deixa com olhar de paisagem. Não sinto nada. Nem seu cheiro sinto mais. Antes, fechava os olhos e conseguia sentir seu perfume. Passou. Meu Deus, eu achei que nunca ia passar! Pensei que meu sofrimento jamais teria fim. Mas teve. Um fim bonito. Um fim que não deixa nem saudade. Pois não tinha você no final.

Ele foi embora, batendo portas e eu dentei na minha cama esperando o Leo chegar.

– Oi Ella... o que aconteceu?

Ele me viu chorando.

– Leo, eu perdi tudo. Tudo, tudo, tudo.

Eu abracei ele.

– Me explica o que aconteceu.

Eu dei um suspiro forte.

– A única esperança que eu tenho é você, eu não tenho mais nada.

Ele enchugou minhas lágrimas e me consolou.

– Perdi amigos, família, e eu mesma. Essa autoestima que eu tinha foi embora, e você agora é a única coisa que pode me ajudar a ter forças pra recomeçar tudo de novo.

– Ella, você chora e chora atoa! Você está grávida, está vendo? - Ele pegou minha mão e tocou minha barriga,- Você tem que parar de chorar, sua única alegria está aqui dentro de você, toda sua tristeza você vai passar pro seu filho, não deixe que aconteça o mesmo com ele.

Nunca esperaria disso do Leo. Eu não tenho mais dúvidas de que ele é meu verdadeiro porto seguro.

– O que me prende tanto a você Leo?

– Acho que só o amor mesmo.

– Errado, tudo.

Ele riu como se fosse uma besteira.

– Sabe, não vou me importar com a demora… Enquanto eu puder ver seu sorriso tudo estará bem. Também não vou me importar se quiser me abraçar enquanto isso. Sabes que seu abraço és o melhor. Não me importarei de brincar com você desde que você olhe para mim e sorria e depois me chame de idiota, ou qualquer outra coisa do tipo. Não vou me importar de te fazer cócegas desde que faça novamente em mim ou apenas ria. Sabes também que seu sorriso é o mais lindo, certo? Se não sabe, agora sabe.

– A única coisa que me conforta essas horas é o seu amor.

Ele olhou ao redor.

– Bom, o estamos fazendo aqui? Vamos pro shopping!

– SHOPPING?! Não acredito que meu vampirinho disse uma coisa dessas.

– É, comprar algo pra mim e pra você, certo?!

– Tudo bem, desde que você pague...

– Engraçadinha.

Fomos ao shopping, vimos várias coisas, paramos para tomar um café.

– Um expresso e um capuccino, por favor.

– Então amor, já decidiu o nome do bebê? - Eu perguntei

– Não, eu achava que você tinha escolhido.

– Hahaha, não, eu iria colocar de Andy, mas uma pessoa mmuito especial me falou pra colocar um nome com significado nele.

Ele olhou minha mão na dele, e disse me olhando em seguida para meus olhos:

– Me prometa que você vai ocupar minha mente, como eu também ocupei a sua?

– Eu prometo. - Eu sorri, confiante nele.

– Então não perca mais seu doce amor para o medo, a dúvida e a desconfiança, seu coração é confuso e não sabe fazer escolhas, eu te ajudo quando precisar, mas eu primeiro vou querer que você dê a chave dele pra mim.

Eu fiquei em silêncio, eu sabia que ele queria me dizer algo.

– Ella Rozen...

– O que foi?

Ele foi abrindo umas sacolas de compra e pegou um pote pequeno, uma mini-caixinha.

– Sua mão está fria e vazia.

– O que que tem isso haver com você?

– Eu vou esquentá-la e preenche-la.

Sorri, sem saber por que, mas era por que ele sorriu de volta pra mim.

– Ella Rozen... Você quer se casar comigo?

Notas finais do capítulo
*O* E AGORA GENTE? SERÁ QUE ELA VAI ACEITAR??? COMENTE, E ESPERE PARA O PRÓXIMO CAPITULO!!! ;***




(Cap. 16) Avesso da solidão

Notas do capítulo
Shalom, novo capítulo, espero que goste! Boa leitura!

POV.ELLA (continuação)

Olhei fixamente pros olhos dele e me perguntei:

'' E agora? O que eu faço? ''

Minhas mãos foram delicadamente até a caixinha onde estava a alinça e fechei ela.

– O que houve? - Ele perguntou, ele queria saber por que eu fechei a caixa.

– Eu não acho que seja a hora.

Ele fechou a cara e começou a escutar o que eu tinha a dizer.

– Leo, eu achei linda a aliança, quero muito dizer ''sim'' pra você, mas algo me impede. Talvez seja por que eu tenho só ''15 anos'', estou grávida e minha família está ausente, quer dizer... ELES NEM SABEM QUE EU ESTOU GRÁVIDA!

Ele entrelaçou os dedos dele nos meus com sua mão quente.

– Eu não quero te deixar insegura, tudo que você fizer ou dizer sobre isso eu quero que você esteja segura de si. A única coisa que te impede, que eu sei, é você ter 15 anos. Mas você se esqueceu que idade são só números? Eu tenho 500 anos e isso não quer dizer que eu não posso namorar uma garota linda de 15 anos igual a você.

Eu olhei pra baixo, sorrindo, mas fiquei tão tímida...

– Você sabe mesmo fazer uma menina ficar sem graça.

– Imagina...

– Tudo bem.

– O que?

– Eu aceito. Eu aceito me casar com você.

Ele não percebeu que estavamos em um shopping, me pegou no colo como se estivessemos em casa, mas eu nem liguei, por que era o nosso momento. Depois disso, nós fomos a uma loja, ele comprou-me um óculos de sol lindo e após isso fomos para casa.

– Wow, que dia cansativo!

– Também acho Ella.

Ele tirou a blusa, deitou na cama e dormiu. Eu desembrulhei os presentes e joguei fora as sacolas. Dormi mais ou menos ás 00:00 e acordei ás 9:30 da manhã.

– Bom dia Leo.

– Bom dia Ella.

– O que nós temos para o café-da-manhã?

Eu fui caminhando até a cozinha da casa dele e me deparei com uma mesa com muita comida: pães, bolos, broas, queijos e até salaminho, torradas com geléia, café, leite, suco, limonada. Não sei quantas horas ele acordou pra fazer tanta comida assim.

– Nossa Leo! Obrigado!

– De nada!

Devorei metade da mesa; mas eu como nem metade de um pão direito. Aquele desejo que todas as grávidas tem, eu tive e foi inevitável parar de comer aquele banquete.

Nós levantamos da mesa, lavamos os pratos e fomos ver televisão juntos, até que eu escuto o toque do meu celular:

– Alô?

– Oi Ella, quem fala é a Nicky.

– Oi Nicky, quanto tempo!

– Verdade. Ella, você está ocupada hoje?

– Não.

– Que bom, você quer passar a tarde aqui em casa?

– Claro, parece ótimo.

– Pode vir pra cá, você pode almoçar conosco.

– Ta bem, já estou me arrumando, beijos!

– Tchau, beijos.

Desliguei o telefone e fui falar com ele.

– Leo, a Nicky me convidou pra passar a tarde na casa dela, pode ser?

– Tudo bem.

Eu tomei um banho, coloquei um vestido amarelo e fui pra casa da Nicky.

É uma casa linda, laranja claro, com um jardim com flores lindo, do jardim dá pra ver o céu azul claro e de noite um céu todo estrelado... Lindo mesmo. Cheguei na casa dela e fui bem recebida.

– Oi Ella! Pode entrar!

– Obrigado Nicky.

– Pode deixar suas coisas no meu quarto.

– Ta bom.

Eu fui até o quarto dela, deixei uma sacola sob a cama e ouvi um homem falando alto e dando risadas em algum cômodo da casa.

– Nicky, quem está falando alto assim?

– É o meu irmão Michael, ele tem 18 anos e está no 3 ano, e estuda em outra escola, por isso vocês não conhecem ele...

A Nicky começou a contar sobre ele pra mim, quase toda a vida dele.

Ela disse algumas coisas sobre ele:

Michael está no último ano (o Leo já ultrapassou isso). Michael tirou nota 10 durante a vida toda (como se o Leo, com 500 anos de idade, não tenha tirado.). Ele provavelmente vai estudar em alguma faculdade dos E.U.A no ano que vem.

Não que o Michael seja perfeito, nada disso. Ao contrário de Leopold Zachs, Michael está na equipe de esportes da escola dele. E nem está na turma de debate, pois ele diz que não acredita em esportes organizados ou em qualquer coisa organizada, por falar nisso. Ela me disse também, que ele se tranca em seu quarto, e só sai de lá pra fazer comentários sarcásticos e geralmente está nu da cintura pra cima. Mesmo que não acreditasse em esporte organizado, notei quando ele saiu do quarto, que ele tinha um peito bem bonitos, os músculos da barriga dele são bem definidos. Eu sai do quarto exatamente na hora que ele saiu do dele:

– Oi.

– Oi. - Eu fiquei sem graça.

– Você é amiga da Nicky?

– Sim, eu sou.

(Silêncio)

– E você está em qual ano?

– 1 ano.

– Ah, que bom.

– É...

Ele falou no meu ouvido:

– Ela é chata né?

Eu comecei a rir.

– Não fala isso pra ela, mas um garoto gosta dela.

– Quem? - Ele perguntou.

– Eu não vou dizer.

– Fala!

– Não.

– Se você não me contar, eu vou falar que tem um garoto que gosta dela.

– Tudo bem.

– Você vai me dever uma.

– E o que vou te dever?

– Sei lá, fazer minha lição de casa, estudar pra mim...

– HAHAHA, aham, ok, eu vou fazer isso. - Fiz um comentário sacástico.

Ele ficou sério de repente e disse:

– Esqueça isso, tá bem? - Ele voltou pro quarto dele.

Perguntei a Nicky por que ele estava tão zangado e ela respondeu que ele estava me provocando sexualmente, mas eu não notava.

Que coisa mais embaraçosa! Eu nem sei direito o que significa isso, muito menos como isso aconteceu e eu não percebi. Vamos supor que Leopold Zachs começasse um dia a me provocar sexualmente (como eu ia gostar!).

De qualquer modo, a Nicky disse para eu não me preocupar com Michael, pois ele não é flor que se cheire. Eu conversei mais com a Nicky, pasamos mais 3 horas juntas, eu fui embora e voltei pra casa:

– Oi, Leo!

– Oi Ellinha.

– Ellinha?

– Hahaha, esquece isso, senta aqui comigo.

Sentei no sofá e abracei ele.

– Você ficou todas essas horas vendo TV?

– É. Eu to vendo um canal, o nome é Boomerang.

– Mas não é aquele de criança?

– Sei lá, só sei que ta passando uma série legal.

– Qual?

– Split.

– Que massa, eu gosto mais de séries da HBO.

– E como você quer que seja nosso casamento?

– Eu não faço idéia... Tem muita coisa pra preparar.

– É.

– Na verdade...

Eu abri os botões da camisa dele

– Por que nós não vamos ao cinema pra namorar um pouco.

– Vamos.

Foi por causa da minha mania de ir ao cinema que tudo aconteceu. Naquela noite, eu estava cansada. E o filme era bem aborrecido, para dizer a verdade. Só fiquei para a segunda sessão porque estava chovendo e eu queria ficar um pouquinho mais perto dele naquele frio, além de não querer molhar os sapatos. Nos primeiros 10 minutos de filme, adormeci. Meu corpo escorregou na cadeira, e dormi tão confortavelmente em minha cama. Acordei em plena escuridão e silêncio. No início, nem sabia onde estava. Aos poucos meus olhos foram se acostomando com a falta de luz. Vi a tela branca, o letreiro de saída apagado. Não entendi, imediatamente, o que estava acontecendo. Levantei, atordoada. Com dificuldade, empurrei a porta de entrada. Pesada. Saí do saguão. Só então havia percebido o que tinha acontecido: haviam esquecido de mim, no cinema. Completamente. Talvez não tivessem me visto. Olhei o relógio, estava no meio da noite. Quis telefonar para alguém, meu celular estava fora de área, nunca senti tamanho desespero. É incrível como um cinema vazio a noite, pode ser tão arrepilante. Olhava para as paredes, via sombras. Ouvia ruídos. Ao mesmo tempo tentava raciocinar. Poderia arrombar a porta, quebrar algum vidro, fazer escândalo, chamar espíritos e poderiam me chamar de indiciplinada? O ideal, sem dúvida, era esperar algumas horas, pacificamente, que alguém viesse abrir o cinema. Poderia, então, sair calmamente. Como passar aquelas horas difíceis? Foi quando vi no canto, um livro grosso, perto da doceira, Fui até ele. Peguei. Era bem pesado. Saí do saguão, onde só entrava a luz do luar, e fui ao banheiro. No hall de entrada que levava aos dois toaletes, havia uma poltrona velha, sentei nela. Abri o livro, era como se fosse um dicionário.

– Bem que eu preferia um livro de romance.

Puro engano. Só para me distrair, comecei a folheá-lo. Pouco a pouco fui envolvida no universo fascinante das palavras. Elas começaram a brilhar pra mim como estrelas no céu. Naquela noite, descobri que as palavras guardam histórias. Percorrem os tempos, registrando emoções, atravessam vidas. Entendi pela primeira vez, o como é bom sentir essa sensação pelo menos uma vez na vida, parece que nós nos sentimos completos e queremos mais disso. Deixei de ouvir os ruídos, de olhar as sombras daquele cinema vazio. Era como se eu tivesse lendo um romance que falava de todas as pessoas, de toda a humanidade. Nunca me senti tão completa e tão feliz em uma simples noite.

Notas finais do capítulo
Gostou? Comente,e obrigado por ler!!!




(Cap. 17) Fic pausada

Eu vou pausar a fic por que já passamos pelo capítulo principal e ninguém comentou. Além disso, eu vou continuar com a minha outra fic. Obrigado por lerem, caso eu resolva voltar, essa mensagem ''cap.'' será apagada.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.

Acho que já deu o limite do Nyah.





(Cap. 18) Glow of saturday night

Notas do capítulo
Eai gente, depois de ter pausado a fic, senti saudades. Enfim, vocês se lembram do que houve no último capitulo?! A Ella sai da casa da Nicky e foi para o cinema com o Leo e é esquecida lá. O que será que vai acontecer?! Vocês vão ver agora, é ótimo voltar a ver vocês. Beijos, boa leitura.

POV.ELLA

– Ella, ELLA, ACORDA ELLA!!!

– Oi? O que?

– Você dormiu na metade do filme. - Leo me levanta.

– Ah, vamos embora.

– Vamos sim.

Ele me levou até o carro e ligamos o rádio, estavamos indo para casa.

– Estou com fome. - Eu falei.

– Fome ás 2 da manhã?

– Por acaso é proibido morrer de fome de madrugada?

– Hahaha, não, Ella.

– Eu quero comer churrasco. Quero uma costela com molho fervendo bem suculenta, ah que delícia. Me leva em uma churrascaria agora.

– Ella, são 2 da manhã não tem churrascaria aberta.

– Grande coisa, me leve em qualquer restaurante rápido.

Nós fizemos silêncio por alguns minutos no carro, e depois ele falou:

– Ainda bem que só pago o prato pra você, meu alimento pode ser retirado até de você mesma.

– Por favor, pare com esse tipo de brincadeira.

Ele riu e depois vi no tapete do carro um guia de médico e peguei pra ler enquanto ele dirigia.

– Leo, você me dá contrações ventriculares prematuras.

– E isso é bom? - Ele perguntou.

– Você faz meu coração palpitar.

– Por quê?

– Por que eu te amo.

Ele ficou vermelho de vergonha e depois não disse mais nada até chegar no restaurante, ele ficou sorrindo o tempo todo.

– Eu gosto quando você me olha e sorri, porque por um momento eu estou tendo uma das melhores sensações do mundo, que é ser o motivo do teu sorriso. - Disse enquanto colocava minha bolsa sob a mesa de jantar do restaurante, e prometi a mim mesma que não ia elogia-lo mais, por que ele ficou mais vermelho ainda e sorriu mais do que eu pensava que ele conseguia.

– O que quer comer Ella?

– Carne, mal passada.

– Você quer realmente que eu coma junto com você?

– Talvez...

– Ella, entenda, eu sou um vampiro, e se você pedir carne mal passada, eu quero que separe o sangue para mim. - Ele falou baixo.

– Pensava que sangue de animais não saciava sua sede.

– Sim, mas não temos doll-bar, melhor que passar fome.

– Verdade, então vou pedir só isso., - Garçom, um duplo de carne mal passada por favor.

Pedimos e comemos, e (claro) Leo só bebeu sangue que separei da carne, isso é nojento, mas de outra forma não... Tem ideia de como é se apaixonar por outro ser?! As vezes acho que pra ele eu sou como alienigena, sei lá. Muito diferente dessas garotas insanas que ele gosta de passar noites em claro, tem dias que eu tenho uma certa incerteza se ele me ama. Seguimos para o carro, já era 3 e meia da manhã.

– Então o que quer fazer agora? - Ele colocou o braço no meu ombro que nem aqueles filmes de romance.

– Descansar, com meu amor, e dormir muito. - Dei um beijo nele.

– Então, quer dizer que a senhorita não quer passar a noite comigo na minha casa?! - Ele deu um sorriso fofo.

– Apenas descansar amor.

– Tudo bem, vou te levar pra casa.

Meus pés estavam exaustos, tirei o salto alto quando cheguei em casa. Todos estavam dormindo, coloquei a bolsa no quarto e fui tirar a maquiagem.

– Ella?

Eu escondi a barriga virando pro outro lado e fiquei de costas.

– Ella... é você?

– Sim.

Eu virei rápido a cabeça, era o Guy.

– Por que está aqui em casa?

– Eu vim dormir aqui um pouco e matar a saudade.

– Ah... Me dá um abraço.

– Não Guy, agora não.

– O que você está escondendo ai Ella? Por que está de costas?

– GUY, EU JÁ DISSE QUE NÃO TEM NADA.

Ele virou-me a força. Ficou espantado ao me ver grávida, afinal, fiz 7 meses de gravidez semana passada.

– Ella... Me diz que isso não é verdade.

– Se eu pudesse...

– Como? Quando? Quem?

– Não deve te dizer nada.

– Não, não, você vai me explicar tudo. Eu e a zohar estamos tentando planejar nosso namoro e você está nessa situação.

– Eu entendo que você está assustado, mas, esse daqui, que está na minha barriga, é o amor da minha vida.

– Foi o Leo?

– O que?

– FALA AGORA, FOI O LEO QUE FEZ ESSE FILHO? - Ele ficou nervoso de repente.

– Não, foi o Zaire.

– ONDE QUE ESTÁ ESSE BABACA?

– Ele faleceu faz 4 meses.

– E onde você dormiu esse tempo todo?

– Com o Leo, foi ele que me protegeu e me apoiou esse tempo todo.

– Ella, como você pode ser tão besta?

– Como?

– Eu não vou repetir. Você é toda lerda pra entender o que as pessoas estão falando, e uma grande idiota por ter deixado isso acontecer. Você é uma louca, sem noção, você não tem idade pra ter relações sexuais, muito menos engravidar.

– Você acha que eu não sei?

– Olha, vai dormir. Não quero estar aqui quando eles acordarem e verem você assim.

– Você não vai me encontrar aqui de manhã.

Ele foi pro quarto dele e eu fui pro meu. Dormi 3 horas e já eram 6:30, e me ligaram:

– Alô.

– Te acordei né. - Voz do Leo.

– Tem problema não... Mas o que aconteceu?

– Não aconteceu nada, só acho justo você também ficar acordada, por sua culpa não consigo dormir.

– Eu tenho mais problemas pra cuidar do que os seus.

– Então me conte um problema seu Ella.

Tenho medo de estar em um sonho, mas meu medo maior é de acorda desse sonho.

– Também tenho medo do meu, meu de te perder.

– Não tenho medo de te perder por que você vai sempre estar no meu coração não importa onde. Só quero que me diga que é um sonho, que eu sou dividida, que estou grávida, que tenho que salvar um mundo, que tenho um amor pra cuidar. Tenho medo de acordar do meu sonho por que eu não vou saber qual vai ser minha realidade.

– Durma. Talvez amanhã você acorde do seu sonho.

– Vou ter medo de acordar amanhã.

– Esteja pronta, eu confio em você.

Desliguei o telefone e fui dormir novamente.

Acordei melhor, o mundo estava diferente.

Saio do quarto e vejo minha família reunida:

– Mamãe?

– Ella! Que surpresa vê-la!

– Mãe, você sabe que eu...

– Está gravida, sim estou vendo.

– Você não vai ficar com raiva.

– Claro que não, por que ficaria? Reproduzir é a função da mulher, e nós temos que passar isso pra frente. Quer panqueca filha?

– Não, obrigado.

Sai de casa, dia tão bonito em Tel Aviv, nunca tinha visto algo mais lindo e fui pra casa do Leo.

– Hahaha, oi.

– Por que está sorridente? Não estava triste ontem?

– Não mais, as pessoas estão me tratando bem agora.

– Que bom Ella.

– Me sinto tão feliz, vamos ao parque hoje.

– E que tal agora?

– Vamos!

Chegamos ao parque. Quem diria, começou a chover forte.

– Vamos embora Ella.

– Não, vamos ficar aqui.

– Você vai ficar doente.

Ele pegou o casaco dele e me cobriu, deitamos na grama molhada do parque enquanto chovia e colocamos um guarda chuva sob nossas cabeças. Ele me olhou e me beijou.

– Eu te amo muito.

– E eu estou tão apaixonado por você. - Leo fechou os olhos, me deu outro beijo., - Tudo é possível junto de você.

Fico acorda até tarde pra poder conversar contigo, mesmo que seja apenas te escultar falando do teu dia, sabe isso ajuda… ajuda a diminuir a saudade aqui dentro. Você sabe disso Leo.

– Não vamos mais falar de saudade, eu realmente só acho que você não é uma mulher como as outras, acho que você é uma menina frágil, meiga, de coração aberto e bagunçado. Eu não entendo por que.

Nós conversamos mais e fomos pra padaria.

Ele chegou e disse:

– Por favor, um bolo, para os que ainda vão se casar.

Levamos um bolo lindo pra casa, até que Guy fala:

– Ella, tem visita pra você.

– Oi Ella!

– Oi Nicky!

– Então Ella, faz tempo que você não vai a escola e não deve saber que hoje tem um baile.

– Baile? De quê?

– Ah, você sabe, eu baile comum. E vocês estão convidados, daqui a 1 hora vai começar a festa.

– Então vamos nos arrumar!

Coloquei um vestido, e ele um terno.

Chegamos a festa, todos nos olhando, mas falamos com todos.

tocaram várias músicas, e como em qualquer baile, chegou a hora da música lenta e começamos a dançar valsa.

– Vai lá Ella, diz que você está feliz em estar perto de mim.

– E eu estou muito.

– Eu quero que a gente se case logo, vamos morar em uma casa só, tudo vai ser mais fácil.

– Já estou com medo, por que estou me afastando das pessoas que eu amo, como meus amigos.

– Vamos esquecer só por uma noite esse drama, vamos pensar em nós dois, tudo bem?!

– Sim, felizmente é impossivel dormir sem sonhar com você.

Ele me roubou um beijo. A noite estava serena, as luzes estavam acesas e parece clichê falar ''eu te amo'' hoje em dia... Mas é uma palavra que só uma louca apaixonada por ele entederia... eu mesma.

Notas finais do capítulo
Obrigado por ler :)




(Cap. 19) Lilith e suas presas

Notas do capítulo
Shalom, novo capítulo! Hoje vai ser tudo 2 em 1 ok?!
Boa leitura!

POV. ELLA

Hoje eu acordei me sentindo um pouco estranha, meio diferente... Senti que nada era igual, que tudo ficou tão surreal, será que ainda estou estou dormindo? Ou ainda não caiu a ficha? Que nessa vida eu fiz tudo errado, me apaixonei por quem nem me ligava, amei as pessoas mais perigosas ao meu coração e sofri em silêncio, na fria escuridão.

Vou ligar pra ele e dizer que minha vida não faz sentido sem ter ele, comigo. Vou ligar pra ele e pedir pra ele me beijar, pra morrer de amores por mim e eu me apaixonar... Vou ligar pra ele e dizer que seus olhos brilham feito estrela cadente e ilumina meu olhar tão cego, que me atormenta as vezes.

Hoje eu vou olhar pro mundo de um jeito diferente, vou fazer tudo ao contrário, sorrir sem motivo. Sinto que o fim está chegando, e não sei por que...

*Barulho do celular*

– Ella?

– Oi Leo.

– Ella, venha até o templo agora.

– Mas o que houve?

– Vem agora.

Fui até o templo e o encontrei lá.

– Ella, Ardack está morrendo. - Eu vi Ardack jogado em uma poltrona velha e com dificuldade para respirar.

– O que você quer que eu faça?

– Doe sangue pra ele.

– O qu...

Ele não esperou nem eu completar a frase e enfiou algo ponteagudo no meu dedo, caiu sangue sob a boca de Ardack. Parece que o sangue foi revitalizante, penetrou em seu corpo e começou a respirar melhor e pode falar comigo:

– Ella, eu estou morrendo. Você vai ter que achar sua independência, e para ser completa, você vai precisar lutar contra Lilith.

– Quem é Ella?

– Ela está na gruta, você vai ter que desperta-la e mata-la.

– Vou agora lá.

Leo me mostrou onde fica a gruta.

– Dimma?

– Ella! Quer Whisky?

– Não, eu estou grávida.

– Percebi, é do Leo né, HAHA, safado.

– Onde está a deusa?

– A deusa dos demônios.

– Ah, meu amor?

– Que?

– É, ela é casada comigo.

– Tudo bem, onde ela está?

– Ninguém fala com ela nem por cima do meu cadáver.

Ele me afastou do túmulo dela.

– Eu PRECISO falar com ela.

– Vai ficar precisando.

Eu me aproximei e ele me afstou de novo, desta vez foi forte.

– DEIXA EU VER ELA!

– Não.

Eu pensei em algo, talvez não daria certo... Desperta-la de longe. Fiz isso e meu poder enfraqueceu Dimma. Ele desmaiou e ela levantou de seu túmulo.

– Ella?

– Como me conhece?

Ela levantou do túmulo e passou a mão sobre meu rosto, ela estava tirando meu poderes, me senti fraca e percebi que era ela. Dei um tapa na mão dela. Levantei as mãos e fui sugando ela.

– NÃO, POR FAVOR, PARE! EU NÃO QUERIA FAZER AQUILO!

Parei, fiquei com pena dela. Talvez Ardack estivesse errado. Ela levantou e colocou a mão no meu rosto novamente e disse:

– Agora sim, você e Ardack irão pagar pelo que fizeram.

– Espera, foi você! Foi você que jogou uma magia em mim e nos outros. Você fez minha mãe e meu pai acreditarem que eu não estava grávida e me fez amar o Leo. Foi você que me enganou o tempo todo, foi você!

Ela me jogou pra trás, mas com o impulso, eu levantei, e retirei toda a alma dela do corpo. Ela virou pó.

– Conseguiu Ella, você conseguiu! - Leo me abraçou.

– E agora, o que vai acontecer?

– Com que?

– Entre a gente.

– Eu não quero deixar de te amar nem por um estante.

Notas finais do capítulo
Nova fic ''Tempo Perdido''
https://www.fanfiction.com.br/historia/243257/Tempo_Perdido/
Comentem! Obrigado por ler! :)




(Cap. 20) Capítulo Final

Notas do capítulo
Chegamos a um capítulo que pra muitos é triste, para outros não... O final da história. Pois bem, aqui vocês vão ver o que vai acontecer com o relacionamento da Ella e do Leo.

POV.ELLA

Passaram-se 1 mês e meio e os chutinhos do meu bebê ficam mais fortes a cada dia.

São 15:30 da tarde, Nicky, Omer, Zohar e Sushi me convidaram pra ir a uma festa no Green.

Me arrumei e cheguei lá, porém, não tinha ninguém, recebi uma mensagem da zohar dizendo que era para nos encontrar no ginásio.

– Acende a luz... SURPRESAAAA!!!!

Era meu aniversário e sabia que ninguém iria lembrar, contudo estava enganada.

– Feliz Aniversário Ella!

Ficamos horas conversando e batendo papo, Nicky ficou bêbada e bateu a cabeça na parede, Zohar bebeu meio gole de Vodka e começou a beijar Guy que nem uma doida. Sushi ''pegou'' minhas primas de Cesareia, Omer dançou break no meio da pista.

Como o encanto da rainha tinha acabado, minha mãe não sabia que estava grávida, contei tudo pra eles, eles acreditaram por que já sabiam que eu era dividida, então isso facilitou tudo. No meio da festa sinto várias contrações na minha barriga.

– Mãe, ta doendo muito, eu não aguento.

– Quantos meses Ella?

– 8 e meio.

– Já está na hora.

– Como você sabe?

– Você tem 15, é MUITO raro meninas de 15 terem filhos que vão até 8 meses de gestação, você é sortuda. Mas agora vamos correr pro hospital.

Omer, meu pai, Guy e Sushi me levaram até o carro e nós fomos disparados pro hospital.

– Doutora, a bolsa vai estourar agora? - Eu perguntei.

– Não Ella, sua bolsa vai estorar daqui a pouco, ela tem plano de saúde?

– Tem.

– Ela é muito nova, vai ter que ser por parto normal.

– Ai meu Deus...

– Fique calma Ella, você tem que pensar no seu filho.

– Tudo bem, eu quero o melhor pra ele.

Me deixaram no quarto de hospital, sozinha, quando faltava muito pouco pra estourar a bolsa e já estavam me levando pra mesa de operação, ouço meu pai dizendo ''Ela vai fazer o parto agora, é melhor você correr''.

Eu vi Leo, correndo atrás de mim enquanto estava sendo puxada pelos para-médicos.

– PAREM, PAREM.

Eu olhei pra ele e nunca senti sensação melhor.

– Ella, eu te amo, eu quero que você saiba disso, eu vou estar sempre do seu lado, eu não quero te ver com ninguém diferente de mim. Você sabe que eu te amo? Você sabe que eu te amo muito?- Caiu lágrimas dos olhos dele.

– Eu sei que é amor, e eu não peço nada em troca, nem prova. Mesmo que você não esteja aqui, o amor está em mim, mesmo que você tenha que partir, meu amor por você não há de ir embora. Eu sei que é pra sempre, enquanto durar, eu peço somente... Em que eu puder dar. Não se esqueça de mim.

– Eu te amo mais do que tudo, eu passaria minha vida inteira chorando se eu te perder, eu te amo.

– Eu te amo.

A bolsa estorou e tive que ir correndo fazer o parto. Depois daquela hora, nunca mais vi ele, nem depois que meu bebê nasceu. Coloquei o nome da minha bebê de Alice, pois era o nome da mãe dele e que ele perdeu. Ele me disse que ela foi a segunda mulher que ele mais amou, por que a primeira fui eu. E depois disso tudo que eu passei com ele, ele me esqueceu, ou talvez não, só sei que nunca mais vi ele e nunca vou esquecê-lo.

Cartas de anos depois...

'' Pois é, minha menina, a Alice, já está com 7 anos, e eu com 21! O tempo passou rápido demais. Guy virou músico, Zohar virou dona de casa, Sushi virou bêbado assumido e nunca mais ninguém teve notícia dele (até a família), Omer virou diretor e está produzindo uma série chamada SPLIT (tá rico hoje), Nicky virou Stripper, Ardack morreu mas depois descubriu que antes dele morrer ele namorava a modelo mais bonita de Israel, Zaire não tinha morrido, ele fingiu de morto e se arrependeu e foi fazer teatro, hoje ele está na série do Omer estrelando como um personagem chamado ''Ruby''. Aimmon Green foi preso e falesceu quando Zohar fez 18, esse foi o motivo dela ter entrado no mundo das drogas. E hoje eu estou namorando, um homem, 2 anos mais velho que eu, e amo minha filha Alice. Mas não sei se irei achar um amor maior do que o Leo desde quando eu tinha 15.

Abraços,

Ella Rozen Zachs.''

– AMIT, AMIT, AMIT!!!

– O que houve?

– Você dormiu até as 4 da tarde amor!

– Jura?

– Juro.

– Yon, deve ser por que você me tira o sono de madrugada.

– Hahaha.

– Eu tive um sonho estranho, que eu era a Ella Rozen e tava apaixonada pelo Leo e fiquei grávida.

– Que doidera, vou falar pro Menny não forçar você a gravar o roteiro no dia só.

– Parecia que eu tava em uma Fic de Split e que tudo foi uma ilusão. Mas o mais preocupante é que a Ella perdeu o Leo pra sempre...

– Eu não vou te perder nunca.

– Promete?

– Eu prometo.

E nós nos beijamos.

Notas finais do capítulo
É gente, aquilo tudo era um sonho! Tudo que vocês leram da Ella e Leo foi o sonho da Amit! Pelo menos era um sonho, melhor do que perder o Leo.
Foi ótimo escrever aqui, mas como Split 3, tudo acaba.
Comecei uma nova fic, ''Tempo Perdido''.
Acompanhe a fic! https://www.fanfiction.com.br/historia/243257/Tempo_Perdido/capitulo/1
Beijos spliteros! Obrigado por ler, e vejo vocês no Tempo Perdido :)




Todas as histórias são de responsabilidade de seus respectivos autores. Não nos responsabilizamos pelo material postado.
História arquivada em http://fanfiction.com.br/historia/209534/Quando_Seus_Olhos_Brilham/