[ Comentários ]

Vigaristas escrita por Juh, Amanda, Taís


Capítulo 41
Arco- Íris


Notas iniciais do capítulo

Olá vigaristas *-*

Capítulo dedicado a akaneyume pela linda recomendação e também a todos que comentaram, recomendaram e ainda recomendarão *--*

Leiam com carinho o ultimo capítulo da fic e encontrem a resposta junto com a Sakura, ok?!



Eles se casaram por algo que ambos não tinham. Trapaças. Ambições. Vingança. Golpes. Será que no final do arco-íris existe algo além de um pote de ouro?




Vigaristas

Escrita por

Taís, Amanda e Juliana




Na mitologia grega, o arco-íris era considerado um 'capinho' criado pela mensageira Íris, ligando a terra ao céu. Na mitologia chinesa, o arco-íris era um 'trincado' no céu selado pela deusa Nûwa usando pedras de diferentes cores. Na mitologia indú, era chamado Indradhanush, significando o arco de Indra, o deus do relâmpago e do trovão. Na mitologia escandinava, era chamado de 'Ponde de Bigröst' e liga os reinos de Ásgard (lar dos deuses) e Midgard (terra dos homens). Para os cristãos e judeus é o símbolo de uma aliança de Deus com os homens. E, por fim... Os malditos e mentirosos Irlandeses!

Eles afirmam serem os 'Leprechaus', que são duendes da sorte, gnomos ou 'guardiões de vários tesouros'... Chamem do que preferir, eu particularmente gosto do termo "desgraçadinhos de uma figa", além de serem os sapateiros das fadas e viverem escondidos nos arbustos dos jardins só esperando um trouxa passar pra levar um susto, nas horas vagas, eram eles quem escondia seu pote de ouro em um lugar secreto e impossível de se alcançar... No final do arco-íris.

Não tinham um lugarzinho mais fácil não, idiotinhas?

Como se não bastasse, para conseguir chegar ao pote de ouro é preciso capturar um desses trombadinhas e jamais perdê-lo de vista, pois o duende desaparece rapidinho no ar. E depois de todo este sofrimento no cão, ainda tem que tomar cuidado, é bom que você ache um deles e não o contrário, porque o traquina ainda lhe pega uma peça, te confundindo pra que nunca chegue ao tão procurado fim do arco-íris.

E cá estou eu, depois de muito pelejar, inúmeros danos psicológicos e morais, muito sofrimento e quebras de unhas, driblando vários obstáculos no percurso e com toda queratina do cabelo esvaída, pra que finalmente...

Finalmente...

Pera aê... Pera aê...

Onde é que está meu pote de ouro mesmo?

Ah, sim... Sou mesmo a única mocinha que se ferra no final e não atinge seus objetivos. Aqui vai a má notícia: Não existe merda nenhuma no final das sete cores, nem uma notinha de um dólar, nenhum colarzinho de brilhantes, nem uma pedrinha de diamantes... Nadinha de nada!

Ok, ok... Nada, nada, nada, também não! Tinha o meu Uchiha, alto, sexy, lindo, forte, inteligente, protetor e... Pobre! Não posso ocultar seu único defeito, depois de rabugento, isto é.

Tudo o que tínhamos agora era o "nós", totalmente pobres de marré, marré, marré... Mas foi tua escolha, não foi idiota? Bem que isso já tinha sido profetizado, ainda quando criança essa escolha me perseguia desde o inicio... Entre o loiro, o moreno, o careca, o cabeludo, o rei, o LADRÃO, o policia e o capitão, adivinhem só o que sempre sobrava pra mim??? Então pronto! Agora pare de pensar nisso antes que comece a chorar, não pode borrar o rímel... Tsc! Nem de rímel estou... A coisa ta mesmo feia! Mas sempre pode piorar, não é mesmo? Argh.

Quando percebi que podia morrer asfixiada por aquele beijo interminável de Sasuke, dei uma leve mordida em seus lábios, encerrando o gesto. Ele me olhou confuso, mas eu apenas peguei sua mão incentivando-o a correr pela areia novamente em direção ao casebre. Ainda tinha algo que me preocupava... Adentramos o quarto onde estávamos e logo me inclinei ao chão para pegar a bolsa.

Precisava saber que raio de resultado havia dado no bendito teste de gravidez.



— Que foi agora?— perguntou sem entender.

— Como assim o que foi agora? Podemos estar grávidos, esqueceu?— perguntei sentindo um nervosinho se apoderar do meu corpo. Tudo bem Sakura... É só respirar! Sasuke revirou os olhos e eu abri a bolsa retirando o teste de la com os meus fechados e quando finalmente os abri...

— O que deu?— Sasuke perguntou transparecendo sua curiosidade.

— Não estamos esperando um bebê. Ufa! — disse colocando a mão no peito ao escorar-me na parede apreciando o alívio que se instalara ali. Sasuke aproximou-se me abraçando pela cintura, inclinando-se sensualmente até meu ouvido.

— Podemos dar um jeito nisso...— É podemos sim, vamos dar um jeito querido! Que? Não! Claro que não podemos, não vou contribuir para o aumento do índice de população que passa fome. Que biruta... Eu heim!— Não quer que eu faça filhos em você?— perguntou beijando meu pescoço. Hm... Engraçadinho, acha que vai me convencer com estes beijos quentes e delirantes né? Não vai não... Não mesmo!

— Eu que não vou te dar um time de handebol, nem vem! Ta querendo me transformar numa parideira é? Não temos dinheiro pra plástica querido. Quer ver este corpinho aqui devastado por estrias e celulites? Buracos e pelancas? Hm? Sim, porque essa barriguinha lisa vai virar um bucho grande, um balão imenso que só faz crescer até que eu exploda, é isso que você quer? Essa carne durinha ficará flácida e não, você não vai querer mais nada comigo e além do mais... — bem que tentei explicar, mas ele me interrompeu com um beijo intenso. Eu sabia que ele queria que eu calasse a boca, mas a verdade é que estava nervosa e insegura por nosso destino incerto. Sasuke puxou lentamente meus lábios finalizando o beijo, como se compreendesse que eu tinha dúvidas. — O que vamos fazer agora?— perguntei e ele me encarou por alguns instantes usando o polegar para acariciar os traços de meu rosto, em seguida entrelaçou sua mão na minha levantando-a.



— Podemos vender a aliança. — sugeriu. Oh claro... E eu aqui pensando que ele ia me dizer algo romântico! Tsc!

— Nem pensar Sasuke! Eu gosto demais deste diamante pra me desfazer, nem vem!— protestei escondendo a mão enquanto ele sorria de canto, inclinando-se para beijar meu pescoço e colo, subindo lentamente para meu ouvido.

— Posso roubar um carro e assaltar um banco, enquanto você trabalha de dançarina. — Disse bem despreocupado. É bem simples mesmo, as pessoas normais fazem isso a todo tempo. Tsc!

— Quer mesmo me ver dançar com roupas sensuais para um monte de marmanjos?— perguntei incrédula.

— Quem aqui disse que é pra um monte de marmanjos? É só pra mim!— disse como se fosse óbvio. — Prometo que lhe pagarei. — disse beijando novamente minha boca e eu lhe abracei com força. Céus! Aquele homem lindo era mesmo meu... Óbvio que eu ia dançar pra ele, mas se insiste em pagar, por mim tudo bem!

Apertou minha cintura e eu o abracei sentindo suas carícias quentes, em meio às respirações já exaltadas. Sasuke desceu uma alça de meu vestido espalhando beijos naquela região, fechei os olhos suspirando completamente molenga em seus braços...




— Ei... Vamos parar com a safadeza? Tem menores de idade por aqui!— Pra variar, fomos interrompidos pela voz de um certo loiro sapeca de olhar azulado que sorria ao tampar os olhos de Konohamaru com ambas as mãos. Logo me recompus sabendo que minhas bochechas estavam vermelhas, e Sasuke rosnou em desagrado.

Vem cá, vai ser sempre assim? Já não basta eu continuar pobre, tem sempre que aparecer alguém, e praticamente em todas às vezes esse alguém é o Naruto, justo no meu momento feliz em que estou desfrutando da única coisa boa que me restou... Sasuke! Avisem a ele que a mocinha tem que ser feliz no final, por favor? Argh!

— Sakura... — Konohamaru disse soltando-se de Naruto para correr até mim. Óh, também senti saudades, Konohamaru. Sorri preparando-me para ser agarrada pelo garoto, quando no meio do caminho ele resolveu mudar de idéia, desviando-se de mim e preferindo ir falar com o "tio Sasuke". — Tio Sasuke... Tenho que te mostrar meus jogos novos de videogame!

— O que é que vocês estão fazendo aqui, heim?— perguntei querendo estrangular o loiro que sorria descaradamente. Ta, ta.. Eu estava morrendo de saudade dele, e de Konohamaru também, mas acontece que os meus momentos com o Sasuke são sagrados demais para serem interrompidos. Será que ninguém percebe isso não?

— Ora... Viemos nos despedir! Todos estão lá no galpão esperando por vocês! — Naruto disse e eu olhei para Sasuke querendo entender de que raio aquele loiro falava. Sasuke apenas pegou minha mão arrastando-me junto com Konohamaru para fora da casa. Entramos no enorme galpão cheio de caixas, coisas velhas e bandidos... É isso mesmo, toda a galerinha da pesada estava lá tagarelando e sorrindo entretidos em suas respectivas conversas. Neji, Sai, Ino, Hinata, Lee, Gaara, Shikamaru, Temari... Pera aí, Temari? Qual parte da minha vida perdi quando estava no cativeiro, hein?

Ino e Hinata foram as primeiras a nos reparar ali, as duas vieram até mim, alternando seus olhares para Sasuke que estava vivinho da silva ao meu lado.

— Suas traíras, vocês sabiam de tudo, né? Como não me contaram que Sasuke estava vivo? Se eu soubesse, poderia ter vindo até aqui com uma roupinha melhor, maquiada... Poxa, eu teria arrumado meu cabelo! — reclamei, afinal, estavam todos ali, bem vestidos e com os seus rostinhos lindos, agora eu... Nem vou citar meu estado caótico. Ainda bem que tenho beleza de sobra, só assim pra disfarçar minha roupinha simples em meio aquele povo chique, mas vejam bem... Permitir que eles me vissem sem maquiagem e com um vestidinho brega desses, é a minha maneira de demonstrar o quanto confio neles. Uhum.

— Juro que nós não sabíamos Sakura! — Hinata se adiantou a responder.

— Estamos tão surpresas quanto você! — Ino completou, e eu meio que já sabia disso, já que Sasuke sempre foi super cauteloso e só confiava nos meninos. Só por isso as perdôo, por me deixarem sair da boate tão mal trapilha!

Logo todos começaram a se aglomerar a nossa volta. Sai foi o primeiro a me abraçar e dizer o quanto meu cabelo cresceu, bagunçando-os. Juro que se soubesse alguns de seus golpes ninjas o acertaria sem dó! Neji foi o segundo, erguendo-me no ar com seu abraço de urso. Diria até que foi fofo, se ele não tivesse levantado meu vestido junto para o alto, quase deixando meu bumbum a mostra. Sasuke meu protetor, possessivo como sempre, puxou meu vestido para baixo... Depois foi a vez de Gaara, que fez questão de mostrar o arranhão que deixei em seu braço na noite anterior, quando o mesmo tentou me tirar de cima do corpo do Sasuke "morto". Tratei de me defender logo, naquela hora eu estava tão desesperada que nem percebi que os seguranças do Itachi, na verdade eram os meninos. Abracei-o também. E então veio o tímido do Lee, que apenas me deu um abraço rápido, e sem nada dizer foi ficar ao lado de Ino. O nerd do Shikamaru também veio me abraçar, dando-me um beijo no rosto em seguida.



E no fim, eu fiquei me perguntando, onde é que estão os pedidos de desculpas e os presentes caros que eu fingiria que não gostei só para fazer birra, quando na verdade, por dentro estava chorando de alegria, que eles me dariam após me enganarem tão descaradamente??? Hm?

Não rolou, então fui cumprimentar minha amiga de longa data, Temari. Daria uma unha minha (mentira) para saber o que diabos ela estava fazendo ali, no meio do povo. Afinal, não era ela que não se misturava com a ralé? Somos todos pobretões, ué!

— Amiga, não precisa perguntar... Só quero te agradecer por naquela festa ter me apresentado o Shika... — ela disse toda sorridente olhando para o nerd como se ele fosse um deus.

— Trocamos e-mails desde aquela noite e nunca mais paramos de nos comunicar... Viva a tecnologia! — Shikamaru contou retribuindo o olhar apaixonado de Temari. Eu hein. — Acredita que ela gosta de Star Wars e joga videogame?

— Não se esqueça de o Senhor dos Anéis e de Harry Potter, amor! — acrescentou e eu fiquei paralisada. É certo que minha amiga Temari sempre foi inteligente demais, e sempre se importou com os estudos, mas nerd? Coitadinha... Desandou sem mim por perto! Tsc!

— Ei, Sakura... Não vou ganhar meu abraço não? — Naruto tirou-me dos meus devaneios, fazendo eu me virar na direção de sua voz. Levei outro susto e novamente me perguntei o que foi que eu perdi enquanto estava fugindo e no cativeiro? Naruto estava de mãos dadas com Hinata como se fossem um... Casal!

— Eu os peguei juntos quando passei na casa dele assim que voltei da pensão... Sua amiga tem um extremo mau gosto! — vendo minha confusão Sasuke explicou. Ual, por que foi mesmo que eu nunca liguei os pontos toda vez que Hinata falava de seu fraco por homens fardados, ou pelos olhares que ela lançava a Naruto, hein? Droga, fico tão preocupada com as cores das minhas unhas que me esqueço de narrar os romances alheios! Tsc!

Assim que a fixa caiu, sorri para eles indo abraçar Naruto. Sei que ele teve uma breve paixonite por mim, aliás, coisa que é super normal, totalmente compreensível já que sou muito linda e convenhamos é impossível não se apaixonar pelos meus atributos... Nem mesmo Sasuke resistiu! E no fim, Naruto e eu éramos mesmo somente bons amigos... Fiquei super feliz por este pilantrinha!

— Não poderia ser seu friendzone para sempre, né? Fazer o quê se o Sasuke chegou primeiro? Só espero que você não se arrependa pelo enorme erro que cometeu escolhendo-o, porque eu to muito bem com a Hinata, viu... Não tem um loiro gostoso destes em qualquer esquina... — ele disse todo convencido no meu ouvido. — Precisando irritar o Sasuke... Não se esqueça que tem um amigo habilitadíssimo, heim!— Disse rancando-me uma risada, Naruto é demais! Sentiria falta de aprontar com ele...

Soltei-me do abraço de Naruto sentindo meus olhos me incomodarem, olhei para a equipe lembrando-me de todos os momentos que passei junto deles... Aqueles marmanjos musculosos e lindos haviam se tornado minha família! Invadiram minha vida, assim como eu invadi a de Sasuke. E agora, estava percebendo o clima de despedida em que nos encontrávamos, só então notando aquelas malditas malas...

— Vocês vão mesmo nos abandonar?— perguntei olhando para todos. — Vocês mataram o Itachi e agora estão fugindo dele, é isso?

— Não, Itachi está vivo. A ordem do Sasuke para matá-lo, era somente caso ele morresse de verdade, e como não aconteceu nós não o matamos... — Gaara explicou.

— Sempre foi parte do plano irmos embora, independe do que acontecesse. Invadimos a casa dele e matamos seus seguranças, ele já deve saber que Sasuke não agiu sozinho. — Neji disse.

— E se não irmos agora, vamos perder o nosso vôo, seus manés! — Sai disse olhando em seu relógio de pulso, Gaara e Neji assentiram. — Vamos tirar umas férias curtindo em Ibiza, e depois vamos para China, quero me aperfeiçoar nas artes marciais... — Sai contou e sorriu de canto para mim indo se despedir de todos.

— Quando é que vocês vão me apresentar a suas namoradas, hein? Elas têm que passar pela minha aprovação! — reclamei para Neji que me olhou incrédulo antes de responder.

— Você sabe quantos casos de mulheres que assassinaram o namorado ou marido por ciúmes, ou porque foram traídas, que eu julgo?

— Você sabe quantos assassinatos de homem cometidos por mulheres ciumentas e traídas, que aparecem na minha delegacia? — Gaara perguntou.

— Por isso que somos solteiros... Somos livres! — Neji disse concordando com Gaara.

— Boa sorte para vocês, caras... — Sai disse olhando com pena para Naruto, Lee e Shikamaru que estavam agarrados as suas namoradas. Depois olhou para mim. — Só ainda não consigo entender como foi que você conseguiu prender o Sasuke. Nós achávamos que ele tinha alergia a aliança...

— Sabe como é, né. Já dizia o ditado... Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura! — falei despreocupadamente, quando de repente senti todos os pares de olhos daquele galpão arregalados e pousados no meu rostinho. Todos estavam boquiabertos! Rá, sabia que eles tinham probleminhas! Ta comprovado, eu sempre soube que estava certa... — Só falando o ditado errado para vocês entenderem, né? Eu heim... — disse em seguida escutando suas risadas. Vê se pode, além de estarem errados, não conseguem admitir. Eu hein! Gente alienígena que não sabe pronunciar um ditado correto.



Sai, Gaara e Neji pegaram suas respectivas malas, indo na direção da saída, mas antes viraram para umas ultimas palavras.

— Não se esqueçam de mandarem notícias! — Gaara disse.

— Se houver porrada, não se esqueçam de nos chamar! — Sai disse e os outros dois concordaram antes de seguir seus caminhos para fora do galpão... Senti um pequeno aperto no coração, vendo-os sumirem de minha vista. Adeus!

— Bom... Acho que nós também já vamos... — Shikamaru disse despedindo-se também, de mãos dadas com Temari. — Temari vai fazer um curso em Tókio, e eu vou aproveitar a carona. Quero me atualizar com a tecnologia dos Japas, e quero ser o primeiro a comprar o Playstation quatro. Até mais, pessoal. E se precisarem de mim, é só ligar no meu celular de cinco chips que eu acho vocês em qualquer lugar do mundo!

E com isso os dois pombinhos também saíram do galpão... Vou sentir saudades! E então foi a vez de Lee e Ino se despedirem. Droga, odeio esses momentos!

— Lee e eu ainda não decidimos para qual lugar da Itália vamos criar nosso bebê... Sabe, eu tento discutir a relação com ele, mas isso é uma coisa impossível! Vocês nem imaginam o que eu passo... — Ino dizia e eu vi quando Naruto foi contido por Hinata ao comemorar o fato de Lee não precisar discutir a relação... Espertinho. Ainda bem que meu Sasuke não tem esse problema! Ufa! — Imagina se o bebê nasce menina? O próprio pai não vai conseguir falar com a filha? Céus! É bom você desenvolver uma droga que cure essa sua fobia, meu amor... — Ino disse afobada e de repente riu. — Que coisa... Lee consegue reavivar os mortos, mas não fala com mulheres! Tsc! Precisamos tratar isso já, mas vamos embora logo porque já estou sentindo o enjôo que está por vir... Gravidez sofrida essa minha. Cansei de botar os bofes para fora, você precisa desenvolver um remédio para isso também, querido! — Ino tagarelava alternando em brigar com Lee e falar com a gente, quando de repente sentiu um mega enjôo e saiu correndo com a mão na boca, Lee tratou de correr atrás dela.

Por fim, sobrou somente Hinata, Naruto, Konohamaru, Sasuke e eu... E agora nós tínhamos que resolver um assunto importantíssimo: qual casal iria cuidar do fedelho? Nem de longe Sasuke e eu tínhamos condições psicológicas e muito menos financeira para tal, mas o aperto no coração de deixar o garoto invadia meu coração, fazendo meus olhos marejarem. Quem sabe Konohamaru não poderia nos ajudar fazendo seus truques no sinal, enganando as pessoas com falsas doenças e até roubando? Nãaaao! Não quero ter que buscar o garoto na FEBEM!

— Cuidaremos do garoto para vocês curtirem sua lua de mel... — Naruto começou dizendo. Lua de mel? Com quê dinheiro hein? Agora nós vamos é ralar no duro para descolar uns trocadinhos, isso sim! — Hinata e eu já nos acostumamos com o fedelinho criminoso... Estamos de viagem marcada para Inglaterra, Hinata já se adiantou e conseguiu matricular Konohamaru numa escola.

— O tio Naruto me prometeu roubar o Playstation quatro do Shikamaru se eu me sair bem na escola e não aprontar... — Konohamaru com sua carinha de anjo.

— Mas só ganhará quando sair do castigo! — Hinata interveio.

— Eu não me lembro de ter feito nada! — Konohamaru defendeu-se bem malandrinho usando a tática do problema de memória.

— Como não? Você voltou do mercado sem o troco! — disse Hinata.

—Mas se não paguei por nada, como traria o troco? — ele disse quase confessando o roubo, e todos riram da sua desculpinha barata.

— Se despeça de Sakura logo, garoto ou vamos perder o vôo também... — Naruto disse empurrando o garoto na minha direção. Me agachei para receber seu abraço apertado, sentindo seu corpinho esmilinguido. Meu pobre amiguinho que vou demorar a ver... Ai, já disse que odeio despedidas? Pois é, não estava muito a fim de soltar Konohamaru não, sabe... Fiquei abraçada a ele até o mesmo pedir para que eu o soltasse, pois estava esmagando-lhe.

— Sakura... Você ta chorando? — o garoto perguntou e eu funguei antes de responder.

— Chorando, eu? Não garoto, ta maluco? Eu chorando, por quê? Tsc! Não faço essas coisas, chorar é coisa de gente fraca! Até parece que eu vou chorar... Foi só um cisco que caiu no meu olho. Nos dois olhos, que coincidência não? Aposto que caiu desse teto velho! Ou é uma dessas partículas que voam, elas sempre encontram dois olhos abertos, sabe... Porque não faz sentido eu chorar, né? É uma piada... Vem cá, vem Konohamaru. Dê outro abraço na tia Sakura antes de partir... — disse puxando-o para outro abraço apertado. Não estava querendo soltá-lo para o mundo.

— Não se preocupem, eu vou mandá-lo para tirar umas férias com vocês em breve. Agora vamos em definitivo. E não se esqueçam de nos mandar cartões de Natal, hein! — Naruto disse arrastando o garoto de mim. Todos nos despedimos, e eles partiram do galpão. Suspirei secando meu rosto... Malditos ciscos que amam entrar para ver a cor dos meus olhos verdes esmeralda, hein! Argh.

Sasuke e eu andávamos de mãos dadas pela areia da praia, me permiti olhar sua face calma e perfeita, enquanto o vento batia em seus cabelos, tornando-o a melhor visão que poderia ter. O sol começava a esquentar competindo com os tímidos chuviscos que tornavam o dia primaveril e agradável. Fechei os olhos aproveitando a brisa gostosa que nos sondava. Sasuke me abraçou por trás guiando meus passos enquanto espalhava beijos por meu rosto.

— Como se sente?— perguntou em meu ouvido. Lancei mais o peso de meu corpo no dele escorando minha cabeça em seu peitoral e apertei seus braços envoltos a minha cintura enquanto caminhávamos.

— Bom... Eu nunca dormi debaixo de uma ponte, nem pedi esmolas na rua, nunca tive dente podre e não faço idéia de como se faz malabarismo no sinal. Mas acho que a sensação é a mesma... —disse e ele riu. — Ainda assim... Me sinto feliz.— disse quando de repente ele me virou de frente para si. Sasuke iniciou um novo beijo delicioso que me fez esquecer tudo, dane-se pobreza, eu tenho o Sasuke pra beijar... É melhor do que fazer compras! Ta, exagerei um pouco.

Nos separamos para apreciar o lindo arco-íris que havia se formado na imensidão do céu. Sasuke puxou meu queixo fazendo-me sustentar seu olhar intenso nos meus.

— E se eu te dissesse que você não vai precisar fazer malabarismo no sinal, vender sua aliança e nem nunca mais se meter num golpe? — perguntou de repente puxando-me de encontro a si. Uni as sobrancelhas encarando-o sem ter a menor noção do que ele falava. Sasuke deu-me um rápido selinho me impedindo de falar, depois sorriu trambiqueiro... Eu hein.

— Lembra de quando pedi pra colocar CDs nos computadores de Itachi? — Perguntou e eu assenti. — Eram programas hackers do Shikamaru, todo o dinheiro que transferi pra conta do Itachi, foi copiada pra nossa junto com todo o dinheiro que lá havia... Eu não fui até a casa de Itachi somente para lhe confrontar, e também não o roubei com o intuito de ficar com aquela mixaria de 20% ou todos os 30 milhões. Eu sempre quis tudo. É a vez dele de experimentar a pobreza, o jogo se inverteu. Então quando você colocou o cd no computador do escritório, automaticamente se instalou um programa espião. E realmente, eu transferi todo o dinheiro para conta de Itachi através de seu computador, naquela noite... Esse sempre foi o plano, desde o começo. E depois quando o idiota acessou sua conta para saber se a transferência ocorreu, o programa espião de Shikamaru nos permitiu acessar todos os seus dados, copiando-os e transferindo todo o seu dinheiro para uma conta nossa... Roubamos tudo dele! — Sasuke disse e eu só não caí dura no chão porque seus braços ágeis me pegaram.

— Não querido... Continuamos pobres! É bem improvável dele não ter uma conta segura num banco da Suíça... — disse ainda não acreditando no que ouvira.

— E ele tinha, mas foi esvaziada para cobrir os danos que causei a empresa quando roubei os trinta milhões. Era exatamente o valor de sua conta, Kiba que era seu advogado na época me informou disso. — explicou.

— Exatamente de quanto dinheiro estamos falando? — perguntei.

— Digamos que alguns bilhões... Já fizemos a divisão dentre a equipe, incluindo sua parte. Estamos bilionários senhora Uchiha! — Sasuke disse sorrindo. Ele... Ele disse bilionário? É isso mesmo produção?

— E- está falando sério? — perguntei sem acreditar.

— Estou. — disse dando de ombros e eu contidamente, sem nenhuma afobação ou sinal de alegria pulei em seu colo sendo amparada por seus braços fortes, enquanto lançava rápidos beijos por todo seu rosto e gritava timidamente entre eles...

— Lindo, lindo, lindo, lindo, lindo! Rico$! Estamos rico$! $asuke e $akura bilionário$! PODRES DE RICOS! HAHAHAHAHA... Meu sangue voltou a ser azul, posso ver cifrões faiscando por toda parte, é muita felicidade! Yuhuuuuulll— Se soubesse assoviar com os dedos na boca, apesar de ser totalmente ralé, teria feito... Mas só porque não estávamos em público, evidente! Só que... Espera ai, eu estava esse tempo todo achando que não tínhamos um vintém e Sasuke não disse nada? — Eu aqui pensando que estávamos na miséria e você só me diz isso agora? E se eu tivesse escolhido ficar com Itachi? — perguntei incrédula.

— Acha mesmo que eu não tinha um plano de seqüestro caso escolhesse ele? — perguntou arqueando uma sobrancelha e eu sorri me perguntando como poderia gostar tanto de uma pessoa que só usa as palavras: plano, seqüestro, matar, morrer, atirar,roubar... E dai pra pior??? Também não sei.

— Sasuke Uchiha... Você é o maior Vigarista de todos os tempos!— Declarei e ele sorriu de canto. — Mas... E se o Itachi descobrir e mandar seus seguranças atrás de nós?— perguntei com uma pontada de medo e Sasuke soltou uma gargalhada.

— Que seguranças? Com que dinheiro os pagaria? Pra todos os efeitos estou morto!— disse sarcástico. — Quando o otário descobrir que está mais pobre do que os empregados que lhe restaram, estaremos à milhas de distância do país... Alias, para onde quer ir? Paris, Londres, Barcelona, Veneza, Dubai, América do Sul... — perguntou. Será que estou sonhando? De tantas opções, uma delas certamente era minha prioridade no momento...

— Ora, mas que pergunta... Primeira parada é num shopping! Estou a escória do mundo fashion... — disse e Sasuke revirou os olhos como se tivesse dito algo fútil ou previsível. Eu heim...



Era estranho pensar em como minha vida havia dado voltas. A equipe de profissionais do crime que se tornaram meus companheiros estava usufruindo de suas partes do dinheiro em alguma parte do mundo com suas respectivas parceiras, dentre elas, Ino e Hinata... Duas dançarinas golpistas que tornaram-se minhas amigas, uma delas sendo mãe do filho do falante Lee, enquanto a outra cuidava ao lado de Naruto, do pequeno Konohamaru... O garoto de rua que ganhara minha confiança e afeto.

Precisei ficar pobre, conhecer o lado não tão encantado da vida e me envolver com pessoas que usam dos mais baixos níveis, pra que finalmente pudesse de alguma maneira crescer.

Karin, com o dinheiro que Sasuke havia lhe dado, se tornou professora de dança dando aulas em um estabelecimento próprio. Naruto continuava provocando Sasuke com seus presentes, o ultimo que mandou foi pelo primeiro ano de casados que estávamos completando: Ingressos para o Show da Britney Spears. Sasuke foi com muita insistência de minha parte, mas como sempre me dou mal, acabei percebendo que a coitadinha nem cantava, era tudo playback. Tsc!

Konohamaru, cada dia mais inteligente, havia aprendido a ler e escrever maravilhosamente bem. Sempre enviava-nos cartas que sempre se iniciava com uma lenda, o que me fazia sutilmente lembrar-me de um certo alguém...

Alguém que havia feito com que eu renunciasse o luxo temporariamente, para tornar-me sua esposa para sempre. Alguém que antes de me levar para dar uma volta ao mundo, havia revirado o meu. Trocou não só meu sobrenome, mas também minhas prioridades. E se nos perguntassem como foi que nos conhecemos, este certo alguém se apressava em responder...

"Na verdade, é uma história bem curta..."

La íamos nós outra vez, reinventar mais uma maneira de ficarmos juntos no fim.

O privilégio de saber sobre o sofá, a Dark House, a Bat caverna, o Anti-Sasuke e todas as encrencas que nos trouxeram até aqui, eram reservados a poucos, se é que vocês me entendem... E embora tenhamos ficado com toda a grana, descobri que la no final do arco-íris, existe muito mais que um simples pote de ouro...



Descobri o amor.


Fim.



Notas finais do capítulo

Três corações batem tristes e felizes ao mesmo tempo!É com pesar que nos despedimos da nossa primeira fic concluída: Vigaristas.

O sentimento de dever cumprido é inegável... Estamos bobas de tão leves *-* E ao mesmo tempo, como nos despedir de nossos personagens queridos e criados com tanto amor? (Broken Heart).

Queremos agradecer a cada comentário, cada sugestão, cada recomendação, cada MP ... Vocês foram demais com a gente!Sempre nos apoiando e nos motivando a prosseguir... Depositaram suas confianças na estória e esperamos não ter decepcionado, apesar dos sustos.Estavamos nos recordando do dia em que resolvemos cria-la, três cabeças de vento sentadas na cama com um caderno velho na mão pra anotar toda e qualquer idéia pro enredo da estória e de verdade, não esperávamos que fosse agradar tanto! Muito menos era de se esperar o nascimento de uma Sakura tão maluca quanto essa... Não sei vocês, mas nós aprendemos muuuuito com ela.

Espero que em meio a tanta doidera vocês tenham tirado algo daqui além de receitas de beleza e ditados nada populares, isto é. Sei que tem muita gente que já se matou de recomendar, assim como nós estamos pelejando pra poder recomendarmos as que gostamos, e a nossa dica é: Não desistam, falem com um moderador ou sei lá. A questão não é tornar uma fic mais ou menos popular, mas sim o reconhecimento de todo esforço e dedicação que os autores passam para lhes oferecer algo bacana de se ler. Se concluiu a leitura e realmente gostou, prestigie!Nós amamos dedicar a fic aos leitores que recomendam e por isso estaremos de olho, pra que possamos dedicar em Wake à nova fic que começaremos postar e não demora muito *--* Será uma comédia, não muito longa... Pelo menos não está em nossos planos ser longa, mas quem somos nós não é mesmo? Se fosse por nossas previsões Vigaristas teria terminado no cap 30! E prometemos não matar ninguém por lá, temos perfil de assassinas e medo de xilindró ao mesmo tempo, por isso garantimos vida longa e feliz aos personagens *-*


Enfim... Essa é a hora! Nos digam o que acharam e quem nunca apareceu é uma ótima oportunidade de passarem na nossa quebrada e deixararem suas opiniões. Quanto aos leitores que já se tornaram amigos, não nos façam chorar seus malvadinhos!Obrigada, obrigada e obrigada *-*

Com carinho...


Amanda, Ju e Taís :)