[ Comentários ]

Por Que Eu? escrita por Isa Andry


Capítulo 7
Passado escuro.


Notas iniciais do capítulo

Gente quem le minhas outras histórias,mil perdões vou postar amanhã é que hoje eu e a Liliane minha amiga aquela Liliane Salvatore,nos juntamos e fizemos nosso trabalho da matéria A.C - Aula de Convivencia - sobre o meio ambiente ,e então como demorou não consegui postar.
Amanhã é certo,eu acho.
Agora boa leitura.




Pov ' Isabella

Fomos embora e no caminho inteiro Edward me olhava de esguela e eu ficava irritada,pareço uma criança birrenta mas eu tenho meus motivos.

Ele intemrropeu nosso momento romântico por medo daquele cara fotografar alguma coisa e sair na midia,porra pensa mim ...Ah que raiva por que estou chorando conheço ele a tão pouco tempo e ele já me afeta tanto assim?Cadê aquela garota que foi pra reabilitação pra controlar a raiva quando tinha 15 anos?Poxa,e só pra ajudar tenho que lembrar do meu passado.

–Bella por favor se acalma.-disse Leah e só agora vi que estava com os dentes trincados e punhos cerrados respirando fundo,Edward me olha preocupado e ao mesmo tempo confuso.

–O que houve?-pediu ele e ao ouvir sua voz parece que consigui respirar finalmente,fechei os olhos e deixei as lágrimas rolarem livremente e sinto os braços de Edward a minha volta,sinto o cheiro do seu perfume e de uísque e aquilo me dá nauseas mas continuou assim,porque é assim que preciso estar.-Shi Bella,o que está acontecendo?

–Edward ela não te contou?-pediu Leah sabendo que nesses momentos fico muda.

–Me contar o que?Não estou entendendo.-disse me apertando mais ao seu corpo.

–Você vai contar a ele Bella?-pediu Leah pra mim e assenti devagar.-Ela te conta Edward.

–Percebi.-disse respirando fundo e acabei adormecendo ali nos seus braços,sei que estava agindo igual a uma criança birrenta mas não consigo suportar é mais forte que eu e sei que quando Edward souber vai querer que eu saia da sua casa por eu ser uma louca,pois por mais que eu diga que me recuperei eu não tenho certeza ,mas as probalidades de eu ter me recuperado são poucas e os únicos que sabem são Seth,Leah,eu e o Sr.Barnes que era quem em ajudava na clínica e quem me ajudou a sair daquele lugar horrivel.

De vez em quando visito uma amiga que fiz,não deixam ela sair pois os pais dizem que ela não se recuperou e então os médicos mandam ela ficar.Sinto muito sua falta,Susan era minha melhor amiga depois do sr.Barnes lá na clínica.

***

Acordei e ainda estou de vestido,mas sem a maquiagem e sem os sapatos.Reconheço o meu quarto e levanto meio com sono ainda e vou até o banheiro,fico sentada no asulejo enquando a água quente caia sobre meu corpo e eu ficava pensando em tudo o que aconteceu até que ouço alguém entrar,e fecho o box escuro e essa pessoa senta na privada.

–Bella.-ouço a voz de Leah,estou ainda um pouco fraca e ela continua.-Sinto tanto pelo o que aconteceu ontem.-finalmente pigarriei e consegui falar.

–Nãp precisa sentir,eu que fui a culpada .-suspirei derrotada.

–Por que ficou tanta raiva?-pediu e olhei a água caindo sobre minhas pernas .

–Pelo o que o Edward fez e que fez me lembrar do meu passado.-falei e ela suspirou.

–Você odeia lembrar disso não é?-perguntou e já cerrei os punhos.-Vamos esquecer ,mas vai contar ao Edward?-fui me acalmando e ela esperou .

–Claro que vou,logo.

–Tem que ser ainda hoje.-falou e fiquei confusa.

–Aé por que?-pedi muito confusa.

–Porque ele não quer sair do quarto e está imaginado milhões de coisas.-disse ela e suspirei desligando o chuveiro,me enrolando na toalha e saindo.

–Se o ver avise que só vou me vestir e vamos conversar,vou colocar as quartas na mesa.-falei e ela assentiu saindo,entrei no closet e coloquei uma mini saia,uma blusa regata por conta do calor,um tênis,e passei um rímel nos olhos e prendi meus cabelos em um rabo de cavalo pro lado fazendo grandes cachos nele.

http://www.polyvore.com/cgi/set?id=83473645&.locale=pt-br

Depois de pronta sai pelo corredor e fui de encontro ao quarto de Edward,bati na porta e ele gritou "Entre",entrei e vi ele deitado com as mãos na cabeça e ao me ver levanta rapidamente e me abraça me tirando do chão.

– Oh Bella,por favor me desculpa pelo o que eu tenha feito,e mesmo sem saber o que é prometo não fazer novamente.-disse e beijou minha bochecha diversas vezes e sorri.

–Me põe no chão,temos muito o que conversar.-ele ficou rígido e me senti culpada.-Mas claro te perdoou.-ele suspirou me colocando no chão e depois me acompanhou até a cama,nos sentamos um de frente pro outro.

–Pode falar.-disse ele e suspirei.

–Primeiro ahco que queira saber o que você fez ontem,é?-pedi e ele sorriu fraco.

–Sim.

–Fiquei magoada,porque ontem estava acontecendo nosso primeiro beijo e poxa você o intenrrompe por cause de um corno de um paparazzi,esquece eles e se importa comigo.

–Mas é que eles vão te perseguir e não vão te deixar em paz...

-Foda-se,mas não quero discutir com você.-falei e o abracei e ele retribuiu.

–O.k,mas quero que saiba que fiz pro seu bem.-bufei e ele riu.-Shi não vamos discutir.

–Edward...- o chamei ainda o abraçando.

–Tem uma parte do meu passado que você não conhece.-falei e pude ver sua cara de confuso.

–Sério ,quer me contar?-pediu ele e assenti.

–Tem haver o porque de eu ficar tão brava ontem.-falei e ele ficou rígido.

–Me conta ,então...se quiser não precisa se obrigar.-disse ele nervoso e ri fraco.

–Eu quero te contar...nem se preocupa.-falei e sentei de frente pra ele.

–O.k,me conte então.

–O.k,vamos começar.-falei fechando os olhos e pensando por onde começaria aquela parte escura do meu passado,sinto medo de como ele vai reagir mas prefiro contar a mentir pra ele. -Quando eu tinha 15 anos ,eu comecei a me irritar por qualquer coisa,na TPM então?Nem se fala e todos ficavam assustados pois a doce e ingênua Bella Swan estava se transformando em um monstro.

" As pessoas estavam sendo maldosas e me apelidavam de "Hulk " ou então " A fera" de Bella e a Fera.Isso me irritava profundamente e eu tinha que me controlar pra não sair batendo em todo mundo,até que um garoto chegou em mim e na minha cara começou a dizer isso,e eu fiquei muda.Sempre fui assim,no momento em que estou com raiva fico muda e não consigo falar,como se um nó na minha gargante impedisse.

E o garoto continuava a caçoar de mim e na minha cara,pessoas formaram uma roda ao redor de nós e eu não queria machucar ninguém,até que minha raiva foi tanta que soquei,chutei e dei tapas no guri.

Ele estava ficando todo marcado todo cheio de seu sangue ,mas nem assim eu parava de bater nele ,pegava qualquer coisa que vinha no meu lado e todos ficaram muito chocados e chamaram a policia e lá eles fizeram muita coisa chata.

Até que entraram num acordo e disseram que era pro meus pais decidirem,ou a reabilitação para controlar a raiva,onde eu ficaria naqueles que parecia um internato e receberia visitar aos fim de semana e nos feriados,ou então era presa na prisão de menores.- senti lágrimas rolando e o nó chegando,então pigarriei voltando ao normal.-Eles escolheram a reabilitação,obvio."

–E como foi lá?-pediu Edward chocado.

–Foi horrível,nunca vi coisa pior.Tinha que passar por exames toda semana pra ver se eu estava curada e nunca adiatava,eu nunca me recuperava e estava louca pra sair daquele inerno,comecei a falar palavrões o que só piorou ainda mais para mim,meu psicológo era o Sr.Barnes ,ele tinha usn 39 anos e era muito gentil,ele me ajudou tanto.

"Minha colega de quarto Susan também me ajudara,mas não era o mesmo sentia falta de meu pai e minha ...mãe,assim dizemos.Mas eles não queria me deixar ir,todas as noites eu chorava e acordava com raiva aquilo já fazia parte da minha rotina e eles falavam que aquilo era um sinal que não havia me recuperado.

Contei ao Sr.Barnes que queria muito sair dali,não aguentava nem um pouco naquele lugar,aquelas pessoas...argh me deixavam irritada e logico que nunca ia me recuperar.

Então nos exames ,além de ser um observador foi ele que fez o exame e falou que por incrivel que pareça havia me recuperado,mas não foi suficiente ,fiquei mais três dias ,eles intrevistaram a Susan e ela disse que todos os dias agora me acordava mais calma,mais feliz e sempre brincando e eles acreditaram,comecei a ficar mais calma e com esperança e quando finalmente sai parecia que tudo estava feliz novamente na minha vida e então eu e meu pai mudamos e fomos para La Push ,bom minha mãe quando sai ela se recusava a se mudar por causa de mim,e falava que eu tinha mais que morrer pois pessoas como eu não deviam existir...e até hoje sinto raiva dela e tento não lembrar dela e não menciona-la.

Depois que nos mudamos ela nos abandonou ,me entregou a policia mas então quando eles olharam meu histórico viram que fazia apenas 2 dias que havia saido e havia me recuperado e meu pai deu um entrevista dizendo que estava tudo bem e explicando porque minha própria mãe fez isso.

Antes de meu pai conhecer Sue,recebemos um telefonema que Renée,minha mãe,sofreu um acidente de carro e morreu identificamos o corpo e a enterramos e então meu pai conheceu Sue,se casaram e eu fique com dois meio irmãos,Leah e Seth,Leah está aqui comigo e Seth está no Brasil terminando a universidade,ele disse que não quer fazer faculdade pois a empresa em que trabalha contrataram ele como o vice-presidente e farão uma transferencia pra empresa de Seattle."-terminei e ele me olhou chocado e fechei os olhos esperando seus gritos,pra mim sair da sua casa mas isso não aconteceu e ao abrir os olhos vi ele sorrindo torto.

–Obrigado,por se abrir comigo...e sinto muito por ter de lembrar de tudo.-disse e o abracei.

–Esta tudo bem,isso já passou.-falei e ele sorriu,o beijei de novo nossa como é bom a sensação do seus lábios nos meus,nunca experimentei igual e acho que não tem.

Ao nos separarmos ele cola nossas testas e eu fecho os olhos sorrido e posso imaginar seu sorriso grande e ele me rouba um selinho.

–Hoje a noite temos que ir a uma festa de um amigo.-falou ele e assenti.-Espero que não se importe de ainda não assumirmos,primeiro tenho que conversar com Emily assim que ela voltar de viajem.-disse ele e o beijei.

–Tudo bem...mas agora estou com fome,vamos tomar café da manhã.-falei e ele riu.

–Já está na hora do almoço,mocinha dorminhoca.-disse agarrando minha cintura e vi que ali é meu lugar,nossa parece que senti um peso ser tirado das minhas costas e avaliei seu rosto perfeito e sorri,ele é o amor da minha vida e não tenho nenhuma dúvida que já me apaixonei.

Continua....





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Por Que Eu?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.