[ Comentários ]

Positivo, Estou Grávida! escrita por NCullen


Capítulo 6
Reação


Notas iniciais do capítulo

- Obrigada: Jessik 19, valentinaLB, Amanda Hale, naila_cullen, Camilaaa, LittleLalaAnt, Black_Stone, ThaynaLima, SirizinhaPattz, Daah Cullen, Marcelaa e MaFer_Vieira, por comentarem =]
- Desculpa por não ter postado ontem, mas não consegui terminar a tempo. Porém o capítulo já está aqui fresquinho... Espero que gostem XD
- Boa leitura!




Bella POV:

 

Fiquei por vários minutos o encarando, descrente. Como assim “Quero voltar com você”? Ele só podia estar brincando.

– Está louco?... Jacob, não voltarei para você nem em mil anos. O que te levou a pensar que aceitaria?

– Eu sei que ainda me ama... Tenho certeza que sente algo por mim – dizia, segurando meu braço com força.

– Me solta! Está me machucando – falei, tentando manter a calma.

Sem minha ordem seus lábios selaram os meus, em um beijo bruto e doloroso.

Seus braços me envolveram fortemente, e com toda a coragem que tinha comecei a bater em seu peito. Tentando assim, fugir de perto dele.

Sua língua pediu passagem por minha boca, e estremeci com o contato. Não poderia negar que ainda sentia algo por ele, mas... Eu não sei... Faltava algo... O algo que logo me fez soltar-me dele.

Bati em seu rosto com toda força que me restava, e sai correndo.

Senti as lágrimas banharem em minhas bochechas, e comecei a me xingar internamente por ter aceitando vir em sua casa.

– Se sair por essa porta, não aceitarei a paternidade dessa criança – gritou, correndo ate mim.

– Ela não precisa de você, tem a mim, e isso basta – respondi, abrindo a porta.

Suas mãos frias tocaram em meu braço, apertando fortemente. Naquele momento, tive certeza que não sairia tão facilmente de sua casa. E esse pensamento começou a me apavorar.

– Aonde pensa que vai, Bells? – perguntou, em um tom sarcástico.

– Jake, por favor, me deixa ir para casa.

– Antes iremos fazer uma coisinha... – disse, completando com um sorriso malicioso.

Seus lábios atacaram os meus novamente, e sua mão prendeu-me na parede fria da sala de estar.

Seus dedos começaram a passear por minha pele, e já conseguia sentir as pequenas chamas começarem a acender.

“Eu o odeio... Não o amo... Eu falei a Edward que não amo...” – pensava desesperadamente. Frases completamente incoerentes saiam de minha cabeça. Eu o queria, e ao mesmo tempo não. Isso me revoltava.

Tentei dizer algo que fazia sentindo, contudo, após sentir suas mãos tirando minha camiseta, nada mais importava, apenas eu e ele. Sabia que estava cometendo uma besteira e que depois, sem dúvidas, me arrependeria amargamente. Porém não liguei. Não liguei para nada.

Meus lábios reagiram aos seus e minhas mãos começaram a trabalhar pelo seu corpo. De seus lábios saiam gemidos baixos, incentivando a continuar.

Era uma sensação tão boa sentir, sua pele quente tocando na minha, igualmente quente, ou apreciar o prazer que a boca dele causava em mim, a cada beijo em meu corpo.

Tirei sua camiseta, que impedia minhas mãos de passearem com mais agilidade em sua pele. O cheiro forte de perfume masculino entrou por minhas narinas, fazendo-me suspirar.

O mesmo barulhinho escutado por mim de uns dias para cá, começou a tocar sem parar.

O celular, no bolso de trás, da minha calça, foi tirado por suas mãos, e jogado no chão.

Nesses segundos longe de suas carícias, consegui raciocinar direito, e quando percebi pequenas gotas salgadas já começavam a brotar de meus olhos.

O que estou fazendo? Cadê meu orgulho? Meu amor-próprio? – perguntei-me internamente, enquanto sentia os lábios, de Jacob, voltarem aos meus.

Soltei-me de seu corpo e já chorando murmurei.

– Eu não posso.

Peguei minhas coisas e sai daquele quarto o mais rápido possível.

Não queria ver Jacob. Não queria ver ninguém... Não, eu queria ver alguém: Edward. Só ele para me ajudar a amenizar o ódio que sentia por mim mesma. Como fui idiota a ponto de aceitar seus beijos, afagos...

Virei à maçaneta e agradeci por estar aberta.

Uma garoa forte caia do céu de Forks, e um frio quase torturante percorria as ruas. Minha camiseta fina não ajudava em nada na friagem incomoda que sentia.

Meus cabelos voavam, tampando completamente minha visão, que já estava um pouco turva pelas lágrimas.

Não poderia chegar em casa assim. Se minha mãe e Carlisle já tiverem chegado vão ficar preocupados, e sinceramente, perguntas e mais perguntas era o que menos queria no momento.

Sentei na calçada, tentando de alguma forma, voltar ao normal, e nesses minutos de paz, fiquei pensando sobre as várias humilhações que já havia passado na companhia de Jacob.

Como que eu conseguia sentir algo por ele?... Estava começando a me convencer que era doente... Só pode!

Levantei sem nenhuma vontade, e segui novamente para minha casa. Sem lágrimas, tentando ser normal, e tirar a dor que sentia.

Todas as luzes estavam acesas, o que me fez pensar que minha mãe já tinha chegado e, com certeza, estava preocupada comigo. Afinal, demorei muito apenas para comprar um doce.

Abri a porta e sem conseguir deter, deixei minha mãe me abraçar. Suas mãos agarravam meu pequeno corpo fortemente, chegando a doer.

– Bella, onde estava? Como me assustou, menina!

– Eu fui ao parque – menti, me sentindo melhor.

– Nunca mais nos assuste dessa maneira, garota! Edward informou que havia ido comprar um doce, porém demorou mais que o necessário. Já estava começando a pensar besteira...

– Desculpe, mãe. Deveria ter ligado, avisando.

Encarei o resto da casa e vi Edward e Carlisle olhando minha imagem, aliviados, principalmente Edward, que com certeza não havia acreditado na minha mentira.

– Estou cansada... Vou me deitar. Boa noite – falei, subindo as escadas correndo.

Antes, demais nada, tomei um banho. Queria limpar qualquer vestígio dele.

 

Edward POV:

 

Meus pensamentos não saiam de Bella. Antes estava preocupado, com sua sumida a noite, porém após ela chegar me assustei. Talvez meu pai e Esme não tenham percebido, contudo, conhecia Isabella, bem o bastante, para saber que escondia algo. Seus ágeis dedos passeando pelos cabelos, sua dificuldade para mentir era tão grande,que sempre quando fazia, fechava os olhos. Com certeza ela não percebia esses seus deslizes. Nem ela própria percebia o quanto podia ser descoberta com facilidade.

Conversaria com ela mais tarde, quando estivesse mais calma. Nesse instante, o que Bella precisava era ficar sozinha, por mais que não quisesse.

Fui até a cozinha e encontrei meu pai com um sorriso bobo no rosto. Seu café ainda estava intocado, e seus olhos perdidos em algo.

– Quase dois dias – comentei malicioso, fazendo-o corar.

– Edward, por favor... – disse, constrangido.

Sai rindo da cozinha, quase gargalhando.

Esme colocou um filme que havia alugado antes de voltarem, e quando ia chamar Bella a interrompi. Expliquei que ela deveria estar cansada e com certeza, já estaria dormindo. Esme não ficou muito convencida, porém deixou passar.

Fiquei alguns minutos com os dois na sala, no entanto, estava tão concentrado em Isabella, que rapidamente subi me despedindo com uma boa noite.

  Encaminhei-me para seu quarto e bati baixinho em sua porta.

– Bella? – chamei apreensivo.

Não houve resposta.

Abri a porta e tristemente constatei que não tinha ninguém no quarto. Apenas uma luz fraca iluminava a bancada.

Cheguei à porta de seu banheiro e rodei a maçaneta rapidamente. Nada adiantou, estava trancada.

– Bella, sou eu, Edward. Abre a porta, por favor. – eu a chamava, e batia na porta, levemente.

Quando percebi, já estava com seu minúsculo corpo em meus braços, enquanto ouvia seu choro baixo, molhando minha camiseta.

Levei-a até a cama e sentei, com ela em meu colo.

– O que aconteceu, pequena? Por que está assim? – perguntei-me, desesperado com seu estado.

– Eu menti.

– Eu sei. Não foi comprar o doce não é? O que foi fazer?

Ela secou as lágrimas, e tampando seu rosto em meu peito, explicou.

– Um pouco mais cedo... O Jacob me ligou, e desta vez, eu atendi. Ele me falou para encontrá-lo em sua casa... Eu fui.

– E...? – perguntei afoito, por sua resposta.

– Ele disse que queria voltar comigo... Eu não aceitei e Jake começou a me beijar... – novamente permaneceu em silêncio.

– Fala Bella!

– Eu aceitei. Jacob levou-me até seu quarto e depois de um tempo me rendi a ele.

– Isabella... Você não...

– Não! Eu não fiz o que está pensando... Mas quase fiz, e isso que me martiriza. Meu orgulho foi embora apenas com a presença dele.

Não falei mais nada. Fiquei em meu mundo, enquanto acariciava sua pele fria.

Não queria acreditar que ela quase dormiu com Jacob novamente. Agora era minha vez de perguntar; Onde ela estava com a cabeça? Havia esquecido tudo que Jake fizera com ela?

Senti seu corpo se remexer, até encontrar uma posição mais confortável para dormir.

– Fica comigo... Perto de você não me sinto tão mal – sussurrou, e sem mais demora, adormeceu.

 



Notas finais do capítulo

Oiiii pessoas =]
E aí gostaram? Sentiram raiva de alguém, além da Bella... kkkk’
Só queria avisar (não sei se querem saber) que na estória original não é dessa forma que acontece, é um pouco diferente... Ok, é muito diferente, mas eu queria fazer uma surpresa as pessoas que já leram... Se não acaba ficando muito repetitivo. Mas nada muito grandioso irá ser mudado.. então tudo certo =]
Beijos e até!
Natália C.