[ Comentários ]

Positivo, Estou Grávida! escrita por NCullen


Capítulo 22
Encontro – Parte II


Notas iniciais do capítulo

Obrigada: Bells_Benetti, emmanuelle_16, lovestory, erika cunha, mandy alonso, ceciliamarlene, mah_spolador, lovesdi, flavinhagpk, BeatrizRoses, Bibika_Twilight, LittleLalaAnt, Paulynhaa, DEA, DaahC, Kahh_rv, lalac, mayaralopes, naanring, valentinaLB, bellacullen31, Thamy-Cullen, katilene, kinhaneck, Mriara, Raaymms, tcbarrei, Rebequinha, KayallaCullen e princesiinha, por comentarem.




Bella POV:

O caminho para a casa de Jacob foi tenso, eu não sabia o que esperar de nossa conversa e confesso que estava aflita pelo meu bebê. O doutor disse que não fazia bem eu me exaltar muito, e eu tinha absoluta certeza que com Jake eu iria começar a gritar e perder meu controle.

Toquei a campainha, assim que cheguei, e dei um sorriso indiferente ao ver seu rosto.

– Olá, Bella. Pode entrar.

Coloquei os pés em sua casa, um pouco amedrontada e bati o pé no carpete aguardando o que ele tinha a dizer.

– Vamos, não tenho a vida inteira, o que queria falar comigo?

– Que tal passearmos? – propôs com um sorriso malicioso nos lábios, o que me fez tremer – Vou pegar meu casaco e já volto – disse, mesmo sem eu ter concordado ou não.

Fiquei o aguardando, alisando levemente minha barriga que já estava particularmente grande para mim. Meus pés já se sentiam cansados algumas vezes e minhas costas também.

– Vamos? – perguntou, abrindo a porta novamente.

Um bolo em minha garganta começou a se formar. Eu estava temerosa sobre essa nossa saída. No momento só queria estar nos braços de Edward e nada mais.

Chegamos a um parque lotado, porém um pouco afastado de Forks. Ele já era um pouco velho, porém várias crianças brincavam nele, junto com seus pais, sentados em bancos, conversando.

Surpreendi-me ao perceber que os planos de Jacob no instante não eram dar uma volta pelo parque, mas sim, discutirmos dentro do carro apertado de seu pai.

– Abre a porta – pedi tranquilamente.

– Calminha, vamos conversar um pouco antes – respondeu, chegando mais perto.

– Eu só tenho algo para dizer a você, me deixe em paz. Finja que jamais me conheceu, que jamais tivemos algum envolvimento, esquece tudo entre a gente – falei, tentando de novo abrir a porta.

– Não vou abrir – articulou grosso – Eu sei que ainda sente algo. É impossível que todo aquele amor que dizia sentir por mim tenha se acabado, virado cinza.

– Não virou cinza, virou ódio.

– Só me dê mais uma chance – murmurou, colocando seus dedos em meu rosto.

Ri irônica.

– Te dar mais uma chance? – perguntei incrédula – O que tem na cabeça para achar que te darei mais uma chance? Esse tempo acabou. Sua oportunidade de mostrar que havia mudado foi embora... Agora abre a droga dessa porta e me deixe sair!

Minhas mãos começaram a fazer uma leve massagem em minha barriga, Sophia já começava a dar sinais de vida lá dentro, e isso estava fazendo-me sentir curtas contrações.

Jacob começou a se encaminhar cada vez mais rápido na direção de meus lábios e quando percebi já estava batendo forte em seu peito, tentando de qualquer maneira me afastar de seu corpo.

Minha respiração sai sem controle nenhum, e quanto mais eu o machucava, mais ele aumentava o sorriso malicioso em seus lábios.

Olhei para fora em desespero. Eu poderia merecer esse tratamento, afinal, fui eu que resolvi vir, eu que resolvi arriscar conversar com Jacob. Porém Sophia nada tinha haver com isso, não poderia deixá-la sair machucada por algo que nem vem a ser culpa dela.

Minhas mãos tentavam me afastar com toda brutalidade de sua boca, eu não queria provar daqueles lábios, jamais queria sentir sua pele em contato com a minha. Só de pensar me dava repulsa.

Ninguém parecia sair daquele parque. O silêncio naquela rua me deixava ainda mais amedrontada, eu estava com medo, medo do que aconteceria.

– Me solta – mandei, fazendo meus pés também começarem a trabalhar para afastá-lo de mim.

Um grito saiu de minha garganta, assim que senti uma pancada forte em minha barriga. Meu sangue passou a correr furiosamente pelo corpo e meus olhos de repente não conseguiam mais se focar em nada, apenas na grande dor que nascia de meu útero.

Coloquei meus dedos no local e as lágrimas vieram como enxurrada em meu rosto pálido pela dor.

O que Jacob havia feito? – perguntei, sentindo algo me molhar.

– O que fez seu imbecil? – seu corpo automaticamente se afastou do meu e sem pensar duas vezes girei a chave do carro e abri a porta, caindo quase de imediato no chão de concreto.

Sufoquei um grito de minha garganta e tentei me levantar e de alguma forma fugir dele.

– Merda – murmurei ao perceber que o que molhava minha roupa era sangue – Não, não... – dizia desesperada.

Braços me acudiram, e logo senti o perfume de Jacob.

– Me solta, não toca em mim – pedia, tentando fazer força.

– Por que não ficou quieta, e aceitou minhas carícias? Se não tivesse reagido nada disso estaria acontecendo – discursou, mal humorado.

– Meu bebê não pode nascer agora, não pode – disse, soltando lágrimas.

Jacob transparecia o nervosismo. Com certeza apenas pensava na grande besteira que havia feito. Porém a dor aumentava a cada vez que eu respirava ou me mexia, estava ficando extremamente insuportável e antes de meus olhos se fecharem completamente ouvi a voz de um anjo me chamando, contudo, não consegui responder, logo a escuridão me tomou.

1 hora antes...

Edward POV:

– Bella? – chamei ao abrir a porta de casa.

– Você não disse que ela iria sair com a Alice? – lembrou Emmet, sentando-se no sofá e ligando a televisão.

– Talvez tenha ido mesmo – respondi desconfiado – Vou tomar um banho e já desço... Você quer mesmo jogar algo que venço? – perguntei ao vê-lo ligar o Playstation.

– Vamos ver quem vai ser o campeão hoje.

– Tudo bem, campeão. Vou tomar um banho e volto para humilhar você – brinquei, subindo as escadas rapidamente.

Joguei minhas roupas pelo quarto e segui para a água morna que eu já havia ligado um pouco antes. O contato de minha pele com a água quente foi relaxante. Fiquei por mais tempo do que pretendia sentindo meu corpo frio, esquentar.

Segui para meu armário e uma ruga se formou em minha testa ao ver um pequeno papel em minha bancada.

O peguei, percebendo que quem escreveu fora Bella, com certeza antes de sair.

Eu sei que é bem capaz de não concordar com o que irei fazer e também vai me dar uma bronca quando eu chegar, mas desculpa, fui conversar com o Jacob e volto logo. Não queria estar indo, mas talvez seja até melhor, irei dizer algumas coisas a ele. Quem sabe depois dessa conversa ele não me deixa em paz.

Te amo, muito, muito, muito.

Bella.

– Droga – falei, sentindo meu corpo tremer de raiva.

Como assim ela foi ver Jacob? Mesmo Bella sabendo que ele apenas trazia mais confusão para nossas vidas ela foi vê-lo de novo? Meu sangue fervia, porém a grande preocupação que senti era maior. Não gostava de saber que ela estava nas mãos dele. Jacob não era confiável e não duvidava que ele pudesse fazer alguma coisa.

– Emmet! Emmet! – gritei, começando a me vestir rapidamente.

Ouvi seus passos subindo rapidamente até onde eu estava e antes mesmo que ele perguntasse o que havia acontecido, joguei o papel de Bella em suas mãos.

Seu rosto sempre brincalhão e de bem com a vida transformou-se em algo parecido com o meu no momento, atormentado.

– E agora? – questionou nervoso.

– Não sei, mas quando encontrá-la, ela não vai escapar de uma bronca – falei e dirigi-me até o andar de baixo, pegando as chaves do carro.

A campainha tocou, fazendo-me ter o mínimo de esperança que fosse Bella. Contudo, não, não era quem eu esperava aflito.

Tanya estava encostada em minha porta com um sorriso cheio de maldade nos lábios carnudos.

Não pensei antes de agarrar seus dois braços e perguntar onde estava Isabella, não duvidava nada que ela soubesse muito bem onde os dois estavam.

– Não sei – respondeu insensível.

– Não minta, Tanya, eu sei muito bem que você sabe aonde os dois estão... Passa quase o dia inteiro com ele e o resto dos alunos do futebol, não adianta mentir... Com certeza sabe de algo.

– Não digo – disse, fazendo minha raiva aumentar assim como o apertão em seu braço – Solte-me, está me machucando.

Logo, duas mãos grandes entraram no meio de minha conversa estressante com Tanya, afastando nós dois.

– Não vai ganhar nada com isso, Edward. Tente se acalmar – pediu Emmet, apartando a situação.

– Como quer que me acalme, Emm? Isabella está sozinha com aquele imbecil que não duvido que a machuque... Como quer que tente recobrar a calma? – dizia inconformado e passando a imaginar mil lugares aonde Bella deveria estar metida com ele.

Meu coração começava a se apertar só de saber que algo poderia estar acontecendo. Nada poderia ocorrer nem com Bella ou com Sophia. A ideia de saber que ela poderia estar passando por apuros fez minha última sobra de sensatez ir embora.

– A gente vai achá-la, cara.

Cheguei mais próximo de Tanya, porém, tentei controlar minhas mãos atrás de mim.

– Tanya, se você tem algum coração ai dentro, me diga onde ela está.

Não houve resposta.

– Isabella está grávida e você conhece Jacob o suficiente para saber que ele não é uma pessoa muito controlada. Por favor, me diga onde está. Se algo acontecer a ela, irei culpar vocês dois, afinal, tenho certeza que sabe de alguma coisa.

Tanya passou a me encarar confusa, e como o esperado abriu seus lábios, um pouco receosa.

– Ele a levou ao parque um pouco afastado a cidade.

Passei pelo seu corpo, que havia se encostado desolado na parede e segui para o carro junto com Emmet em meu encalço.

Tanya com certeza viera apenas para tentar algo comigo como sempre. Deveria muito bem saber que Jacob iria sair com Bella hoje e por isso mesmo veio fazer uma ‘surpresa’ para mim, porém ela não sabia que isso traria tanta confusão.

– Vai dar tudo certo, vai ver – falou ele confiante entrando no banco do carona.

– Bella foi uma inconsequente, irresponsável e teimosa... – murmurei impulsivo – Se acontecer algo com ela... Nem quero imaginar.

– Não vai acontecer nada.

Comecei a correr com o carro pelas ruas, não respeitando a nada, sei que estava sendo impulsivo demais, talvez ela estivesse bem, contudo, um lugar dentro de mim gritava avisando que Bella precisava de minha ajuda, que ela estava mal.

Como Tanya havia dito, um parque a alguns poucos quilômetros da cidade se encontrava lotado de pessoas. Gritaria, vozes infantis, todas estavam juntas, causando mais ânsia em mim.

Estacionei o carro na calçada do local e sai, procurando com meus olhos Bella e Jacob. Não fazia ideia de onde os dois poderiam estar. O parque era grande, além de haver outros pontos interessantes naquela estrada.

Emmet fazia o mesmo que eu, porém em um primeiro momento não conseguimos achar nenhum deles.

Até, um pouco afastado do parque, eu ver os cabelos tão conhecidos pelos meus olhos e pelas minhas mãos. Desci meus olhos e tomei um susto ao ver o estado deplorável que Bella se encontrava, acabando por ser aparada por Jacob, que parecia ser o armador.

Corri até ela o mais rápido que meus pés conseguiam e minha fúria cresceu ao ver Bella tentar afastá-lo dela. Com certeza Jacob havia ocasionado tudo.

Emmet POV:

– Bella – gritou fortemente Edward, a alguns passos de distância.

Meus olhos, assim como os de Edward, não esconderam o pânico, ao ver a parte debaixo de sua roupa suja de sangue. O que esse idiota tinha feito?

O corpo de Bella desfaleceu nas mãos de Jacob e eu rapidamente a tomei em meus braços, vendo que Edward parecia ir furioso em direção a Jake.

Seus braços estavam em punhos e com certeza seus pensamentos explodiam em puro ódio.

– Nunca mais encoste nela – disse, começando uma briga com o causador de toda a situação.

– Bella, Bella, fala comigo – pedi a sentando no banco – Edward – chamei-o, agoniado.

O próprio parecia conter tanta raiva dentro de si que parecia não saber se me escutava, ou continuava o que estava fazendo com Jacob.

– Edward, Bella está sangrando muito – gritei exasperado. Nesse momento ele pareceu recobrar a consciência e soltou o corpo todo machucado de Jacob. Voltando-se para minha direção.

Suas mãos a pegaram no colo e corremos a seu carro, deixando Jake, encostado no seu. Depois dessa, ele nunca mais mexeria com ninguém que estivesse envolvido com Edward. Não consegui conter um sorriso com isso. Finalmente esse idiota havia tomado uma lição.

Peguei as chaves de sua mão e abri as portas, ajudando Edward a colocá-la no banco traseiro.

Sentei no banco do motorista, e olhei uma última vez para trás, vendo o corpo de Bella recobrar a consciência aos poucos.

– Edward? Edward? – chamava desesperada, enquanto dirigia rapidamente para o hospital.

– Bella! – murmurou feliz por vê-la acordada.

– Minha barriga está doendo... Nada pode acontecer com Sophia... Estou com medo de perdê-la – sussurrava confusa e grogue pela forte vertigem que deveria estar sentindo.

– Nada vai acontecer a ela, tudo vai ficar com você e com Sophia, prometo.

Isabella não permaneceu muito tempo lúcida, cedeu um pouco depois a escuridão novamente.



Notas finais do capítulo

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH MAIS UMA RECOMENDAÇÃO? OK, EU NÃO MEREÇO TUDO ISSO, MAS DO MESMO JEITO EU ACEITO, SEM NEGAR ASHASHAHSHSA’ EU AMEI DEMAIS, DEMAIS, DEMAIS... E DEMAIS, PAULYNHAA!!

[...] (cinco minutos de silêncio)

Oiie, pessoas!

Eu não iria demorar muito para postar esse capítulo. Tenho coração mole, qual é neh?! Porém, o dia que tive um pouco de tempo para fazer isso resolvi assistir os novos vídeos do youtube *podem me bater* Cara, eu sou fãzona do Felipe Neto, fanática mesmo. Era um novo vídeo, a única esperança para que sexta feira fosse um dia bom e quebrasse toda a tensão, estresse, palavrões da semana *pior semana do ano essa, daria uma fic de drama*, não poderia perder essa oportunidade.

Sem brincadeira, mas estou parecendo o Edward aqui, minhas olheiras são capazes de estarem maiores que as dele, e olha que nesses dias estou dormindo cedo. Acho que é só o cansaço de final de ano. Quando as férias chegarem *algo que ainda vai demorar um pouco* irei ter mais descanso e terminar essa fic ashashhas’

Sobre o capítulo, não acreditem em final feliz – talvez exista, talvez não... Tenho umas quatro fics trágicas ashashash’ Mas a esperança é a última que morre neh?! Mas morre!

Bella se ferrou!!!!!! Quis fazer a burrada de conversar com Jacob... Ela tem o que na cabeça, m*? Por favor, alguém me responda que ainda não descobri a resposta para essa loucura.

Esse foi o capítulo mais difícil que já fiz na fic, talvez por isso a demora, levei muito tempo para conseguir escrevê-lo.

Por mais incrível que pareça, fiz o capítulo inteiro ouvindo rap ashashhash’ Me deu inspiração.

Beijos com carinho a todos.
Natália C.

PS: Montei uma estória com essa nota final. Ficou enorme.