[ Comentários ]

Harry Potter e a Paixão Indesejada escrita por Mare


Capítulo 7
Capítulo 7- "O boato se espalha"


Notas iniciais do capítulo

"My love is like a star, yeah, you can't always see me, but you know that I'm always there."




“HARRY POTTER E A PAIXÃO INDESEJADA”

Capítulo 7- “O boato se espalha”

Jorge entrou no quarto, com uma cara séria forçada.

–Harry.

–Ahn... O que te traz aqui, Jorge?

Jorge deu um risinho, também forçado, e falou:

–Bem Harry... Hoje eu estava passando as torradas para minha mãe no café, e acho que vi uma coisa que não devia ver visto.

A cabeça de Harry começou a latejar. Já sabia o que Jorge havia visto. Então Harry disse rapidamente, interrompendo o garoto:

–Ah, Jorge. Sobre aquilo, olha...

–Não, Harry. Tudo bem. Eu só vim falar que é para você ficar tranqüilo, apenas toda a casa já está sabendo. Menos mamãe e papai, é claro.

“Graças a Merlin!”, pensou Harry.

–Obrigada. Por não contar a eles...

–Sem problemas, ocludo.

Eles riram um pouco, e Jorge saiu do quarto. Rony e Hermione entraram logo em seguida, ambos sorrindo muito.

–Ahn...Harry.-disse a garota

–Ah, oi Mione!

–Ah, qual é Harry! Diz logo!- gritou Rony

–Dizer o que?

–Ahn... Harry... Jorge já nos contou.

Harry corou. Mas Hermione, percebendo isso, disse:

–Calma Harry. Gina não sabe que nós sabemos. Fred também sabe.

–Que beleza! Quando vocês vão mandar uma coruja pro Profeta Diário?-disse Harry, irônico.

–Ah, Harry! Já mandei ficar calmo!

–Ok, me desculpem. É que eu já me acostumei tanto de ter minha vida relatada nesse jornalzinho estúpido e não me surpreenderia se vocês realmente mandassem a coruja. Já estou até vendo a manchete... ”Harry Potter e a Paixão Indesejada”!

Eles riram por um tempo, até que ele mesmo disse:

–Essa Skeeter, gosta de relatar minha vida. Detalhadamente, e é tudo mentira.

Riram mais, até que Gina entrou no quarto. Viu Ron e Mione, murmurou alguma coisa para si mesma e fez menção de sair do quarto. Harry lançou um olhar suplicando aos amigos, e eles entenderam na hora. Hermione disse:

–Não, Gina, fique. Já estamos de saída, não é, Rony?

Ela deu uma cotovelada discreta no tórax do amigo, que assentiu rapidamente. Então os dois deixaram o quarto, e Gina entrou e sentou-se ao lado de Harry. Para sua surpresa, a garota não falou nada. Ficou calada, olhando para os pés.

–Então, Gina...

–Harry, me desculpe mesmo, por esta manhã...

–Para falar a verdade, Gina, acho que se no meu aniversário, eu ganhasse só aquilo, já seria o homem mais feliz do mundo.

Ela corou no mesmo instante, e foi se aproximando de Harry. Mas Harry logo entendeu aonde ela queria chegar, e lhe deu um beijo. Aquilo era bem melhor do que Harry já fizera em toda sua vida, mesmo com Cho. Separaram-se. Mas o constrangimento foi tanto, que Harry preferiria estar enfrentando o Rabo-Córneo Húngaro agora, do que fitar aqueles olhos castanhos hipnotizadores. Então, sem pensar duas vezes, repetiu o gesto. Por ele, ficariam o dia todo ali, juntos. Mas ouviram passos no corredor e logo se separaram. Impulsivamente, Gina escondeu-se no banheiro embutido que havia no quarto. Fizera bem, pois Sra.Weasley entrou no quarto.

–Harry, só vim avisar que o almoço está servido.

–Obrigada, já estou indo.

Harry nem se dera conta de que seus lábios estavam brilhando, por causa do batom que Gina usava todos os dias. Agradeceu a Merlin, pois Molly nem notara aquilo. Fez sinal para a menina sair do esconderijo. Harry foi de frente ao espelho e limpou a boca, que brilhava. Gina bagunçou um pouco o cabelo dele. Isso foi um incentivo para Harry puxá-la pela cintura e a beijá-la de novo.

Gina colocou seus braços ao redor do pescoço de Harry. Separaram as faces, mas isso não quis dizer que eles se soltaram. Ficaram abraçados por muito tempo. Até que Mione e Rony entraram no quarto. Hermione, pensando que estava interrompendo algo, logo saiu. Mas Harry foi atrás deles e disse para voltarem, que estava tudo bem.

Dito, eles voltaram. Os quatro se sentaram. Harry ao lado de Gina, na qual repousava sua cabeça no ombro do garoto. Ficaram assim por um tempo, trocando carinhos, até que um “hum-hum” de Hermione fez os dois acordarem do transe. Se separaram, mas porém ficaram lado a lado. Então se tocaram que todos estavam almoçando, e desceram correndo. Harry e Gina foram atrás, de mãos dadas. A uns 5 degraus da cozinha, se separaram inocentemente.

Sentaram lado a lado, e como de costume, Hermione e Ron fizeram o mesmo. Harry teve uma vontade louca de pegá-la na mão agora e anunciar a todos esse “rolo”, mas não pode. Um pensamento terrível invadiu sua cabeça, havia se esquecido completamente deste detalhe: No fim do ano passado, Gina estava namorando Dino Thomas.

Como pode? Como não lembrou disso? Se tivesse se lembrado, jamais a beijaria. Jamais! Dino era um bom amigo de Harry, estava mais para colega de quarto. Mas mesmo assim, Harry não fazia isso com amigos. Ainda mais com um Grifinório.

Harry puxou Gina para cima, sem se importar com os pensamentos dos presentes na mesa. Simplismente agarrou sua mão, e correu com ela para cima.

–Harry...o que é isso?

Disse ela,entre risos.

–Gina, e o Dino?

–Ah...

–Então? Me beijou, e nem se lembrou dele?

–Harry...

–Como acha que eu me sinto, traindo um amigo, da Grifinória!

–HARRY! ME OUVE! Harry... nós terminamos.

Harry nem pensou duas vezes. Fez ali mesmo, o que estava entalado em sua garganta há muito tempo.

–Gina, eu te amo.

A menina ficou paralisada. Harry já estava preparado para a fuzilação. Mas ao contrário. Gina pegou sua mão.

–Harry, desde o dia que eu te vi na plataforma, só de ver o famoso Harry Potter, eu já vi que te amava, mesmo com 10 anos...

Harry nem a deixou terminar. Avançou para ela e lhe deu um beijo. Aquela sensação que fazia Harry tão bem invadiu seu corpo...

–Não quero me precipitar. Vamos ver aonde dá?

–Claro,Gina. Como quiser.

E se beijaram de novo. Desceram de mãos dadas. Ao pisarem no último degrau, soltaram as mãos.

–Mas que diabos estavam fazendo lá em cima?-disse Fred ironicamente.

–Ahn...fui mostrar uma coisa pra Gina. A minha vassoura...sabe...ela estava toda rachada...fui falar umas táticas pro time.

–Mas agora, Harryzinho?

–Sou imprevisível.

–Ah, certo. Entendi.

Harry e Gina se entreolharam, mas ninguém percebeu. Terminaram de almoçar, silenciosamente. Ron e Hermione subiram primeiro, e depois Harry e Gina seguiram-os. Harry abriu a porta, e teve um choque.

Hermione estava abraçada de Rony, perto da janela. Eles trocavam carinhos, e quando a porta se abriu, se separaram em um pulo.

–HARRY! GINA!

–Oi, pombos.

–Ah, não é nada disso que vocês estão pensando...!

–Mione, é sim. -disse Rony, ainda corado.

–Rony, o que está fazendo?

–Mione, venho querendo te dizer isso a um tempo...

–Rony...

–Hermione. Somos grandes amigos, eu jamais quero perder sua amizade. Mas, se não arriscarmos, como vamos descobrir? Pois é, não vamos descobrir se não tentarmos.

Ele lhe deu um selinho. Ela retribuiu. Então, depois de muitas carícias, ele disse:

–Hermione...ahn...eu te amo.

–Rony!

Então Harry disse:

–Humm, Rony e Mionê!

–Sim, Rony e Mionê. –disse Ron.

Eles começaram a se beijar. Harry e Gina resolveram dar privacidade aos dois, e saíram do quarto. Estavam a caminho do quarto da garota. Chegaram lá, checaram se não havia ninguém no corredor e entraram no quarto de mãos dadas. Ela disse:

–Harry...

Mas ele a calou com um gesto. Ele não queria fazer mais nada a não ser ficar sentado com ela no parapeito da janela, observando o sol, a paisagem e os pássaros.

Então foi isso mesmo que eles fizeram pelo resto do dia...

***

Até que o jantar chegou. Estava uma confusão, pois o dia após aquele seria 1º de setembro. Sim, o tempo passa voando. Jantaram frango com creme de milho. Uma fartura incrível! Harry subiu, satisfeito, e um pouco cheio, e despencou em sua cama macia. Seu dia fora uma montanha russa de emoções...

Estava tão cansado, mas a felicidade não o continha. Não o deixava dormir. Aproveitando a insônia, resolveu fazer uma visitinha no quarto de Gina. Revistou o quarto a procura de sua capa da invisibilidade, mas se lembrou que havia emprestado para Gina. Então optou por ficar no seu quarto mesmo, não queria se arriscar.

Deitou-se em sua cama de novo, sem sono. Então, com a cortina aberta, ficou olhando o céu, que por acaso estava lindo aquela noite. As estrelas brilhavam, e eram poucas.

Então, com esta linda vista, adormeceu. Ah é, claro, pensando no dia seguinte, em Hogwarts.




Notas finais do capítulo

A pedidos, eu juntei o Rony e a Mionê *-* gostaram? Se sim, deixem reviews *-*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Harry Potter e a Paixão Indesejada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.